MENU

by • março 31, 2013 • ResenhasComments (22)3287

[Resenha] A Confissão da Leoa, de Mia Couto

Baseados em fatos reais, A Confissão da Leoa conta a história de uma pequena aldeia assolada por ataques de leões, e um caçador contratado para dar fim ao medo e terror que se apoderou dos habitantes locais.

O livro é narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista do caçador e uma moradora da aldeia. E aqui vem o seu grande trunfo: a narrativa é maravilhosa! O texto é de uma fluidez encantadora e traz uma riqueza de vocabulário admirável. A linguagem é poética, quase lírica. O autor constantemente faz uso de diversas metáforas para desenvolver os seus pensamentos, causando um certo ar de magia e encantamento ao que está sendo contado.

“De repente rugidos, gritos e lamentos, dissolveram-se no vazio, o mundo afundando aos despedaços: nada mais restava dentro dele. Para tanto esquecer é preciso não ter nunca vivido.”

Os personagens são únicos! Arcanjo Baleiro, caçador assombrado por um tiro, atormentado e calejado pela vida, aos poucos nos conta a sua história, seus medos e anseios, o que o movimenta. Mariamar, por sua vez, é uma das personagens mais incríveis. Através de sua voz, dos seus fascinantes monólogos, captamos vislumbres de sua alma, seus traumas e segredos mais sombrios escondidos no fundo do âmago.

Ao longo do enredo, descobrimentos que o tormento da pequena aldeia é muito maior do que apenas os leões. Remonta a um mal antigo, arraigado na sociedade desde tempos primórdios. Mais premente do que qualquer ameaça, boa parte da população de Kulumani está presa em um limbo sem fim, à espera de um resgate improvável. E necessita de cuidados bem mais específicos do que aqueles enxergados à primeira vista.

“Num mundo de pólvora e sangue inventávamos silenciosas brincadeiras. Naquele noturno esconderijo aprendi a rir para dentro, a gritar sem voz, a sonhar sem sonho.

Em caráter autobiográfico, o moçambicano Mia Couto enriquece a narrativa, tanto com suas vivências, quanto prosa magnífica. O autor acompanhou pessoalmente boa parte do que o inspirou na construção desta história e o seu personagem está refletido na figura do escritor, acompanhante do caçador durante a jornada.

Em uma mescla de fatos e personagens reais, com floreios de um universo encantado, romantizado pelo autor, A Confissão da Leoa é um relato incrível sobre conflitos seculares, forças individuais, sonhos e pesadelos, vida e morte de um povo isolado pelo tempo, preso a costumes tão fortemente arraigados em suas mentes que as vontades individuais são estranhas sensações desconhecidas, experimentadas por poucos.

Título original: A Confissão da Leoa
Editora: Companhia das Letras
Número de páginas: 254
Gênero: Romance

Related Posts

22 Responses to [Resenha] A Confissão da Leoa, de Mia Couto

  1. Celly Borges disse:

    Não li nada do autor, mas já vi tantos falarem tão bem, que sinto uma curiosidade imensa.

    No caso desse – não sei de seus outros títulos -, por ser baseado em fatos reais, deve deixar ainda mais intenso o livro.

    Espero conseguir esse livro, pois fiquei interessada =)

  2. Vanessa Llona disse:

    Esse é aquele livro que vc comentou num dos vídeos que está em português de Moçambique? Me lembrou um pouco o filme A sombra e a escuridão.

  3. Oi Duda!
    Eu nunca li nada de autores africanos alias acho que os unicos autores que já li eram americanos ou ingleses no maximo! Essa é uma boa oportunidade de começar a me aventurar por outros continentes e países ^^ e gostei muito da história to louco para analisar a narrativa que é tanto citada na resenha!

  4. Gih Pinheiro disse:

    Uau! Adorei sua resenha!
    Não conhecia o livro, mas me interessei…

    Beijoos

    http://kastmaker.blogspot.com/

  5. Aione Simões disse:

    Oi querida!
    Fiquei curiosa pelo livro desde que você falou dele no vídeo (e eu achei que era a Mia, e não o Mia, que feio hehe).
    Acho encantadoras narrativas poéticas dessa maneira e isso certamente é o que mais desperta minha curiosidade, ainda mais vendo que há uma abordagem introspectiva da história, apresentando o leitor as emoções e sentimentos das personagens.
    Sem dúvida, leitura interessantíssima!
    Beijão!

  6. Eu achei o enredo desse livro fantástico, confesso que não sou muito acostumada a esse tipo de leitura, mas eu realmente me encantei pela resenha.
    beijos

  7. Oi Duda

    Não li nada desse autor, já ouvi muito elogios, e pela sua resenha parece impressionante a narrativa pela história e estilo de escrita. Fiquei com vontade de ler por ser real mas principalmente por você ter apontado a linguagem, nossa eu amo aqueles textos lindamente escritos *.* parecem que levam o leitor ainda mais longe.

    Bjus

  8. Suzi disse:

    Não conhecia o livro mas desde de que vc falou no video ja me interessei… =)
    Fatos reais junto com o mundo encantado que o autor criou parece ser uma mistura mais que especial e envolvente..
    Amei a resenha nada como uma ótima narrativa néah até anima e da gosto de ler..Amei os quotes me deixou com mais agua na boca ainda =) Bju 😉

  9. Naty disse:

    Não conhecia o livro e amei a resenha. Gostei de ser um livro baseado em fatos reais e não ser chato. A história é bem interessante e já quero ler.

  10. Manu Hitz disse:

    Sou completamente apaixonada pelo Mia Couto, suas ideias, sua escrita apaixonante! E fiquei tão feliz de vê-lo aqui! Ele é um dos meus autores preferidos – dentre os estrangeiros, especialmente os africanos.
    Convido os leitores do blog a conhecerem suas ideias tb como biólogo e ativista que é, como é encantador com sua timidez e firmeza.

  11. Lili disse:

    Duda, fiquei encantada com a história. Me lembrou bastante algum filme que já vi quando criança (sabes se inspirou algum filme ou é só mera semelhança?).

    Parece que a escrita da autora é realmente fantástica, eu nunca lia nada da Mia Couto mas já ouvi vários elogios. Vai pra lista de desejos com certeza.

    E espero não discordarmos como quanto a Oz hehhe (pena que não te lembras porque as coisas que mais me encantaram foram as referências ‘disfarçadas’ ao anterior).

    liliescreve.blogspot.com

  12. Gladys Sena disse:

    Não li nada do autor, mas já vi vários comentários super positivos, referentes a sua escrita.
    Gosto de tramas baseadas em fatos reais e por ter uma nuance autobiográfica a trama deve ficar bem mais enriquecida e interessante.

  13. Como imaginei quando vi seu vídeo, esse livro parece ser muito interessante, não apenas por ser baseado em fatos reais, como também por ter esse tom encantador que você citou. Acho que a história tem algo diferente e justamente por isso acaba se tornando uma história inesquecível, pra ser contada para todas as pessoas. Ao menos é o que eu senti com sua resenha, que me lembra de outro livro “autobiográfico” e que eu gostei muito. Como sempre acontece, vai pro Skoob.

    Beijos, Duda!

  14. Maria Amorim disse:

    Não conhecia o livro, mas pelo visto é muito bom! Parece ser um livro que te prende, e eu adoro esses livros!

  15. Não conhecia o livro e nem o autor, mas só por ele sendo baseado em fatos reais deve ser ótimo, pois vimos que aquilo realmente aconteceu, e não foi algo inventada da mente de alguém.

    http://resenhandolivro.blogsspot.com/

  16. Rayane disse:

    Só conheci este livro num vídeo seu…gostei da resenha mas não é o tipo de livro que quero ler no momento

  17. Aline Coelho disse:

    Dudinha querida parabéns pela resenha, ficou ótima. Ainda não conhecia esse livr até vc mostrar no seu video e eu pensava que era uma autora, fiquei surpresa ao saber que Mia é um autor. Além disso pelo que pude ver na sua resenha este é um livro bem escrito e que trás aprendizados!!!
    Obrigada pela dica!!!!

    Leituras, vida e paixões!!!!

  18. Dani Gomes disse:

    Oi Duda,
    NOssa quantas qualiddades vc numerou desse livro, fiquei bastante intrigada, só por ser uma narrativa fluida, já conquista meu coração. Nunca li nada de um autor africano, eu acho, mas gostei do enredo. Eu só não gostei dessa capa, parece ter a ver com o livro mas não gostei.
    Bjs e ótima resenha!

  19. Oi Duda!!
    Nossa Mia Couto, fantástico, a qualidade de sua escrita é ímpar, estou muito interessada em literatura africana depois de ver algumas indicações em outros blogs e vlogs. Acho importante conhecer a literatura de um continente a muito tempo injustamente desvalorizado e renegado. Fantástico !
    bjos
    Melissa Padilha
    De Coisas por Aí

  20. Oi Duda!
    Acabei de ver o vídeo e corri aqui pra dizer mais uma vez que Mia Couto é tudo de bom! Sua escrita poética, fantástica é incrível, sempre mesclando com uma realidade dura da África. Merece ser lido em toda sua poesia, prosa e contos! ;oD
    E se já começou com esse africano, lhe indico o angolano José Eduardo Agualusa, que também é excelente! Li o mês passado Teoria geral do esquecimento e fiquei simplesmente encantada!

    Um xêro, frô!
    Paty
    htt://almadomeusonho.blogspot.com.br/

  21. Lucas Martins disse:

    Antes de tudo, Dudinha: ótima resenha! Você bem sabe que eu adoro sua forma de escrever, que normalmente me deixa muito curioso em relação ao livro que você resenha – salvos casos onde você detona o livro, hahahha
    Com esse livro não foi diferente. Já me interessei por ele quando você mostrou no video da caixa de correio, agora ainda mais. É tão legal quando a narrativa do autor nos encanta, nos faz sair, viajar.. e melhor ainda quando é fluida. Já li livros que a narrativa me encantou, mas não era tãão fluida. Esse eu vejo que é um livro que me encantaria tanto quanto encantou você. Ainda mais que super confio nas suas indicações u.u
    Gosto de toda essa questão que o livro aborda. Quero ler!
    Beijão!

  22. Duda, esse livro não é nada de fantasias? Os livro que mais gosto são os realistas, romances, mas não gosto de coisas sobrenaturais e desse tipo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *