MENU

by • outubro 4, 2012 • ResenhasComments (25)2392

[Resenha] Coraline, de Neil Gaiman

Se alguém me contasse a história de Coraline quando criança eu teria sérios problemas com portas estranhas entreabertas. Interessante, macabro e assustador, o livro mexe completamente com o imaginário de crianças e adultos ao contar uma história de terror aparentemente infantil, mas que também se ajusta perfeitamente à infância perdida dos mais crescidos.

Histórias de terror sempre causaram um certo magnetismo no imaginário coletivo, principalmente quando somos mais novos e ávidos por esse tipo de emoção. Porém, dificilmente uma publicação do gênero voltada para o público infantil irá interessar o adulto, Coraline é uma das exceções.

A linguagem é simples e sem muitos preâmbulos. Começamos acompanhando uma menina entediada andando pela nova casa – da mesma forma que costumávamos fazer no nosso tempo ocioso de outrora – emburrada por seus pais precisarem trabalhar e não lhe darem toda a atenção que gostaria. Só que bem diferente do lugar onde as nossas explorações entediantes nos levaram, Coraline descobre uma porta secreta que a leva a um mundo paralelo exatamente igual ao que vive, com a diferença de que lá os seus outros pais têm todo o tempo do mundo e ela pode fazer o que quiser; a primeira vista é tudo muito maravilhoso, maravilhoso até demais para ser verdade, é então quando ela começa a perceber os detalhes… pequenos detalhes perturbadores que a fazem querer sair dali o mais rápido possível.

“Seus outros pais ficaram em pé no vão da porta da cozinha, sorrindo sorrisos idênticos e acenando lentamente com as mãos enquanto Coraline seguia pelo corredor.”

Ao longo da história podemos perceber algumas influências na escrita do Gaiman. Nesse novo mundo bizarro, a garota encontra como aliado um adorável gato preto, responsável pelos diálogos mais interessantes do livro, e imediatamente lembramos do famoso gato de Cheshire, presente na história da Alice; aliás, não apenas nesse ponto, mas as andanças de exploração da garota lembram muito aquelas feitas pela loirinha no país das maravilhas, com a grande diferença que de maravilhoso o cenário da Coraline não tem nada. É possível fazer também uma rápida alusão à Nárnia e a sua passagem secreta, só que aqui, mais uma vez, há lugares que é melhor permanecerem fechados para sempre.

“- Nós… poderíamos ser amigos, sabe? – disse Coraline.
– Nós poderíamos ser espécimes raros de uma raça exótica de elefantes africanos dançarinos – respondeu o gato. – Mas não somos. Pelo menos – acrescentou felinamente depois de disparar um rápido olhar para Coraline – eu, não sou.”

As páginas vão virando e a coisa vai ficando ainda mais assustadora. Porém, como em toda história infantil, há diversas lições e conselhos práticos voltados para a boa formação dos pimpolhos em desenvolvimento. A coragem da protagonista é contagiante e enternecedora, principalmente em um momento quando ela conta um relato comovente de um episódio passado com seu pai, e discursa de forma didática sobre o real significado do que é ser corajosa.

Há também mensagens sobre perseverança, bondade e a força interior que existe dentro de nós quando impulsionados pelo amor. Em última instância, pode até mesmo gerar uma breve reflexão de que nunca devemos reclamar do pouco que temos, pois ele pode ser bem melhor do que diversos muitos por aí. E é por isso que Coraline é um daqueles preciosos exemplares para todas as idades (com algumas exceções); talvez eu não tivesse coragem de contar a história para o meu filho de 6, 7 anos, por exemplo. Tenho certeza de que ele, por outro lado, adoraria escutá-la.

“Coraline respirou fundo e pisou na escuridão onde vozes estranhas sussurravam e ventos longínquos sibilavam. Tinha certeza de que havia algo atrás dela no escuro: algo muito velho e muito lento. Seu coração batia com tanta força e tão alto, que teve medo dele estourar em seu peito. Fechou os olhos contra a escuridão.”

Título Original: Coraline
Editora: Rocco
Número de Páginas: 160
Gênero: Infanto-juvenil/Sobrenatural

Related Posts

25 Responses to [Resenha] Coraline, de Neil Gaiman

  1. Duda, já faz um tempo que assisti o filme Coraline e eu não classificaria ele como uma animação para crianças, até mesmo pelas cores porque Coraline é sombrio e lembro que Netto até hoje não se interessou em assistir porque os tons escuros dão medo nele [se bem que Netto tem 4 anos].
    Eu também coloco na lista de animações que não foram direcionadas para crianças A noiva cadáver e A casa monstro. Afinal, crianças gostam de cores.

    Voltando, assisti ao filme e não fazia ideia de que Coraline era um livro, descobri há um tempo no Submarino porque o livro sempre está em promoção, mas algo até hoje me impediu de comprar, faltava interesse, dinheiro e agora promoções de frete grátis, rs.
    Muitas pessoas falam que Neil Gaiman é um excelente escritor, mas como o autor escreve mais contos, não tenho muita curiosidade pela obra dele.
    A capa deste livro é macabra!
    Eu considero raro um livro de terror realmente causar terror numa pessoa e fico surpresa que Coraline cumpra com o prometido. Acho fundamental que livros para crianças transmitam algum ensinamento. E só lamento porque depois de adultos, apesar de entendermos as lições de moral, nós não mudamos mais, mas eu ainda não sou adulta.
    Pimpolhos é uma palavra legal. Apesar de eu nunca tê-la usado para me referir a algum pirralho [hauahuahuaha].

    Beijocas!

  2. Duda, como sempre eu chata olhando tudo!
    Lá no post “Sete pecados literários” você colocou o código da lista de reprodução
    Daí, como você atualizou o canal no youtube, o vídeo que está aparecendo no post é sobre as leituras de setembro.
    Dá um conferida lá!
    Beijocas!

  3. Sofia disse:

    Ooi Duda! Gosto de coisas assim, acho muito interessante! Não conhecia a história, mas vou procurar o filme para ter uma noção… Outro dia mesmo assisti um filme que não era de animação, sombrio e adorei! Acredito que se eu lesse ou assistisse Coraline adoraria!

    Beijos

  4. Mônica disse:

    Oi Duda, estou totalmente por fora desse livro, sei que já li resenha dele, mas nem lembrava mais. MAs agora, a sua resenha me deixou curiosa e com vontade de ler o livro.
    Beijos

  5. Adoro o Neil Gaiman, tenho esse livro e tb adorei o filme. rs

  6. Sammy disse:

    Com certeza é um daqueles livros que vão nos envolver em seus misterios, com suspense e segredos! Adorei como você fez a resenha, deixando para nós leitores, um gostinho do livro. Coraline, já esta na minha lista de próximas leituras =D

    Bjs

    Da Imaginação a Escrita

  7. Se meu amigo – ele é muito fã de Coraline – lesse essa resenha, acho que ele já seria seu amigo automaticamente, não sei porque. Mas enquanto ele tenta me influenciar, eu, mesmo curiosa, nunca tive a oportunidade de ler esse livro e com essa resenha – nunca tinha uma resenha dele também – vou ficar matando alguém para tê-lo.
    Parece ser muito bom, gostei da resenha e agora tenho que ficar curiosa T.T
    Beijos,
    Shake Your World

  8. Lili disse:

    Eu tenho e estou louca pra ler.
    Amei o filme e fiquei fascinada pela história, espero sentir o mesmo no livro.

    Também pensei no gato de Alice, mas não fiz a relação com Narnia. Talvez porque seja até comum essa coisa de uma porta ou passagem que leve a outro mundo.

    Você viu aquele seriado Lost in Austen? Aquilo foi muito Narnia, só que com a porta no banheiro hehehe A diferença é que os encantamentos estavam em ser uma dimensão literária.

    liliescreve.blogspot.com

  9. Aione Simões disse:

    Duda, nunca li nada do autor, mas preciso dar uma chance e logo. Coraline parece ser uma boa forma de começar!
    Gosto quando o livro mescla bem diferentes aspectos e esse chama a atenção por ser “infantil”, reflexivo e cumprir bem a função do terror.
    Enfim, sua resenha definitivamente me deixou curiosa pelo livro 🙂
    Beijão!

  10. Nossa eu amo o filme da Coraline *-* Amo essas coisas de suspense e tals. Sem quis ler o livro mas minha mãe acha q os livros são as mesmas coisas q os filmes então diz que não precisa comprar -.-‘

    blog-teenageworld|blogspot|com

  11. Ana Caroline disse:

    Eu sou completamente viciada nesse filme. É fascinante como a história consegue ser horrorosa e ao mesmo tempo seguir os critérios infantis a ponto de nos passar lições importantes para qualquer idade. Ser em stop motion torna tudo ainda melhor, porque acho incrível como esses filmes são feitos, o trabalho perfeito que leva tanto tempo pra ser feito.
    Mas, voltando ao livro, eu soube que existia desde a primeira vez que vi o filme; mesmo assim, não tive nenhuma oportunidade para lê-lo. Sempre que vou na biblioteca não está disponível e só acho pra comprar na internet, o que não gosto haha. Na minha lista de desejados há décadas.

    http://queridos-sapiens.blogspot.com.br/

  12. Oi Duda

    Eu gostei muito de Coraline – livro e filme, acho que você disse tudo e alias fechou com chave de ouro, não iria querer contar mas a criança adoraria ouvir. Acho que Coraline e O livro do cemitério eu teria adorado ouvir lá na infância.

    Bjus

  13. Neil Gaiman para crianças? Isso eu realmente não esperava, Duda.
    Na verdade sei muito pouco sobre o trabalho do Gaiman (você já deve ter percebido a quantidade de pecados que tenho cometido em relação a isso), mas nunca imaginei isso. Gostei da ideia, como também gostei de tudo o que parece ter por trás da história.
    Quando você citou influência logo pensei em Allan Poe e depois me achei ridículo por pensar isso. Acho que uma história como essa não poderia ser influenciado por Poe. Ou será que sim?
    Vi o pessoal comentando sobre o filme. Vou procurar ler ao livro e também assistir a esse filme. Gostei da forma como você comentou sobre a obra e mais uma vez despertou o interesse.

    Parabéns pela resenha, Duda.
    Beijos

  14. Duda Oliveira disse:

    Oi, Duda!
    Desculpe-me por nunca mais ter passado aqui, a minha vida está bem apertada!
    Que coincidência! Esta semana mesmo estava comentando sobre livros com uma amiga minha e ela citou “Coraline”.
    Nunca vi o filme nem li o livro, mas tenho muita curiosidade.
    Parece ser como as animações de Tim Button, um humor negro, certo?
    Na verdade, quem sou eu para ficar comentando se ao menos li? Hahahaahah
    Já adicionei a minha listinha de compras!
    Mil beijos, flor!
    Duda – http://dudaoliveira10.blogspot.com.br

  15. Pabline disse:

    Esse livro me lembra das histórias originais infantis, que tinha esse cunho assustador para justamente lhes dá a lição de moral, o que difere das histórias que conhecemos hoje, já que foram amenizadas no quesito terror muahaha.

    Sinceramente, fiquei muito interessada. Parece incrível *.*
    Deixo adicionar no Skoob para não esquecer XD

    Amei a resenha, fiquei super animada com a obra 😀

    BJ!

    -Amigas Entre Livros-

  16. Lucas Martins disse:

    Eu tenho o livro, Duda, mas ainda não tive a oportunidade de ler. Mesmo sabendo que é uma leitura que pode ser facilmente efetuada, deixei a leitura para depois, mas agora fiquei novamente interessado, pois não imaginava essa questãozinha do terror. Não algo que fosse assustar uma criança de 6 ou 7 anos.
    Se eu conseguir me livrar um pouco da pilha, pego ele ainda essa semana!
    Beijão!

  17. Julia disse:

    Oi Duda!
    Eu vi esse livro uma vez na livraria, acho que pouco depois de terem lançado o filme. Eu achava que era uma estória bem parecida mesmo com Alice no País das Maravilhas, com todo aquele ar de estória de criança. Nunca imaginei por um momento que era de terror! Fiquei bastante empolgada para ler ele agora, porque tenho uma pequena queda por coisas macabras, haha. Às vezes, as coisas são tão perfeitas que assustam.
    Beijos!
    The Books Thief.

  18. Aline Coelho disse:

    Tenho muita vontade de ler e ver o filme, mas ainda não tive oportunidade. Adorei ler sua resenha porque assim pude saber um pouco mais sobre essa história. Outro ponto que achei interessante foi que eu concordo Qnd vc fala que tem uns pontos parecidos com Alice no pais das maravilhas!!!,

  19. Manu Hitz disse:

    Oi, Duda. Não vi o filme – até tinha interesse em ver, mas acabei esquecendo.
    Adorei sua sinopse e observações. Fiquei muito interessada em ler o livro com meu filho adolescente de 13 anos, porque ele não costuma ler, apesar da minha insistência. Quem sabe essa leitura, que me pareceu instigante, lendo juntos? Não sou muito de livros de suspense, mas esse me despertou a curiosidade – provocar o medo na minha criança adormecida, talvez, rsrs.

  20. Ana Ferreira disse:

    Duda, curiosamente, a sua é a segunda resenha de “Coraline” que leio hoje, fazendo com que minha vontade de ler esse livro famosíssimo de Neil Gaiman só aumente.
    Tudo no cenário do autor é meio sombrio, mas acho fantástica essa sacada de passar boas lições e ensinamentos sobre a coragem e a bondade das crianças.
    Sem contar que ele escreve muito bem. Adorei as quotes que você selecionou, especialmente essa última, que serviu perfeitamente bem para ilustrar o mundo sombrio de Gaiman.
    Ótima resenha!
    Beijão!

  21. Juliana Pires disse:

    Eu li esse livro há pouco tempo, e que história interessante, eu adoro personagens infantis como Coraline, corajosa, destemida, ainda sim uma criança que não entende direito os porquês do mundo, mais é esperta o suficiente para imaginá-los.
    Neil Gaiman tem um escrita apaixonante, eu tenho como meta ler todos os livros dele, comecei um outro logo depois que terminei Coraline, e posso dizer que ele tem uma paixão por mistérios macabros.

    Beijokas

  22. Brubs. disse:

    Eu sabia que existia o filme(que não assisti ainda) não sabia que tinha livro e só descobri em umas das promoções do Submarino, desde então, estou louca para ler, mais faltava alguma pessoa de confiança resenhar hahahaha…Agora que você resenhou, pode ter certeza que em um futuro próximo eu vou ler ^^
    Ótima resenha…
    Beijos
    Bruna
    Livros de Cabeceira

  23. Há muito tempo tenho vontade de ler Neil Gaiman, e meu sonho é ter Sandman completinho na minha estante. Coraline ainda não li, mas quero, mesmo antes de ter visto o filme. Mas vou começar por Coisas Frágeis 2, porque tem poesias também.
    Uma bela resenha, como sempre, Duda!
    Xerinhos

  24. Jaqueline disse:

    Oi Duda!

    Eu assisti ao filme já faz um tempinho mas eu lembro que tinha gostado muito, na verdade eu não sabia que era um livro até você mostrar no seu vídeo.
    Fiquei muito curiosa para conferir^^

    Beijos.

  25. Evelin disse:

    Eu já li o livro , eu só não sabia a lição do livro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *