MENU

by • novembro 21, 2012 • ResenhasComments (34)2991

[Resenha] Invisíveis, de Stef Penney

Rose desapareceu há anos. Logo após o seu casamento com o enigmático Ivo Janko, ela sumiu sem deixar vestígios e, segundo o marido, acompanhada de um gorjio (alguém não cigano). Sem notícias da filha, principalmente após a morte da mãe, o seu pai teme o pior e contrata um detetive profissional como último recurso.

Existem ótimos pontos positivos, e alguns negativos, em relação a Invisíveis. Há momentos incríveis na narrativa da Penney, e fica evidente o quão boa romancista ela é. Os personagens são reais, adquirem vida ao longo das páginas e, em momento algum, a história parece inverossímil ou forçada, pelo contrário, a autora é habilidosa e conduz a narrativa com a mão de quem tem conhecimento e está seguro do que escreve.

Outro ponto incrível: os ciganos. Praticamente todos os personagens no livro são ciganos, mas não aqueles ciganos caricatos que a gente tanto ouve falar, e sim ciganos reais e bem delineados em seus papéis. Descrições, costumes e estilo de vida são muito bem colocados ao longo do enredo, assim como o preconceito, as dificuldades e o mundo cigano mesclado ao mundo gorjio. É um mergulho muito interessante dentro de uma cultura tão diferente da nossa, ainda mais com o pano de fundo de um desaparecimento aparentemente sem explicação.

“Durante o Holocausto, os ciganos eram exterminados a gás junto com os judeus. Mas, se você fosse apenas 1/4 judeu, contava como não judeu e tinha permissão para viver. Mas, se fosse apenas 1/16 cigano, você ainda era um cigano e ia diretamente para a câmara de gás.”

O desaparecimento funciona como impulso a todas as questões fundamentais que serão abordadas ao longo do enredo, sejam elas relacionadas a ele, ou não. O que realmente aconteceu com Rose? Por que os Janko são tão reticentes em relação a alguns aspectos do passado e como isso está interligado com o sumiço da personagem? Adeptos de uma cultura onde o ir e vir é tão comum, e o resto da população parece não se preocupar e, até mesmo, evitar o que é diferente e estranho ao seu estilo de vida, o truque do desaparecimento torna-se não só possível como esperado. Não há como procurar o que já se apresenta invisível desde o começo.

A partir da premissa central surgirão ramificações do mistério, caminhos não imaginados que irão envolver e sugar o detetive Ray para dentro da história da família chegando ao ponto em que a solução de um, levará apenas a formação de outros. Tudo isso só serviria para deixar a história ainda melhor, e não é que não funcione, só que nesse ponto algumas coisas se mostraram um pouco óbvias e não senti a surpresa pela qual estava ansiando; inclusive, tendo em mãos o ponto de vista de outra pessoa que não apenas o detetive – já que os capítulos são intercalados pela visão de Ray –  e de um jovem cigano da família Janko, cheguei a solucionar o mistério muito antes das páginas finais, o que por si só não seria um problema, se não conjunto com o fato de que esperava bem mais do clímax.

Com os seus altos e alguns baixos, o livro como um todo me agradou. Nunca havia lido nada relacionado ao mundo cigano, muito menos ciganos naturais da grã-bretanha, e a leitura foi prazerosa e interessante. Se você está habituado a determinado tipo de livro, e se interessa em sair um pouco da zona de conforto, Invisíveis pode ser a pedida do momento, com o plus de um mistério como pano de fundo e a narração fluída de personagens possíveis.

“Quando o primeiro bando de viajantes exóticos e de pele escura chegou à Inglaterra, quinhentos anos atrás, o líder se autodenominava o rei do Little Egypt. Eles não eram do Egito, mas ninguém sabia de onde vinham, e assim o nome pegou: egípcios… Gypsies, ciganos em inglês.”

Título Original: The Invisible Ones
Editora: Intrínseca
Número de Páginas: 384
Gênero: Suspense
Cedido em parceria com a Intrínseca

Related Posts

34 Responses to [Resenha] Invisíveis, de Stef Penney

  1. Allê Kércya disse:

    Parece ser bem interessante, deu até vontade de sair da minha zona de conforto e ler Invisíveis, até porque nunca li nada relacionado ao mundo cigano.

    Beijos!
    http://beyondofbooks.blogspot.com.br/

  2. Oi, Duda, tudo bem? ^_^
    Eu não sabia que Invisíveis era sobre ciganos! Pra mim isso já é um ponto positivo pois não conheço nenhum título sobre eles. Gosto quando os autores buscam ambientes diferentes para criar suas histórias. Também não sabia que esse livro se encaixava no gênero mistério. ADORO! Geralmente eu fico bem nervosa, o que é ruim, mas é o tipo de livro que a gente só larga quando termina e isso vale o sofrimento. =P

    Uma pena que seja relativamente fácil de prever o desfecho de algumas coisas, mas isso não me desanima… acho que às vezes é até preciso pra não deixar pontas soltas. Sou a favor de que menos, algumas vezes, é mais.

    Espero ler Invisíveis em breve!
    Beijão ;*

  3. Sammy disse:

    Adoro um bom mistério e esse livro tem e muito mais! Sua resenha, me deixou conquistada pelo livro, com certeza que vai entrar para minha lista de futuras leituras =D

    Bjs

    http://www.daimaginacaoaescrita.com

  4. Raíssa Lins disse:

    Oi, Duda, tudo bom?
    Também nunca li nada sobre ciganos e adoro quando os livros nos dão a oportunidade de conhecer novas culturas e lugares. Além disso, um bom mistério para impulsionar a história é sempre bem interessante 🙂

  5. Luara Cardoso disse:

    Tá aí algo diferente: um livro com ciganos. Me arrisco a dizer que nunca li algo parecido.
    Já esperava que o livro fosse ser ótimo, pois assim que a Intrínseca anunciou o lançamento, li a sinopse e a proposta parecia ser muito interessante, olhando pelo ponto de vista cultural.
    Uma pena que a surpresa com o suspense em si não tenha vindo. Mas talvez tenha sido melhor do que criar uma situação absurda.

    Um beijo,
    Luara – Estante Vertical

  6. Aione Simões disse:

    Oi querida!
    Acho que o mais interessante, pelo que você falou, seria essa caracterização do ciganos. O suspense em si, aparentemente, parece deixar a desejar e, por isso, creio que passaria a leitura.
    Concordo com você que solucionar o mistério não diminui uma obra. Feche Bem Os Olhos é um belo exemplo, eu já tinha sacado quem era o “vilão” desde as primeiras páginas, além de outros pontos do caso, e minha leitura não ficou menos prazerosa por conta disso.
    Não que seja uma leitura que eu nunca farei, mas não é uma que tenha me cativado.
    Beijão!
    P.S: Sobre À Primeira Vista, fuja dele se você está cansada do Sparks rsrs… Ele é tão esteriótipo dos livros dele!

  7. Mari ♥ disse:

    Oi,
    Não conhecia esse livro, mas gostei dessa nova ideia de um livro com ciganos, nunca li algo parecido.
    Gosto daqueles suspense que só descobriu no final só livro, isso me desmotivou nessa leitura, quem sabe mais pra frente eu leia.
    Beijos

    Mari – Stories And Advice

  8. Apesar de ter lido apenas um livro com ciganos, e nem era tão abrangente, acho que essa combinação (mistério-cigano) pode ser muito interessante. Mas antes de ler sua resenha eu imaginava que poderia ser um livro perfeito, ou quase isso. É uma pena que o suspense não convença – o que não seria motivo de desistir da leitura, justamente por querer conhecer esse modo de vida diferente.
    Poderiam lançar mais livros sobre os ciganos, não é? 😡

    Beijos, Duda
    Ricardo – http://www.blogovershock.com.br

  9. Além de O corcunda de Notre Dame, não lembro jamais de ter lido algum livro com ciganos e desde que vi você falando sobre esse livro, fiquei bem curiosa. Você dizer que os ciganos são transmitidos de forma real me deixa muito mais atraída por este livro. Mas pena que logo de início você fale em pontos negativos porque isso já deixa aquela sensação de dúvida.

    No geral, gosto de mistérios assim e desaparecimentos e não consegui captar exatamente o que te desagradou, porque nem sempre a obviedade é um problema, então acho que não é exatamente isso. É uma pena quando os clímax dos livros passam sem grandiosidades…

  10. Lili disse:

    Esse é o livro que eu deveria comprar só de olhar para ele. Que nome! Que corpo! Que apresentação!

    E aí a Duda diz que pode ser mais ou menos…
    Eu ainda acho que é algo que me interessará pela questão cultural, Grã-Bretanha, mistério, etc etc
    Só que com menos paixão agora (essa capa causou a mesma sensação que Belo desastre em mim).

    liliescreve.blogspot.com

  11. Sofia disse:

    Acho bem interessante a premissa, principalmente por abordar o mundo cigano, mas no momento o livro não me chamou muita atenção, apesar de acreditar que seja uma rica fonte para conhecer o mundo cigano, rs! Beijão s2 m

  12. jayane disse:

    Gostei muito da capa e nunca li nada de ciganos em livros,Não há como procurar o que já se apresenta invisível desde o começo,com essa frase me ganhou para ler esse livro.

  13. Aline Coelho disse:

    Mais um resenha bem feita, parabéns. Deve ser interessante conhecer um pouco mais sobre os ciganos e suspense sempre é bom mesmo que ele seja mais levinho. Valeu pela dica!!!!

  14. Gosto muito de livros de suspense e esse com certeza é muito bom. Já tinha visto o livro antes e gostei bastante. O tema sobre sobre ciganos é bom eu gosto bastante da abordagem sobre outras estilos de vida. Amei a resenha! 😀
    Beijos!

  15. Dryelly K. disse:

    Uau, que interessante! Nunca li nada sobre ciganos também, mas acho legal conhecer “novos mundos” assim. Eu bem que preciso sair do conforto. E eu já deduziria que ela fugiu por amor, já que os ciganos são predestinados. Ou não? rsrs

    Enfim, a resenha ficou ótima!
    Beijo!

  16. Olá,td bem?
    Já conhecia o livro,mas ainda não o li.
    Gosto muito de livro de suspense.Espero poder lê-lo,o texto é muito bom 😀
    Bjo

  17. Ai OMG, meu comentário deu ERROR. Que raiva. De novo.

    Bom, não tenho costume de sair da área de conforto, mas pela resenha percebi que o livro é muito bom, mesmo com os altos e baixos, espero ler esse belo romance. rs

    Beijos.

  18. Mariana disse:

    Duda, eu já estava com muita vontade de comprar esse livro, pois o vi em uma livraria e achei muuito bonito. Geralmente os livros da Intrínseca me agradam bastante em relação a capa, diagramação, etc. =)
    A história tbm me interessou e achei a temática diferente, já que nunca li nenhuma sobre ciganos.
    Enfim, estou com muuuita curiosidade e quero conseguir comprá-lo em breve.
    Beijocas!

  19. Gabriela disse:

    Nunca li nada com ciganos e esse livro realmente parece ser um bom começo… Só olhando a capa eu nunc saberia do que se tratava, mas ela é realmente perfeita.
    Concerteza eu quero sair da zona de conforto, acho que esse livro é uma boa pedida…

  20. Mônica disse:

    Duda desculpa a ausência, tá.
    Eu adoro sair da zona de conforto. Alás é necessário para o desempenho de um bom leitor.Você acredita que eu havia esquecido desse livro, sim, eu queria lê-lo, mas a decidi pedir outro primeiro e ai esqueci dele, kkk
    Agora lendo sua resenha fiquei louca por ele. vou correr atras, claro. Beju

  21. Vanessa disse:

    Achei muito interessante a história pela resenha contada, nunca li nenhum livro sobre ciganos, ou a história deles.
    Estou muito afim de lê-lo. *—–*

  22. Oi Duda

    Eu tinha uma ideia sobre ciganos, daí veio aquele programa de TV sobre eles e me traumatizou hehe quer dizer, sei que não é bem assim – é para TV, mas lá eles pegam pesado nos absurdos. Eu estou aberta as novidades/diferenças, mas esse não despertou o meu interesse.

  23. cristiane disse:

    Bem interessante esse livro. É a primeira vez que vejo e já gostei dele. A história parece ter muita coisa boa.

  24. Mariana FS disse:

    Oi Duda!
    Com uma temática tão incomum, um livro como esse pode ir para qualquer um dos lados: ser muito bom ou muito ruim, mas me parece que o saldo geral foi positivo. Adoro quando uma história começa com um mistério que se ramifica em vários (essa é uma das razões pelas quais gosto tanto de Raymond Chandler).
    O livro tinha me chamado a atenção um dia no site da Intrinseca (graças a essa capa linda!), mas não me deixou desesperada de vontade de ler. Quando vi a sua aquisição, fiquei curiosa para ler sua resenha. Continuo não desesperada por ele, mas gostaria que caísse na minha mão, afinal, um mistério nunca é demais, né? Rsrs
    Beijos
    http://www.alemdacontracapa.blogspot.com

  25. Hannah Rocha disse:

    Nunca li nada sobre ciganos, nem faço ideia das suas reais características e costumes! Interessante essa abordagem porque o máximo de cigano que eu conheço é a Esmeralda de Corcunda de Nodre Dame (adoro ela por sinal). Deu vontade de ler principalmente por conta dessa coisa cigana e também pq um mistério sempre é bem vindo 🙂

  26. Suzi disse:

    Adoroo um mistério *-* Gostei muito da resenha fiquei super interessada ainda mais que se trata de uma cultura tão diferente quanto a dos ciganos tenho uma impressão que a cultura deles é muito interessante *-* Espero ler em breve
    Bjus

  27. Martins disse:

    like a gypsy haha adoreei,mistério, sensualidade cigana,quero muitíssimo ler.. 😀

  28. Ana Lima disse:

    Olá!
    Parabéns pela resenha fico ótima e direta. Nunca tinha ouvido falar dessa autora, mas ela esporar o mundo cigano(ao qual ñ conheço nada) achei interessante, ainda mais pq ela utiliza tb mistério, kii para mim é perfeito

  29. Já gostei do livro logo pela capa. sua resenha está ótima e aumentou a minha vontade de ler o livro.

  30. Amanda Penna disse:

    Eu gostei da premissa. Dessa coisa de ciganos, gosto de suspense e parece ser bem interessante ver algo do ponto de vista deles, até porque nunca li nada sobre.
    Já quero muito ler!

  31. Nardonio disse:

    Gosto bastante de ler livros que abordam culturas diferentes. Nunca li nada com personagens ciganos, e essa história me pareceu muito interessante. Gosto de mistérios também, então acho que esse livro é uma boa pedida.

    @_Dom_Dom

  32. Cris Aragão disse:

    Eu já achei o livro interessante por se tratar de um suspense, adoro livros de mistério, mas o interesse vai além por revelar os hábitos da cultura cigana, tão rejeitada em quase todos os países e tratada com muito preconceito. Acho que vou apreciar a leitura.

  33. Olá Duda ! Eu nunca li um livro relacionado a personagens ciganos, mas o livro parece ser bem interessante, por ter mistérios e suspense… Fiquei super afim de lê-lo. E a propósito, muito boa a sua resenha ! (:

  34. Nunca li nada referente a ciganos, vou gostar de ler esse livro por que ele irá me trazer uma nova realidade.
    Gostei da resenha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *