MENU

by • maio 2, 2012 • ResenhasComments (25)2128

[Resenha] Viva Para Contar, de Lisa Gardner

Crianças psicóticas + Investigação eletrizante. A história é habilmente dividida de acordo com os dias da semana e através de três pontos de vista: cada um protagonizado pelas três personagens centrais da trama.  Um deles em primeira pessoa onde conhecemos a trágica história de vida de Danielle, jovem enfermeira psiquiátrica cheia de fantasmas no passado, especializada nos cuidados de crianças com problemas mentais, a maioria delas em estado grave e avançado.

A segunda narrativa é feita em terceira pessoa e é a principal do livro – também a melhor – protagonizada pela detetive D. D. Warren, policial durona e extremamente competente, responsável por investigar um crime cometido nos arredores de Boston envolvendo extermínio de família. D. D., no entanto, percebe que o pesadelo está apenas prestes a começar quando mais mortes começam a acontecer.

A terceira é contada pelo ponto de vista de Victoria, mãe que dedica-se em tempo integral a proteger o filho de 9 anos contra os perigos do mundo, e, principalmente, proteger o mundo contra o perigo do seu filho, uma criança diferente e extremamente violenta.

As três narrativas são de tirar o fôlego. Lisa Gardner consegue envolver até o leitor mais desinteressado com a sua escrita habilidosa e extremo domínio de escrita. Os personagens são bem desenvolvidos e cada um é de suma importância ao enredo. As histórias, aparentemente desassociadas uma das outras, aos poucos vão sendo entrelaçadas como um quebra-cabeça mortal, rumo ao clímax final.

Fiquei hipnotizada e espantada com os relatos detalhados e cheios de conhecimento das cenas dos crimes. Não é fácil conseguir conduzir uma investigação de tamanho porte como a encontrada em Viva Para Contar, mas a autora conseguiu fazer com que nos sentíssemos no centro de tudo, como se fizéssemos parte daquilo. Ela deu vida a cada policial, a cada diálogo questionador, a cada pista que levava a outra pista e nos deixava naquela ansiedade para saber o que viria a seguir.

Se já é difícil uma ambientação tão bem construída, o que dizer de um assunto tão pesado quanto crianças psicóticas? Em cada uma das três histórias percebemos ser esse o tema central e também a reposta para a pergunta que não cala em nossas mentes: O que está acontecendo? Me espantei com a maneira crua e real que a autora conseguiu falar sobre o assunto, a habilidade adquirida para abordar sobre o tema.

Sempre quando encontramos uma criança violenta que estampa o tipo de manchete onde os filhos mataram os pais ou exterminaram a professora, nos indagamos o tipo de ambiente familiar onde ele vivia, como eram os seus pais e a parcela de culpa que tiveram para que tal coisa acontecesse. Mas e quando essas crianças vivem em um ambiente familiar cheio de amor, com pais responsável e irmãos carinhosos? A própria autora relata que teve a ideia para o livro através de uma amiga e mãe amorosa que teve um problema com o filho violento. Podemos perceber que ela pesquisou a fundo sobre o assunto para montar a história, chegando a passar um tempo numa clínica psiquiátrica parecida com a fictícia que criou.

Este é o 4º livro da série D. D. Warren que já foi lançada até o 6º nos Estados Unidos, e mostra o início de um relacionamento amoroso da detetive que ainda irá se prolongar pelos volumes seguintes. Mais uma vez, temos uma série de livros lançada fora de ordem no Brasil e, particularmente, fiquei curiosíssima para conhecer outros títulos da mesma autora, de preferência com a mesma protagonista. Há tempos que não perdia completamente a noção da hora, a ponto de não notar o dia amanhecer por causa de um livro. Se você gosta de thrillers complexos, envolventes, extremamente bem escritos e hipnotizantes, não deixe de ler este livro.

Título Original: Live to Tell
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 480
Gênero: Romance policial/Suspense
Cedido em parceria com a Novo Conceito

Related Posts

25 Responses to [Resenha] Viva Para Contar, de Lisa Gardner

  1. Aione Simões disse:

    Duda, preciso ler esse livro agora mesmo!
    Seu comentário sobre ele já havia me empolgado, então quando vi que você postou a resenha, corri aqui para lê-la. Aliás, ela serviu para completar minha vontade de lê-lo e a tornou ainda mais urgente!
    Adoro suspenses, adoro thrillers psicológicos.
    Tenho certeza que vou gostar desse livro, e é muito curioso que todos tenham o avaliado com nota máximo até o momento. A editora acertou na publicação, pelo visto!
    Beijão!

  2. Gabi disse:

    Eu estou com o livro aqui. A tua resenha aumentou minha vontade de ler. O tempo anda curto, mas assim que possível eu lerei. Nunca li nada policial e quero ver o que eu acho do gênero.

    Gabi

  3. Olá, Duda. Que resenha é essa, ein? 😮 Parabéns \o/
    Sério, assim como você, esperava muito por esse livro e a expectativa só cresce. Com sua resenha isso ficou ainda mais claro.

    Thrillers sempre chamam a atenção por tudo o que envolve a história, e pelo visto, encontramos em Viva para Contar todos esses elementos fantásticos. Histórias pesadas são as que mais chamam a atenção e dessa vez não foi diferente. Não posso dizer muito, ainda, mas pelas suas palavras, vai entrar pra lista dos favoritos.

    (O livro chegou hoje e acredito que será necessário passá-lo na frente de muitos outros livros da NC \o/)

    Novamente parabéns (como sempre, uma resenha é melhor do que a outra).

    Beijos
    Ricardo – http://www.overshock.blogspot.com.br

  4. Quaaaando a minha caixa da NC chegar, este vai ser o primeiro a ser lido, com certeza. Tô precisando de um suspense que amarre minhas mãos às páginas do livro. Li outros livros MUITO bons este ano, mas sei que se você diz que foi o melhor do ano, não está errada. Gosto de livros com “narrativas alternadas”, enriquece os detalhes, embora poucos autores usem a tática.
    Fiquei super ansiosa agora, acho que faz tempo que não pego suspenses psicológicos envolvendo crianças com problemas.

    Beijo!

  5. Sofia disse:

    Duda, tava com saudade! Eu sinceramente adoooro livros de suspense, trama envolvente… Principalmente quando o autor estuda bastante, deixando a estória extremamente profunda. Vc me deixou curiosa, adorei o post! Beijos, Sofia

  6. Oi flor,
    Sabe que e a primeira resenha que leu deste livro nem tinha ideia sobre o que contava a historia mas me chamou a atenção parece ser bem hipnotizante mesmo..rsrs…um suspense misturado com um terror..rsrs…espero logo conseguir ler tambem.
    Bjkssss
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com/

  7. Luana Melo disse:

    Noooossa Duda!
    Que resenha hein? Vou logo cuidar de ler o meu sabe? Por quê você me deixou ainda mais curiosa!
    Beijos Conterrânea!

    http://luahmelo.blogspot.com

  8. Parabéns pela resenha Eduarda! Estou ansiosa para ler Viva para Contar! Beijos!

  9. jayane disse:

    Nossa parece ser aqueles livros de tirar o folego,me interessei muito já vai para a minha lista do skoob.

  10. Próximo da lista e ponto final.

    Duda, não esperava tudo isso do livro não!
    Havia lido a sinopse dele meio que ‘por cima’ e não pensei que fosse tudo isso não.

    Ainda mais agora que estou fascinada por livros de investigação, ação e suspense, preciso ler este livro.

    Pelo jeito a narrativa é realmente muito boa, para conseguir prender voce assim (porque convenhamos que o livro é enorme!).

    Beeeeeeijos!
    Bia | http://www.livroseatitudes.com.br

  11. oi, Eduarda!
    Olha, confesso pra ti que eu adoro livros assim, com muito suspense e tramas bem elaboradas, mas eu fiquei com o pé meio atrás agora, hein?! Ano passado li um livro que era meio “realidade nua e crua” e eu quase não consigo terminar de ler (na verdade, eu queria abandonar à cada duas páginas haha).
    Não sei… Parece um livro realmente bom, mas será que tenho estômago? =P Se cair em minhas mãos um dia, tentarei 😀

    Beijoka ;*

  12. Eu achei a capa maravilhosa, super linda e atrativa, gostei muito mesmo da sua resenha, me deixou ”passada”! Essa mulher é um Harlan Coben de saias! rs.
    Eu adoro livros de suspense e quando leio um bom livro da Agatha Christie não sossego enquanto não termino o livro e descubro o que está acontecendo!

  13. leitura hot disse:

    Oi Eduarda!
    Puxa pela sua resenha o livro deve ser ótimo mesmo! Fiquei intrigada..rsrs..apesar de não bater aquele olhar 43 com a capa do livro..kkkkkk
    ótima resenha flor!

    Beijokas
    Amanda
    leiturahot.blogspot.com

  14. Ceile disse:

    Nossa! Não imaginava que o livro tratasse deste assunto :O Eu sabia que era algo um pouco complexo mesmo, só pela capa e pelo “quebra-cabeça” que veio no kit, mas falando sobre as crianças? Nós pensamos mesmo nestas coisas quando vemos num noticiário, mas nunca admitimos que a culpa pode ser unicamente da criança. Até porque é um assunto delicado e é um tabu, né? Pensar em criança é pensar em inocência, pureza… E se não for regra, né? Tenho que ler este livro o quanto antes! Talvez eu me “assuste” um pouco e tenha certo receio de “acatar” os fatos, já que, sabe, né, mãe sempre tem como base seu filho, então… Amei sua resenha! – Tipo, como assim eles lançaram o quarto e este tem um gancho para outro? Será que vão lançar também o 5º e o 6º? O_o
    Um beijo!

  15. Aline Coelho disse:

    Minha querida mais uma bela resenha =)
    Confesso que só vc para me fazer ficar curiosa com esse tipo de livro, não sou muito fã!!!
    Sobre essa questão da criança, acredito que algumas já nascem com dom para o mal e não tem boa criação que resolva =(
    bjos linda.

  16. Aline Almeida disse:

    Só o primeiro paragrafo da sua resenha já me deixou morendo de curiosidade, estou louca para comprar o livro e começar a ler logo.
    *-*

  17. Luana Feres disse:

    Dudinha, que resenha fenomenal! Que livro intrigante, que trama que já me deixou com água na boca só pela sua forma de descrevê-lo. Nem preciso dizer que sou fascinada por essa temática e acho extremamente interessante ler e conhecer as mentes, o ambiente em que vive as mentes mais pertubadas. A Garner me lembrou a Shriver (aliás, já começou a ler Precisamos falar sobre o Kevin?) e isso é um ponto muito positivo!
    Gostei da estrutura do livro, as divisões e o fato de continuar um livro profundo, se passando em menos de uma semana; não são muitos autores que conseguem construir uma narrativa dessa maneira.
    Lerei em breve, com certeza! Talvez até compre de presente de dia das mães (sei que é um presente meio estranho, mas ela também adora essa temática) :)Obrigada pela indicação, haha.

    Beijos!

  18. Lucas Martins disse:

    Duuuuuuuuda, que bom que você gostou! Sério! Estava para baixo, em dúvida se leria ou não (vi um vídeo criticando o fato de ser o quarto livro da série), agora fiquei com muita vontade de ler, de verdade!
    Gosto muito de livros assim, eletrizantes, daqueles que não conseguimos largar. Acho que vou ler antes de A Casa das Orquídeas, já que se vou pegar, vou ler sem parar, rsrs
    Enfim, fiquei realmente muito animado, Duda! Obrigado e ótima resenha!
    Beijão!

  19. wow, esse livro deve ser muito melhor que CSI haha (;

  20. Aaaaaah Duda, não faz isso comigo rsrs’
    Eu não tenho esse livro e com uma resenha dessas eu fico louca para comprar sendo que não posso gastar D: como faz?
    E eu sou apaixonada por livros assim. Adorei o enredo do livro, contado por você sabe? Gosto de livros que me prendam, que fazem eu virar a noite sem perceber, e esse é um dos quais isso perigoso acontecer õ/
    Anciosa para comprar e le-lo.
    E ah sua resenha ficou ótima tá?? rsrs’
    Beejos

    Ana Magiero
    Garota Sonhadora Em Livros

  21. Ana Ferreira disse:

    Duda, com tanta empolgação fica difícil não querermos nós mesmos pegar nossos exemplares de “Viva para Contar” e lê-los agora.
    Particularmente falando, não tenho nenhum interesse especial em thrillers, mas sei reconhecer uma boa história quando estou diante dela e na obra de Lisa Gardner tudo pende para isso. Crianças psicóticas é um tema que mexe com nossas mentes, mas estou disposta a entendê-lo mais a fundo.
    Sua resenha ficou ótima 🙂

    Beijão!
    Ana – Na Parede do Quarto

  22. Oi Duda!
    Esse livro parece intenso! Também notei que no Skoob só tinha nota máxima até um tempo atrás. Acho que tentamos simplesmente inventar desculpas pelas crianças que agem desse modo, pensando que a culpa será toda dos pais. Mas realmente, acho que vai de cada um, mesmo que as vezes os pais tenham mesmo parcelas de culpa.

    Beijos!

  23. Nossa, juro que até ler sua resenha eu não dava nada pelo livro hahah. Não tinha me chamado a mínima atenção, mas fiquei morrendo de curiosidade agora. A trama me parece bem diferente e interessante, embora eu não curta muito romance policial.
    Adorei sua resenha, muito bem estruturada =)

    Beijoss
    Thaís – Instinto de Leitura

  24. Lívia Dias disse:

    Concordo com Thais viu,nada no livro me chamou atenção, mas com sua resenha fiquei na curiosidade. Não leio livros desse tipo, mas esse eu quero ler ! Resenha show 😉

  25. Oi Duda!
    Vejo pelos posts anteriores que estou um pouco “atrasada” com este livro.. Mas como só conheci seu blog em Novembro de 2012, fiquei sabendo deste maravilhoso livro somente na sua retorspectiva do ano… E posso dizer que este jã se tornou um dos meus preferidos!!! Não vejo a hora de ler mais livros da detetive D. D. Warren…

    Mais uma vez parabéns pelo blog e pelas resenhas!

    Bjo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *