MENU

by • novembro 3, 2011 • ResenhasComments (27)2083

[Resenha] Marina, de Carlos Ruiz Zafón

Ao ler Marina o mundo que nos rodeia adquire um tom levemente opaco e somos tragados diretamente para o cenário de uma Barcelona hora gloriosa, esplêndida e magnífica e hora desgraçada e arruinada, mas igualmente intrigante e mágica em ambos os momentos. Percorrer suas ruas e desvendar os seus segredos não será optativo e sim, essencial.

“O tempo e a memória, a história e a ficção se fundiam como aquarelas na chuva naquela cidade feiticeira. Foi ali, sob o eco de ruas que já não existem, que catedrais e edifícios fugidos de alguma fábula, tramaram o cenário dessa história.”

O livro parte da premissa de um segredo muito bem guardado e nunca antes contado, relatado por Oscar Draí muitos anos depois dos fatos terem acontecido. Com apenas algumas palavras enigmáticas e nostálgicas, ele rapidamente nos transporta para dentro de suas memórias e começa a falar sobre o ano que marcou sua vida de maneira irremediável.

“Na época, não sabia que, cedo ou tarde, o oceano do tempo nos devolve as lembranças que enterramos nele. Quinze anos depois, a memória daquele dia voltou para mim. Vi aquele menino vagando entre as brumas da estação de Francia e o nome de Marina se acendeu de novo como uma ferida aberta. 
Todos temos um segredo trancado a sete chaves no sótão da alma. Este é o meu.”

Oscar vivia num internato sozinho, longe dos pais. Andando pela cidade, certo dia, encontra o casarão onde vive Marina, acompanhada do seu pai Germán, um homem bondoso de idade avançada. Sua vida nunca mais seria a mesma. Presos quase sem querer em meio a um mistério aterrador, durante a leitura passamos por momentos angustiantes e descobrir o que está acontecendo torna-se uma questão vital.

Uma das coisas que mais gosto nos livros do autor é que estão longe da ideia de contos de fadas com final feliz. Ainda assim, são os que mais me proporcionam momentos de intensa felicidade, compaixão e conexãoTambém nunca encontrei em nenhum outro livro, fora os de Zafón, uma cidade-personagem que ocupasse tamanha importância na história. As ruas de Barcelona nos guiam e nos convidam e, sem elas, perderíamos boa parte do brilho do livro.

“Tínhamos chegado à Barcelona encantada, ao labirinto dos espíritos, onde as ruas tinham nome de lendas e os duendes do tempo caminhavam às nossas costas.”

Em momentos despretensiosos e passageiros seus personagens soltam alguma frase ou reflexão que sempre conseguem me tocar. Em suas atitudes e personalidades enxergamos como o frágil ser humano consegue transformar-se em alguém assustadoramente forte e glorioso por meio de palavras, ações e, acima de tudo, através do amor.

“Às vezes, as coisas mais reais só acontecem na imaginação, Oscar. – disse ela. – A gente só se lembra do que nunca aconteceu.”

Título Original: Marina
Autor: Carlos Ruiz Zafón
Número de Páginas: 192
Gênero: Romance/Suspense

Related Posts

27 Responses to [Resenha] Marina, de Carlos Ruiz Zafón

  1. Puxa,que resenha intensa!Estou louca para ler esse livro,assim como os outros do autor.Sua magnitude me fascina.Ele já está na minha lista de futuras leituras.Parabéns pela magnífica resenha.

    Bjs!
    Zilda Mara
    Cachola Literária

  2. Adriana T disse:

    Cada vez mais louca por esse livro!

  3. Duda, que lindo esses quotes. Você já tinha dito aqui que havia se apaixonado pelo trabalho de Zafón, mas eu não conhecia a intensidade desse trabalho.
    Já estava desejando O Prisioneiro do Céu, agora também quero Marina.
    Parabéns pela resenha.

    Bjs.
    Paraíso Em Papel

  4. Pabline disse:

    Uau, depois de ler sua resenha só há uma coisa que posso fazer: Conseguir esse livro de qualquer maneira.
    Sua resenha me encantou.
    Te senti tão presente no que vc escreveu, se entregou totalmente, conseguiu passar tão bem o quanto fantástico esse livro foi para vc, que o que me resta é a imensa curiosidade.
    Um livro que consiga te tragar para dentro dele com sua narrativa envolvente é um livro que dever ser valorizado.
    Ele parece ter personagens tão intensos e marcantes.
    Uau, quero muito ler esse livro, até anotei o nome dele.
    Obrigada pela maravilhosa dica, estava precisando de um livro tão sublime e envolvente.
    BJ Duda!

    -Amigas Entre Livros-

  5. Olá!
    Eu estou encantada com sua resenha, e fiquei louca para ler o livro, fiquei super curiosa!!
    bjinhs
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com

  6. Nossa que resenha grande, parece um resumo =/
    mas como vc expõe sua opinião o tempo todo fica interessante =)
    Muito especial a cidade de Barcelona ser quase o personagem principal!!!
    Pois é vi muitos falando desse livro mas não me interessei em ler justamente porque um dos poucos livros que abandonei na vida a leitura foi “A sombra do vento” então por seu do mesmo autor não me interessei mas como vc falou com tanta paixão quem sabe um dia eu dê uma segunda chance a esses dois livros né???
    Bjinhos e tá respondendo a entrevista???
    Estou no aguardo!!!!

  7. Aione Simões disse:

    Duda, que resenha!
    Você colocou uma mágica e uma paixão no livro que torna impossível não querer lê-lo!
    Achei interessantíssimo o que você disse sobre a história, mesmo não sendo feliz, desperta felicidade e regozijo durante a leitura!
    Zafón parece ser um mestre da escrita e preciso urgentemente lê-lo!
    Beijos querida, e parabéns! A resenha ficou ótima!

  8. Ricardo22 disse:

    Nossa, que resenha foi essa ein Duda? rs Eu acho que nunca vi alguma resenha com tamanha emoçã, como você transmitiu. Nunca li nenhum livro do Zefón, mas pelos quotes, e pelas suas palavras, sinto que é algo necessário. Ou eu diria insipensável?

    Gostei disso que você falou de Barcelona. Parece ser muito interessante também. Sem contar o resto né?

    Beijos
    Ricardo (www.overshock.blogspot.com)

  9. Gabi disse:

    Que resenha convincente haha, fiquei morrendo de vontade de ler esse livro!!

    Gabi

  10. Muito boa a resenha, confesso que fiquei interessada no livro.
    Essas histórias que fazem a gente pensar, sentir e se entregar a história são demais!

    Fiquei com uma vontadezinha de ter este livro em minhas mãos, para também vivenciar essa história.

    Beijos!

    Bia | Blog Livros e Atitudes

  11. jayane disse:

    Uau vc falou tanto desse livro,deve ser muito bom mesmo,ainda não li nada de Carlos Ruiz Zafón.
    Realmente sempre tem aquele livros inesquecíveis que fica gravado na memoria.

  12. Julia Cedro disse:

    Você disse na caixinha de correios que era muito bom, e só porque você indicou eu quero ler, depois de ler essa resenha, me deixou mais curiosa ainda…
    Louca para ler, rs.

    Beijos,
    Sonhos de Garota

  13. Effy disse:

    Imagino que vc deve ter lido bem rápido este livro, devido ao seu interesse. É bom quando encontramos personagens até mesmo cidade como vc falou que seja bem abordado durante toda a trama, parece que nos faz conhecer e pertencer mais a história. É bom ver estas frases no meio da narrativa. Eu nunca li nenhum livro desse autor. Agora acho que esse livro é fino..poderia até ser maior, mas talvez foi dosado exatamente como o autor quis.. Espero ter a oportunidade de ler algum dos livros dele..

    Beijos ^^

  14. Alinne disse:

    Uau que resenha Duda!
    Realmente os livros desse autor são excelentes e esse por ser considerado por você o livro do ano, deve ser porque o livro supera os outros! Fiquei mais curiosa ainda, mas antes desse preciso ler O Jogo do Anjo como também O Príncipe da Névoa, porém este também faz parte dos meus desejados.
    Beijos.

    Books e Desenhos

  15. Camila Costa disse:

    e é agora que a Camia fica maluca por um livro do autor qualquer um deles só pra poder conferir o talento! Caraca esa foi uma das resenhas com mais sentimento que eu já me deparei sem dúvidas, o livro vai pro tipo da lista agora!
    Beijos!

  16. Igor Gouveia disse:

    Duda (:

    Cada vez que passo aqui aumento minha lista de Desejados no skoob. Que resenha ótima. Fiquei com muita curiosidade em relação ao livro. Sério. :]

    ABRAÇOS.

  17. Mari ♥ disse:

    Ah esse livro estou lendo ótimas resenhas, confesso que estou ansiosa pra ler

    Oi estava visitando alguns blogs e encontrei o seu blog adorei…
    Já estou seguindo

    http://marifriend.blogspot.com/
    @Storieandadvic
    Espero sua visitinha, adoraria que você seguisse também.
    Beijo

  18. Ana Ferreira disse:

    Duda,

    Fiquei muito contente com a sua resenha. Muito contente em saber que “Marina” está no mesmo grau de magnitude que “A Sombra do Vento” e que, acima de tudo, Zafón mantém a sua magia ao falar de Barcelona e todo o encanto que rondam seus personagens tão humanos, tão próximos de nós.

    A sua resenha foi escrita com tanta emoção e carinho que é impossível não notar o seu favoritismo pelo autor espanhol e por toda sua obra. A vontade que me dá agora é de sair correndo para a livraria mais próxima e ir comprá-lo…

    Beijinhos,
    Ana – Na Parede do Quarto

  19. Mônica disse:

    Oi Aline, eu comprei este livro, mas não ia ler agora. Mas você comentou no blog que era um livro muito bom e eu resolvi pular a fila e já estou no final da leitura. Também estou adorando. Não li sua resenha para não influenciar a minha, mas assim que postar vou voltar aqui e ler tudo.
    Valeu a dica. Bju

  20. Eduarda de Deus! Você não faz ideia de como eu quero ler esse livro. Li alguns artigos do Zafón um tempo atrás e ele é um excelente escritor! Hiponótico, como você disse. E Marina parece ser um livro e tanto!

    Amei a resenha! E é visível a paixão que você teve pela trama. Acho isso incrível, mesmo que palavras sejam poucas para expressar, né?

    Bom final de semana!
    http://www.pronomeinterrogativo.com

  21. caah disse:

    Oi, tudo bem?

    Sua resenha está maravilhosa, você falou com intensidade sobre os personagens e sobre o enredo da história. Deu a entender que esse autor é realmente magnífico no que faz e, agora, apesar da capa não ter me atraído, eu fiquei com uma imensa vontade de ler o livro e descobrir sobre está história tão elogiada por você.

    Beijos, Caah.

    Open Mind – http://openmindbook.blogspot.com

  22. Agora que li a sua resenha fiquei com mais vontade de ler esse livro. Eu ando precisando de um livro que acrescente algo a minha vida. Há muito tempo não leio algo assim. Na verdade, li pouquíssimos livros com esse poder.

    Amei a sua resenha. Você escreve bem.

    Beijos, Carol.
    http://www.perdidanaestante.blogspot.com

  23. Lucas Martins disse:

    Agora me arrependi, pois quando pude ter comprado o livro, não comprei. ):
    Parece muito bom! Ainda não li nada do autor, agora estou mais curioso…
    Bjão!

  24. Mônica disse:

    Oi Eduarda, prometi que voltaria, lembra?
    O que mais adoro nestas leituras de resenhas que se faz blogsfera a dentro é a diversidade de olhares para um mesmo livro.
    Adorei sua resenha! Como pode ver com tanta emoção detalhes despercebidos por mim? Percebi que você tem mesmo uma paixão por Zafon, e ainda a sua visão da cidade diante do contexto da narrativa, foi perfeito.Também gosto muito do Zafon.
    Falta eu ler ainda O jogo do anjo, mas vou dar um tempinho, tem uma fila na estante.
    Bju

  25. Marina disse:

    Nem preciso dizer porque quero ler esse livro. 🙂
    Já ouvi falar muito bem dele, e parece que ainda vou ouvir falar muuuito mais.
    Não sei porque mas me lembra “a menina que roubava livros”, espero que seja tão bom quanto ele.
    Ótima resenha.

  26. Louperi disse:

    Quando eu li esse livro eu estava amando tanto (assim como amo todas as obras do Zafón) que eu juro que enrolei pra não terminar tão rápido.

  27. S. A. disse:

    Eu sou apaixonada pelo Carlos Ruiz Zafon! Até agora só tive o prazer de ler A Sombra do Vento e Marina, e mesmo assim, pra mim, ele é o melhor autor atual. Vc disse: “Que em momentos despretensiosos e passageiros, soltam alguma frase ou reflexão no ar, frase esta que consegue nos tocar de uma maneira que se dita de outra forma, seria impossível fazê-lo”, e é exatamente isso! É incrível como uma pequena fala de algum personagem nos faz parar horas pra refletir. Aliás, estou escrevendo um roteiro com base na frase “a gente só se lembra do que nunca aconteceu” (faço faculdade de Cinema, hahah). Essa frase é perfeita! Enfim, os livros dele são isso mesmo, inesquecíveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *