resenhas category image Eu, Alex Cross, James Patterson 17/04/12

Estava super curiosa para conhecer o lado investigativo e policial do James Patterson, já que esse foi o gênero que o consagrou como o autor de suspense mais vendido do mundo. Até o momento só havia lido o Diário de Suzana Para Nicolas, uma faceta mais romântica do escritor.

Eu, Alex Cross começa em clima de festa, com o famoso detetive comemorando em família mais um dos seus aniversários. Mas a festa dura pouco; durante a cantoria do parabéns, Cross recebe uma notícia que vai abalar não só a ele, mas toda a sua família: sua sobrinha, Caroline, foi brutalmente assassinada. Ele então parte em uma caçada desenfreada em busca do responsável e, para piorar, tudo indica que está prestes a encarar o caso mais difícil e bizarro da sua carreira.

Apenas nas primeiras páginas, já consegui facilmente entender o porquê de tamanho sucesso. A trama criada pelo Patterson é envolvente; com capítulos curtos já característicos do autor, que nos incetiva a seguir sempre em frente. Sabe aquele famoso: “vou ler apenas mais um e depois paro?”… pois é, a gente acaba lendo um monte.

O suspense está sempre presente. Alex não tarda a descobrir que a sua sobrinha era apenas uma pequena parte de um jogo criado por uma mente doentia, envolvendo muito mais do que aparentava à primeira vista: prostituição, um clube de luxo privativo, e interesses escusos bem maiores que o seu, hierarquicamente falando.
A medida que a investigação vai tomando forma, fica claro que pessoas extremamente poderosas estão envolvidas, só que é tudo muito incerto, nebuloso; pessoas que sabem um pouco mais do que deveriam, aparecem mortas de forma cruel; personagens ambíguos vão sendo inseridos à trama, mantendo o clima de mistério, de dúvida, sempre pairando no ar. Nem mesmo os próprios envolvidos nas mortes parecem saber quem é o mandante cruel, e até os elementos mais perigosos têm medo dessa figura onisciente: que tudo vê, tudo sabe, mas que não é conhecida por ninguém.

Em certos momentos eu ficava angustiada com o rumo que as coisas tomavam, com os riscos que o Alex e sua família pareciam estar correndo ao envolver-se em um jogo de poder tão alto. E aqui fica então, a minha única crítica negativa à história: se todos morriam tão facilmente, porque não matar também um dos detetives mais conceituados do momento e que, por sinal, ainda tinha um envolvimento pessoal com uma das vítimas envolvidas, ou seja, tornando-o bem mais propenso a não desistir até encontrar o culpado? Acho que seria uma das primeiras atitudes a ser tomada pelo assassino. Por outro lado, talvez a sua arrogância e superioridade, fossem as responsáveis por fazê-lo subestimar todos os demais.

A história é extremamente bem amarrada. Acho que tenho uma vocação inconsciente para a área criminal, então se você é como eu, que adora bancar o detetive, e passear por todo o processo investigativo que uma caça à um serial killer psicopata proporciona, Patterson lhe dá as boas vindas; o autor destrincha todo o andamento investigativo, passando pelos pormenores burocráticos, com um conhecimento de causa excepcional.

Não sei se é apenas neste livro, ou se isso se estende para os outros protagonizados pelo Alex, mas o lado pessoal e humano do detetive também é muito bem abordado. Como se não bastasse o seu envolvimento emocional no caso em si, ele também passa por momentos delicados no âmbito familiar, pois sua avó está com sérios problemas cardíacos e esse aspecto mais emocional foi outra das coisas que me agradou. Por ter lido anteriormente um romance do autor, conhecia esse lado mais familiar e que já havia conseguido mexer com as minhas emoções uma vez. Em Eu, Alex Cross ele vem em forma mais atenuada, mas ainda assim presente.

Só gostaria de ter tomado conhecimento de uma coisa antes de começar a história. Geralmente, a página que contém uma pequena biografia, mais especificamente o “Sobre o Autor”, fica no começo dos livros. Como dessa vez só pude lê-la ao final, apenas depois que terminei o livro fiquei sabendo que dois filmes policiais que gosto bastante são protagonizados pelo detetive Cross e, naturalmente, baseados em obras do James Patterson, sendo eles  Beijos que Matam e Na Teia da Aranha.

Como faz tempo que assisti a ambos os filmes, não recordava qual era o nome do detetive principal, e também não sabia que se tratavam de livros, originalmente. Fiquei estarrecida quando fiz a descoberta, principalmente a respeito do Beijos que Matam, um dos meus suspenses policiais preferidos, tendo o Morgan Freeman (Alex Cross) e a Ashley Judd, como os dois protagonistas; ou seja, mais uma surpresa, o Morgan já interpretou o Alex duas vezes nas telas, e eu o imaginava completamente diferente.

Agora já posso dizer que conheci duas facetas do mesmo autor e gostei de ambas. James Patterson escreve com a maturidade de um autor que sabe bem o que está fazendo; com conhecimento de causa, de campo e com a clara consciência de que está levando o leitor exatamente aonde ele quer chegar.

Título Original: I, Alex Cross
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 224
Gênero: Romance policial/Suspense
Cedido em parceria com a Arqueiro


Compartilhar
19 comentários
Postado por Eduarda Menezes em 17/04/12
Eduarda Menezes
Jornalista e blogueira literária. Devoradora compulsiva de livros. Lê quase de tudo, desde ficção científica até livrinhos de banca. Como não só de livros vive o ser humano, também se ocupa com outras atividades como ir ao Cinema, assistir séries de TV e adivinhar os vencedores do Oscar do próximo ano.
Deixe aqui seu comentário!

:wink: :-| :-x :twisted: :) 8-O :( :roll: :-P :oops: :-o :mrgreen: :lol: :idea: :-D :evil: :cry: 8) :arrow: :-? :?: :!:


19 comentários »
17/04/2012 às 04:17
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Duda, eu tinha certeza que você iria gostar do lado policial do Patterson. Ele é incrível. Sem mais.

Pelo que pude perceber, a história tem os mesmos elementos que havia em “O Dia da Caça”, único livro que li do autor, que aliás, prende o leitor do inicio ao fim. Não sei nesse, mas havia também muitas partes pesadas, o que eu também gostei bastante.

Quando descobri que o Freeman havia interpretado o Alex Cross em duas oportunidades, eu perguntei: “É isso mesmo? Oo”. Também não imaginava isso, mas depois me acostumei com a ideia rsrs

Espero ter a oportunidade de ler esse – e outros livro do Patterson – o quanto antes \o/

Beijos, Duda.
Ricardo – http://www.overshock.blogspot.com.br

[Responda]


17/04/2012 às 12:47
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Oi Duda, este livro eu aina não li, mas já li outros livros policiais de Patterson e gostei muito. Ele sabe mesmo fazer uma trama policial. Quanto aos filmes, pelo nome eu não lembro se já assisti, mas vou fuçar e descobrir,já é uma dica de filme.
Sua resenha está ótima, bem detalhada e me deixou com muita vontade de ler este livro.
Beijos

[Responda]


17/04/2012 às 12:57
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Heey Duda!

Ainda não li os livros do James Patternson, quero ler tanto o Diário de Suzana Para Nicolas, quanto outro livro do autor de gênero policial.

Sempre leio resenhas de diferentes livros dele, e nunca decido qual vou querer ler, sempre tem tanta opinião positiva em relação á eles que fico na dúvida.

Não conheço os filmes citados, mas conheço o ator e agora quando for ler o livro vou ficar pensando nele rs’

Ótima resenha!

Bj;*
Naty.

[Responda]


17/04/2012 às 13:18
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Nunca li nenhum livro do autor, mas esse aí me chamou atenção. Já saí por aí procurando livros dele e agora estou querendo todos rs. Talvez eu comece por esse, justamente por causa da sua resenha.
Sabe que não me lembro se já assisti os filmes? Vou aproveitar e ver também. Já estou toda empolgada rs.
Beijos,
Kimberlly – http://amoressobrenaturais.blogspot.com.br/

[Responda]


17/04/2012 às 18:35
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Duda :)
Este livro eu não conhecia mas gostei da resenha e da dica >.<
Vou ler mas vai demorar porque estou lendo “Assassin`s Creed” e “Jogos Vorazes” >.<

Mudando de assunto,você viu “Gone” no cine? eu vi e me decepcionei com o final..achei meio sei lá..muito normal sabe? kkkkk

Beijos e cuide-se

RIMAS DO PRETO

[Responda]


17/04/2012 às 21:59
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Oi,
já ouvi falar bastante desse autor e os livros dele me encanta, nunca tive a oportunidade de ler mas quero muito *-*

Bjs,
http://darkening.freetzi.com/

[Responda]


17/04/2012 às 22:14
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Oi querida!
Eu ainda preciso conhecer essa outra faceta do James, parece ser tão incrível quanto à romântica!
Não sabia que os filmes eram adaptações dos livros, mas eu também não os assisti. Só de ter o Morgan Freeman já sei que é bom!
Sua resenha me empolgou muito em ler algo do autor, espero poder fazer isso logo!
Beijão!

[Responda]


18/04/2012 às 01:23
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Também só tinha lido o Diário de Suzana Para Nícolas,que alias e um dos meus livros preferidos,preciso ler outros livros do James Patterson desse gênero policial,olha adoro filmes já vir vários mas esse dois”Beijos que Matam” e “Na Teia da Aranha” ainda não vi mas vai para a minha lista de filmes.

[Responda]


18/04/2012 às 03:28
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Tenho muita vontade de ler os livros do James Patterson e essa era a minha escolha para começar. Ainda não tinha lido uma resenha dele, entao adorei ler a sua =)
Ainda bem que gostou! me animei pra ler. Vou procurar ele :)

beijoo

[Responda]


18/04/2012 às 16:09
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Oi, Duda, ainda não tive oportunidade de ler nenhuma obra do autor, mas quero muito conhecê-lo.
Gosto destes suspenses que nos envolvem, um autor cumpre sua “missão” quando deixa um leitor “angustiado” (entre outras sensações) com o que ele escreve.
Também acho fundamental saber desenvolver o lado emocional/psicológico dos investigadores, detetives etc, para deixá-los mais acessíveis.

Beijos!

Ps. Enviei um email pedindo uma ajudinha.

[Responda]


18/04/2012 às 18:03
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Oi Duda.
Nunca li nenhum livro desse autor, mas vontade não me falta! Primeiro quero começar com Diário de Suzana para Nicolas e depois partir para estes de suspense.Espero gostar tanto quanto você.
Beijos

[Responda]


18/04/2012 às 22:09
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Oi Eduarda

Me identifiquei com o seu questionamento sobre o assassino não matar o Alex, outro livro dele também me fez pensar nisso.
Eu vi esse filme do Morgan Freeman e Ashley Judd faz tempo e também não sabia que ele era o Alez. Agora quero ler O Diário de Suzana para Nicolas para conhecer o outro lado do autor.

:)

[Responda]


18/04/2012 às 22:35
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Uau!
nunca pensei em ler esse livro mas sua resenha me deixou bem curiosa! Gosto do clima de misterio e investigação, além disso, parece mesmo interessante essa trama! E vc disse que é bem amarrada e tem capítulos curtos e eu amo isso! Essa coisa de ‘lerei mais um e só’ rs
E mt legal essa coisa do filme! Hahha é tão legal descobrir isso… Eu AMO o Freeman, mas nunca vi estes filmes! Irei procurar!

bjs
Evellyn!

[Responda]


19/04/2012 às 02:16
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

E a Camila aqui sem nunca ter lido nada do autor! =( sei lá, eu simplesmente nao fico muito atraída pelos livros dele, mas com tanta gente falando bem é pq tem alguma coisa aí né kkk

[Responda]


19/04/2012 às 23:58
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Duuuda, tão feliz que você gostou!
Eu também li o romance dele, mas ainda não havia tido a oportunidade de ler um policial.
Eu tenho esse livro, só que a pilha de livros para resenha está imensa e não tenho conseguido encaixar leituras de lazer.
Eu já assisti a pelo menos um desses filmes com o Cross, interpretado pelo Morgan Freeman.
Aliás, eu quero ler antes que o filme de Eu, Alex Cross, saia.
O James Patterson é muito bom quando trabalha o perfil psicológico dos personagens. Não seria novidade, ver isso com o Cross.
Adorei a sua resenha, Duda! Muito boa (o que não é novidade, né, gente?!)
Beijão!

[Responda]


21/04/2012 às 20:49
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Oi Duda!
Eu ainda não li nada do James Patterson, mas tenho bastante curiosidade em relação aos seus livros, já que fazem tanto sucesso.
Eu, Alex Cross, parece ser bem legal, do jeito que eu gosto (já que amo bancar a investigadora, mesmo sendo terrível nisso!).
Acho que bons livros com tema policial são difíceis de achar, já que não é qualquer escritor que consegue prender a sua atenção e te deixar completamente atenta na história.
Essa característica de capítulos curtos também funciona, já que como você disse, nós acabamos lendo vários de uma vez.
Não sabia que esses filmes eram baseados em livros dele, não vi nenhum dos dois, mas já ouvi falar.
Adorei sua resenha, e desculpe o meu sumiço por aqui!
Beijinhos
Michelle, Minha Bagunça

[Responda]


22/04/2012 às 12:47
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Ahh quero ler logo um livro do Patterson! Amo esse tipo de livro mais ainda não tive oportunidade de ler. Quero começar do começo, ler todos os livros e ver os filmes também =D.

[Responda]


22/04/2012 às 18:13
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Amo suspense e já li maravilhas sobre este livro, não vejo a hr de conferir eu mesma, :)

Bjuss.

[Responda]


26/04/2012 às 15:47
Visitante assíduo e já deixou 6387 comentários.

Ah, até o momento só li um livro do James Patterson e por incrível que pareça mais um vez vou contra a maioria das pessoas, não gostei da narrativa e muito menos dos personagens, mas enfim, isso é minha opinião. Adorei ler a sua resenha, é sempre bom vermos o ponto de vista de mais pessoas.

Beijos&beijos
Book is life

[Responda]