MENU

by • março 5, 2012 • ResenhasComments (18)1846

[Resenha] O Príncipe da Neblina, de Carlos Ruiz Zafón

“Dentro de momentos apagar-se-ão as luzes, ergue-se-á a cortina da sua mente e o feixe do projetor baterá na sua imaginação. A boa literatura, e até a má, deve ser como a eletricidade. Espero que saboreie a leitura, desta e de muitas outras que se sigam. E confio que um dia voltemos a ver-nos e a ler-nos mutuamente. Se nessa altura eu já tiver desaparecido por completo, encontrar-me-á aqui ou entre as páginas de outras histórias que tento contar-lhe da melhor maneira que sei e que vamos construindo, letra a letra, entre nós. Até à vista, aventureiro.”

É com essas palavras que Zafón se despede em um dos prólogos mais interessantes  que já li. A verdadeira fascinação que o autor exerce nos leitores através da escolha acertada de palavras transparece desde o começo de sua carreira literária. O Príncipe da Neblina foi o seu primeiro livro publicado, mas não menos merecedor de crédito.

A história gira em torno de uma pequena cidade litorânea afastada do resto do mundo na década de 40, onde Max e sua família mudam-se para escapar da guerra que se aproxima. Ao chegar à cidade, o garoto passa a perceber algo diferente e estranho na atmosfera do lugar, como o relógio da praça que gira ao contrário. Com um clima desconcertante, acontecimentos bizarros começam a acontecer. Max parte em busca de respostas, tendo a sua irmã mais velha e o novo amigo Roland como companhia.

Mais uma vez, ou melhor dizendo, desde a primeira vez, o autor nos envolve em uma trama cheia de mistérios que se desenrola aos poucos diante dos olhos do leitor, sempre vidrados na narrativa fantasmagórica e carregada do texto. Por mais que Zafón carregue suas histórias com os mais variados gêneros literários, considero este, junto com O Jogo do Anjo, um dos seus livros mais sombrios que, mesmo infanto juvenil, não poupa certos detalhes e nos faz ver que a vida é feita de escolhas e que o peso das mesmas estarão sempre conosco.

Penso que o aspecto juvenil da história é mais pelo tipo de narrativa escolhida que proporciona uma leitura rápida e simples, que vai direto ao ponto, sem maiores complicações. O livro, no entanto, é o tipo de trama que pode ser lida por todas as idades, e tenho sérias dúvidas se não teria ficado um tanto aterrorizada caso o tivesse lido com meus 10 anos ou pouco mais.

Zafón é um autor que merece ser degustado com o passar dos anos. As lições presentes em suas tramas são direcionadas para qualquer faixa etária, mas iremos enxergá-las de formas diferentes dependendo de nossa idade no momento da leitura. No O Príncipe da Neblina é possível encontrar elementos em sua escrita que seriam utilizados de forma mais desenvolvida em obras posteriores, mas é inegável o talento que ele sempre carregou consigo de envolver o leitor com suas histórias.

Este é o primeiro livro do autor que leio que não se passa em Barcelona, famosa cidade-personagem que já virou sua marca registrada nos romances adultos. Ainda assim, o clima nebuloso de uma cidade pequena, com seus poucos habitantes, um farol e um navio naufragado, foram muito bem construídos, e ambiente propício para a história de terror que o livro propõe.

Ao final da leitura pude compreender algo que o autor expressou nos parágrafos de apresentação. É fácil perceber pedaços de seu ser, de sua escrita e de sua arte, em cada capítulo do primeiro livro que escreveu, e deve ser incrível poder olhar pra trás e revivê-los mais uma vez, sabendo que tudo aquilo faz parte de um tempo que não voltará, mas que ficou registrado através dos seus personagens, e que permanecerão para sempre em sua memória e na dos seus leitores do passado e futuro.

“Naquele dia, sem o saber, enquanto contemplava a família a andar para cima e para baixo com as malas e segurava nas mãos o relógio que o pai lhe oferecera, deixou para sempre de ser uma criança.”

Título Original: El Príncipe de la Niebla
Editora: Planeta
Número de Páginas: 208
Gênero: Suspense
Importado de Portugal

Related Posts

18 Responses to [Resenha] O Príncipe da Neblina, de Carlos Ruiz Zafón

  1. Gostei muiiiiiiiito da resenha!

    Nunca li nada do autor, mas minha nossa, ele deve ser O CARA. rs

    Relógio que gira ao contrário? Preciso saber mais!

    Beijos
    Bia | http://www.livroseatitudes.blogspot.com

  2. Oi Duda!
    Nunca li nenhum livro de Záfon e por isso e pelos comentários sempre positivos a respeito dele, tenho vontade de comprar Marina, para experimentar.
    Acho que realmente o momento que o leitor está passando na vida pode influenciar na sua avaliação da leitura. Gosto muito disso!

    Beijos!

  3. jayane disse:

    Conseguir ler a resenha toda e adorei,vc fala muito desse autor e isso me deixou curiosa para ler algum livro do Zafón.

  4. Mônica disse:

    Oi Duda, eu sei como você adora o Zafón, por isso nem sei se devo confiar na sua resenha, pois sei que você escreveu com o coração e assim não vale, kkkk Estou brincando!!!
    Mas me diga o que faço par ler este livro? você o comprou pela Wook?
    Adorei sua resenha e já adicionei este livro no meu skoob. Beijos

  5. Lucas Martins disse:

    Eu tenho esse livro em ebook, e já estou há horas para ler… É bem curtinho, hein? 200 e poucas páginas…
    Eu tenho dificuldade para falar dos livros que gosto. Parece que todos adjetivos não são suficientes para defini-lo…
    Mas já notei essa sua relação de amor com o Zafón. Isso me estimula muito! Comecei a comprar os livros dele, agora só falta tempo, rsrs
    Não curti muito essa capa, sabe. Gosto mais de uma verde que tem… Mas quando a é Zafón não importa a capa, rsrs
    Beijão, Duda!

  6. Duda 🙂
    Como vai?
    Bem legal a resenha mesmo *-*
    Mas confesso que não conhecia o autor 🙁

    Tem esse livro em ebook? vou procurar >.< Beijos e cuide-se

  7. Que resenha fantástica Duda 😮
    Já disse que sempre que vejo algo do Zafón, lembro de ti no mesmo instante né? E a cada resenha, você mostra porque esse carinho especial que você tem por ele e também que é um autor fantástico. Achei essa história muito interessante e talvez até seja a primeira que venha a ler do autor – mania de começar sempre pelas primeiras obras rsrs
    Motivos para querer isso é o que não falta. Elogios – principalmente da sua parte – também não falta.

    Parabéns pela resenha.
    Beijos
    Ricardo – http://www.overshock.blogspot.com

  8. Alinne disse:

    Oi Duda!
    Faz tempo que não passo por aqui né? Peço desculpas por isso, mas a minha vida está uma correria menina, quase não tenho tempo para nada!
    Bom, esse autor é maravilhoso, pude conhecer a sua obra através de suas resenhas e dicas, aliás até agora só pude ler A Sombra do Vento, mas esse aí também me chamou a atenção, quero lê-lo em breve!
    Parabéns pela resenha.
    Beijinhos.

    http://booksedesenhos.blogspot.com

  9. Luana Feres disse:

    Mais uma vez, sua resenha me sugou a atenção, Dudinha. Eu quero tanto me encantar com a escrita de Zafón de tanto que você fala! Mal posso esperar pra começar a ler A sombra do vento. Não conhecia esse título do autor, nem de nome e me pareceu uma ótima leitura. Estou balanceando livros leves com esses mais pesados, é uma ótima forma de não ficar sobrecarregada com algumas sensações e no momento, estou sentindo falta de algo mais sombrio.

    Beijos

  10. Aione Simões disse:

    Oi querida!
    Uma certeza que tenho em minha vida: preciso ler algo do Záfon!
    Essa questão dos mistérios muito me atrai e nunca acho que os livros dele tenham cara de juvenis (mesmo que não os tenha lido), então compreendo quando você diz que eles poderiam ser lidos por qualquer um e que você, caso lesse em seus 10 anos, se sentiria um pouco assustada.
    De qualquer forma, o livro parece incrível e pretendo ler assim que puder todos os possíveis dele!
    Beijão!

  11. Fala sério, Duda, lá vai você me fazer comprar mais livros!
    Não adianta. Esse vai para a lista de prioridades.
    E nem preciso dizer que você me convenceu, né? ¬¬

    Beijos.

  12. Oi, Duds

    acho que tão bom quanto o Zafón escrevendo é você escrevendo sobre o que o Zafón escreveu, rs.

    Morro de vontade de ler alguma obra do autor só para voltar aqui e dizer: você tem razão!

    O cara deve ser muito bom, por escrever livros que fogem da sua característica (Barcelona como plano de fundo e principal) e continuar sendo uma obra prima.

    Beijocas 🙂

  13. Camila Costa disse:

    Tenho que ler, simples assim! Desde que terminei de ler A Sombra do Vento semana passada eu quero ler TUDO do autor, ele é como um Julian Carax para mim, preciso ler todos os livros! Pelo menos ninguém está queimando os livros dele é claro… bom, deixa eu parar de divagar aqui kkk Zafón é demais, simples assim, acho que ninguém leu de verdade uma grande obra até ler algum livro dele *-*
    Beijos Duda!

  14. Aline Coelho disse:

    Poxa Duda vc realmente é apaixonada por esse autor, dá pra sentir em suas palavras sua admiração. Confesso ainda não ter conseguido ler nenhum livro dele completo, minha 1° experiencia foi antes dessa minha vida de leitora e devido suas resenhas inspiradores confesso ter ficado curiosa para ler esse livro.
    Parabéns pela ótima resenha =)

  15. Ana Ferreira disse:

    Duda, muito pelo contrário do que dizem, acho que as resenhas de livros que gostamos saem bem mais apaixonadas e convincentes que as daqueles que talvez não tenham nos marcado tão positivamente. Você é uma prova disso.

    Agora, em falando-se de Zafó, que prólogo genial (!!!!). Verdadeiramente, acho que ele é uma espécie de mago das palavras, pois insere fascínio em tudo que escreve.

    Achei a história de “O Príncipe da Neblina” bem consistente e também fiquei impressionada com o fato de não haver Barcelona. Barcelona é quase que uma apêndice do nome forte do autor e não tê-la me desorienta um pouco, mas é sempre bom mudar de ares e criar diferentes obras que marquem diferentes leitores.

    Parabéns pela resenha! 🙂

    Um beijo!
    Ana – Na Parede do Quarto

  16. Adriana T disse:

    Tenho muita vontade de ler mais livros de Zafón, só li Marina e já foi o suficiente pra me apaixonar. Espero poder ler este.

  17. duda vc ja leu a sobra do vento de Carlos Ruiz Zafón?estou interessada nele mais gostaria de um opiniao antes de comprar… bjinhus obrigado! obrigado entre em contato comigo sou ilustradora e faço fotos de pessoas voce quer uma? entre em contato comigo meu nome no face é gi cruz ,

  18. Eliana disse:

    Ola,Eduarda!
    E dali Zafon! 🙂
    Tenho quase tds os seus livros,li um atras do outro…A Sombra do Vento,O Jogo do Anjo e O Prisioneiro do Ceu,mas o primeiro que li foi Marina…AiAi,costumo dizer que Oscar e um amor,mas foi por Marina que eu me apaixonei 😉 e concordo com vc,se eu tivesse lido aos 9 ou 10 anos,tbm teria ficado aterrorizada rsrs.Tbm tenho O Principe da Nevoa,mas estou deixando p/ ler qdo eu conseguir comprar os outros dois…Palacio da Meia Noite e Luzes de SEtembro…e eu espero realmente que esses ultimos sejam parecidos com Marina.Bjk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *