MENU

by • abril 21, 2013 • ResenhasComments (51)3782

[Resenha] Coisas que ninguém sabe, de Alessandro D’Avenia

Com uma narrativa primorosa, poética, reflexiva, lindíssima e única, D’Avenia (Branca Como Leite, Vermelha Como Sangue) nos conta a história da jovem Margherita com nome de pérola, e suas experiências, amores e dissabores ao adentrar a puberdade e encontrar seu caminho de menina para a mulher que um dia se tornará.

“Enquanto todos os seus colegas estavam escolhendo as roupas adequadas para cobrir a pele inconsistente da adolescência, Margherita devia escolher a pele a usar, porque já não tinha uma. Estava esfolada pela dor, e ninguém pode se mostrar assim tão nu. Muito menos no primeiro dia de aula.”

Criar o incomum requer criatividade e muita imaginação, porém, criar o comum, o cotidiano, de uma forma que não pareça banal ou desinteressante requer extrema habilidade, domínio de escrita e talento nato. E isso D’Avenia possui de sobra; o dom natural de brincar com as palavras, de ir a fundo no âmago dos seus personagens, destrinchar os sentimentos, esperanças e medos e transformá-los em poesia.

Levado pela curiosidade e por devaneios filosóficos, o autor transmite através de pessoas normais, questionamentos universais sobre o amor, a morte, medos e sentimentos. Perguntas que flutuam inquietas em nossas mentes, das quais procuramos respostas e nos deparamos com a limitada capacidade de visão do ser humano e sobretudo os seus próprios arreios e receios ao impedir-se simplesmente viver e experimentar.

“Como pode nos faltar alguém que nunca tivemos? O que nos falta realmente, o outro ou uma parte de nós mesmos? Ou será que precisamos que alguém nos presenteie aquela parte de nós mesmos que nos falta?São coisas que ninguém sabe.”

Em seu primeiro ano de liceu (ensino médio) escolar, Margherita experimenta as alegrias e infortúnios de deixar a infância para trás. Destroçada pela separação dos pais, a garota encontra em suas amizades os primeiros alicerces e lições que a levarão a maturidade. Com Martha, ela experimenta pela primeira vez o valor e poder de uma verdadeira amizade. Na figura do Professor, amante voraz e devorador de livros, ela descobre, através da Odisseia de Homero, uma força interior que não imaginava possuir. E ao lado do taciturno garoto de olhos de gelo, descobrirá os contornos do primeiro amor, do seu parceiro de alma nos tormentos e alegrias.

Há uma magnífica homenagem ao poder das palavras e importância da literatura em nossas vidas. O próprio D’Avenia, também professor de liceu na vida real, utiliza a figura do professor ficcional para demonstrar a magia e deslumbramento contidas nas páginas dos livros, apesar de alertar-nos serem eles inspirados em nossas histórias e vivências (e por tal, um retrato de nós mesmos), e não o contrário; como um espelho ponderativo, capaz de oferecer um mergulho em pensamentos e vivências alheias para, ao final, encontrarmos a nossa própria voz e descobrirmos quem somos.

“As palavras dos grandes escritores refinavam seus sentidos e construíam um significado ulterior, magnificavam o corriqueiro, arrancando-o à sua rotina, transformavam em poesia a prosa cotidiana. (…)A literatura o obrigava a se escutar, como se, em se íntimo, existisse uma parte a qual alguém murmurava segredos a seu respeito.

Com personagens únicos e marcantes, Alessandro D’Avenia constrói um relato profundo e tocante sobre a experiência magnífica e dolorosa de experimentar a vida em toda sua plenitude. O autor utiliza a voz dos seus personagens para conversar com o leitor; questioná-lo a respeito de enigmas gerados pela curiosidade incitada através da tentativa de racionalizar os sentimentos humanos e sua procura constante por repostas sobre coisas que ninguém sabe e que muito provavelmente estão além de qualquer entendimento que o nosso raciocínio é capaz de exercer.

Título original: Cose che nessuno sa
Editora: Bertrand Brasil
Número de páginas: 376
Gênero: Romance de formação
Cedido em parceria com a Bertrand Brasil

Related Posts

51 Responses to [Resenha] Coisas que ninguém sabe, de Alessandro D’Avenia

  1. Lygia Netto disse:

    Criar o incomum requer criatividade e muita imaginação, porém, criar o comum, o cotidiano, de uma forma que não pareça banal ou desinteressante requer extrema habilidade, domínio de escrita e talento nato. E isso D’Avenia possui de sobra; o dom natural de brincar com as palavras, de ir a fundo no âmago dos seus personagens, destrinchar os sentimentos, esperanças e medos e transformá-los em poesia. 

    EXATAMENTE! Concordo e muito com essa sua (bela) afirmação. A escrita de Alessandro é tão bela e poética, que beira o absurdo! Está na lista de desejados, certamente.
    Linda resenha, Duda!

  2. Dani Gomes disse:

    Oi Duda, nossa…qtos elogios para apenas uma obra! A narrativa do autor é tão poética que vc se superou nessa resenha, ficou mto boa mesmo.
    Esse livro já entrou na minha listinha…
    É mto bom qdo o autor trata de assuntos corriqueiros de uma forma inovadora…ansiosa.
    Bjs

  3. Tiago Vieira disse:

    Oi Duda, tudo bem?
    O livro deve ser bem intenso e deve tocar bastante àqueles que o leem, mas não me interessei muito pela história. Quem sabe se um dia eu tiver uma oportunidade eu dê uma chance a ele, mas não por agora 🙂
    Ótima resenha, meus parabéns e uma boa semana pra você e todos os leitores!

  4. Vanessa Llona disse:

    Pela capa esse livro não me chamaria atenção, e a sinopse também não. O primeiro cote me arrepiou, muito bem escrito, gosto de livros assim, que depois q termino a leitura fico pensando sobre ele e sobre mim.

  5. Aline T.K.M. disse:

    Tive uma experiência lindíssima ao ler “Branca como o leite, vermelha como o sangue”, o que fez com que eu adorasse a escrita do D’Avenia logo de cara. Ainda não li nenhum outro livro dele, mas gostei bastante do tudo o que você comentou sobre “Coisas que ninguém sabe”. Imagino que seja um livro bem maduro, ainda que fale sobre o universo dos adolescentes. O fator poético, que você disse estar bem presente na escrita, é um dos tantos motivos pelos quais eu gostaria muito de ler este livro.

    Bjoka,
    Livro Lab

  6. Ontem mesmo comentei que o livro tinha despertado interesse, mas não poderia imaginar que seria um livro tão especial como você sugeriu com sua resenha. Pra ter se tornado a melhor leitura do ano até então, acredito que a história ainda esteja causando efeitos em você e percebemos isso com a forma com que você colocou as palavras.
    Com uma resenha tão incrível fica até difícil comentar, mas certamente já desejo o livro.

    Beijos, Duda.

  7. Oi Duda

    Eu quero. Fiquei com mais vontade de ler esse do que Branca Como Leite, Vermelha Como Sangue – maravilhosa a sua resenha.

  8. Ei duda tudo bem?
    Sempre que eu vejo esse tipo de livro eu lembro de você, super acho a sua cara. hahahah! Combina bastante e já percebi que você adora. O livro não me interessou muito, mas eu prometo que vou tentar ler. hahaha! A resenha ficou ótima.
    beijos

  9. Lucas Filho disse:

    Resenha muito boa, você sabe cativar seus leitores,. Não sabe como fiquei com vontade de ler o livro. òtimo blog.

  10. Carol disse:

    Com uma resenha assim, é difícil não ficar interessada em ler… deve ser realmente um livro incrível! 😀

  11. Aline Coelho disse:

    Duda querida, nao conhecia esse livro mas após a leitura da sua resenha confesso que fiquei até curiosa e achei bem interessante essa visão do autor sobre o cotidiano e o poder das palavras-livros.
    Confesso que a capa nao chamou minha atenção!!!!

  12. Aione Simões disse:

    Oi querida!
    Eu tenho muita curiosidade em ler o outro livro do autor, e esse parece ser tão bom quanto.
    Gostei do fato dele parecer ser profundo e, principalmente, gostei dos seus comentários sobre a narrativa do autor, adoro quando ela beira o poético!
    Parabéns pela ótima resenha, Duda!!
    Beijão!

  13. Amanda Teixeira disse:

    Gostei da resenha =)
    Quero ler muito o outro livro dela, já está na minha lista de desejados faz um tempo, rs.

  14. Ydianara Oliveira disse:

    Eu adoraria ganhar o sorteio e ler esse livro. Parece ser bem interessante e tenho sede de leitura.

  15. Thairone Nob disse:

    A cada segundo que passa fico mais curioso sobre o livro, e mais o desejo em minhas mãos. A partir de sua resenha pude perceber que é uma narrativa extremamente conectada com o leitor, o que de fato faz o livro ser mais surpreendente possível. Mostra pensamentos filosóficos e reconhece a mente de cada leitor, mesmo que indiretamente, fazendo com que fiquemos o mais ligado possível no livro.
    Estou ansioso para tê-lo em minhas mãos.
    Abraço.

  16. Ana Zuky disse:

    Nossa,agora fiquei intrigada com este livro.Pelo que li de sua resenha,ele serve como um auto-ajuda para pessoas que o leem,mesmo sendo algo indireto,mas foi o que eu percebi.
    Me interessei pelo livro,estou como posso dizer…curiosa pela leitura.
    Não vejo a hora de ter a oportunidade de lê-lo.

    Parabéns Duda pela resenha!Ela esta magnifica

    Beijokas Ana Zuky

    sanguecomamor.blogspot.com.br

  17. beth disse:

    É muito bonito a maneira que descreve os conflitos de ser jovem e de ter problemas como qualquer adolescente e incrível a maneira de superá-los.

  18. ELIDA disse:

    Adorei a resenha, e me nteressei no livro. Ultimamente tenho tido a sensação de que estou sempre lendo a mesma história não importa qual seja e vai ser bem legal descobrir um enredo realmente diferente… Agora haja dinheiro para comprar tantos títulos…

  19. Nessa disse:

    Oi Duda!
    Achei super interessante essa história, porque ela fala de coisas comuns, só que de uma maneira mais profunda e uma linguagem mais poética.
    Não conhecia esse autor, espero ter a oportunidade, lendo esse livro!
    Bejos 😉

  20. Suzi disse:

    Oii Dudaa!!
    Que capa linda *-*
    Amei a resenha você escreve tão bem que consegui sentir exatamente o que o livro quer passar!!
    Fiquei bem curiosa, algo que beira o poético inspira néah 😉
    Falar do mundo real sem ficar monótono é um dom e em meio a tantos elogios que vc fez ao autor eu só posso é correr e tentar lê-lo o mais rápido possível!!!
    Bjus

  21. Julia Cedro disse:

    Oi Duda,

    Ainda não tinha ouvido falar desse livro, mas só de ler sua resenha fiquei muito interessada por ele. Estou em uma fase que estou adorando ler livros que me fazem pensar e refletir, então acho que esse seria uma ótima pedida.

    Beijos!

  22. Oi Duda,
    Nossa, fiquei tocada com tua resenha. Quantos elogios.
    Adorei a capa e o livro parece ser bem interessante, quase uma poesia.
    Fiquei realmente bem curiosa e pretendo ler o livro sim.
    Beijos,
    Katielle

  23. Andy Lima disse:

    Parece um daqueles livros que você fica refletindo muito depois que termina de ler, eu gosto de livros que falem de coisas comuns, me interessei bastante!

    Estandy Books – A Estante da Andy

  24. Amanda disse:

    Sensacional a resenha!!!!!! Meu Deeeeeeeeus se eu pudesse comprava agora , mas falta dinheiro 😛
    E essa capa então????????? Que coisa mais linda!!

  25. Luana M disse:

    Gostei bastante do “tema” abordado no livro e sua resenha me convenceu, já adicionei na listinha de “tenho que ler sem falta” rs

  26. O livro parece ser muito bom!
    O tema abordado é realmente complicado de ser desenvolvido! Se passar por esse momento já é difícil, imagina descrevê-lo!
    Estou ansiosa para lê-lo!
    Esse vai para a lista de “Pretendo Ler”. Rs
    Beijos, Duda!

  27. Claudia Alves disse:

    Oi.
    Eu não tinha lido nenhuma resenha desse livro, e a sua me surpreendeu. O tema abordado no livro é algo que muitos jovens e pré-adolescentes vivenciam hoje. Já vai pra minha listinha de desejados 🙂

  28. Legal o livro 😀
    primeira vez que li a sinopse dele, me identifiquei bastante pois até tem coisas q acontecem mesmo, quero le-lo, e vim dar minha opiniao concreta!

  29. Laura K. disse:

    Nem a capa nem a sinopse são muito atraentes, mas a resenha me despertou bastante meu interesse nesse livro.

  30. Giovana disse:

    Estou super curiosa para ler esse livro,ouvi comentários positivos dele e super ansiosa para ler.
    E participando da promoção.

  31. Kelly Muniz disse:

    Não conhecia o livro nem o autor…
    Mas essas perguntas e questionamentos tem respostas no final do livro?? Fiquei curiosa pra ler.
    Bjokass

  32. Eu não conhecia esse título, mas pela sua resenha me parece o meu tipo de livro *–* Gosto desses questionamentos sobre nós e todos ao redor, e da particularidade dessa menina.. a intimidade da personagem reflete a nossa intimidade e eu gosto muito disso, além disso, ADORO essa forma poética de escrita.. pelos trechos vou gostar muito. Obrigada pela ótima resenha e indicação Duda *o*

  33. Fiquei interessado depois de ler a resenha, parece ser um livro bom e além disso, o aniversário do blog é no mesmo dia que o meu. Se eu ganhar um dos livros das promoções que estão tendo vai ser muito bom (vou encarar como um presente de aniversário rs).

  34. Lili disse:

    Eu já tinha curiosidade em ler o outro livro do autor. Confesso que eu passaria esse na frente das compras. Acho uma delícia ler sobre essa relação professor-aluno, tenho inúmeros filmes sobre o assunto e é apenas em parte por também ter sido professora.

    É que considero uma das etapas mais significativas das nossas vidas, e sempre há uma relação especial mesmo que não seja clara.
    Fico maravilhada que um livro tão bom em tantos aspectos consiga ainda tratar lindamente dessa questão.

    liliescreve.blogspot.com

  35. Cris Aragão disse:

    Que lindo texto. Eu ainda não li nenhum livro do autor mas parece ser um narrador envolvente e capaz de renovar o interesse de qualquer um pela leitura. Parece ser um livro profundo e capaz de fazer pensar, vou colocar na minha lista de desejados.

  36. “Enquanto todos os seus colegas estavam escolhendo as roupas adequadas para cobrir a pele inconsistente da adolescência, Margherita devia escolher a pele a usar, porque já não tinha uma. Estava esfolada pela dor, e ninguém pode se mostrar assim tão nu. Muito menos no primeiro dia de aula.” Arrepiei só de ler está frase! Me apaxonei pelo livro sem ao menos ler ele se a resenha já me envolveu dessa maneira imagina a história completa! *-*

  37. Puxa Duda, a sua resenha não é só uma resenha mas um complemento do trabalho do D’Avenia, de tão bem escrito que está. Amei sua resenha e já estou com muita vontade de ler o livro que está muito interessantíssimo só pelo que li aqui.

  38. Nardonio disse:

    Interessante isso que você falou de que criar o comum necessita-se de extrema habilidade, e realmente concordo com essa opinião. Me parece que o autor conseguiu realizar esse feito com maestria. Gostaria de ter a oportunidade de ler conhecer a narrativa do D’Avenia.

    @_Dom_Dom

  39. Manu Hitz disse:

    Li ótimas recomendações do autor. E achei essa sinopse deliciosa.
    Apesar da personagem adolescente, temos um livro de abordagem profunda sobre o drama que ela vive. paralelo a isso, o professor que foge da realidade, outro conflito tão humano e comum.
    Somando a isso tudo a trajetória das descobertas de uma menina e sua passagem para a vida adulta, acho que a poesia do autor vai me deslumbrar…

  40. Este comentário foi removido pelo autor.

  41. Larissa Lins disse:

    Eu ja tinha visto esse livro, mas não me interessei muito quando o vi na livraria, mas depois da resenha ficou um gostinho de “quero mais” *.* Participando da promoção, espero ganhar (yn)

  42. Nunca tinha ouvido falar desse livro e estou apaixonada. Concordo com o que você disse, sobre a autora ter uma habilidade indescritível em tornar um assunto tão comum em algo marcante, um livro que nos faz redescobrir emoções através dos personagens.Tenho certeza que esse livro nos faz relembrar de quando passávamos por esse momento. Ótima resenha, você despertou a minha curiosidade, quero muito lê-lo. beijos.

  43. Curiosidade sobre esse autor desde que assistir seu vlog…marcado como desejado!

  44. André Luiz disse:

    Depois de ler várias resenhas positivíssimas, como essa, não tinha como não entrar na lista de desejados!
    Ontem, postei resenha de BRANCA COMO O LEITE, VERMELHA COMO O SANGUE no QMD. Depois passa no http://www.quermedar.com/2013/05/branca.html pra ler 🙂

    Abraço!

  45. Livro muito inteligente. Gosto desse tipo de leitura, que te faz refletir e se questionar.

  46. ”Levado pela curiosidade e por devaneios filosóficos, o autor transmite através de pessoas normais, questionamentos universais sobre o amor, a morte, medos e sentimentos.” Você me convenceu só nessa frase. E esses quotes? Esse livro parece ter uma história linda, e adorei a capa. Na lista de desejo com certeza.

  47. Não conhecia o livro, mas me fez lembrar muito da minha transição de menina à mulher, de como era rejeitada entre os garotos, de como não tinha amigos na escola, e os que eu tinha, me zombavam. Sem falar da separação dos pais.
    Fiquei muito curiosa pela leitura.

  48. Tainara H. disse:

    Me interessei muito pelo livro logo que vi a capa e quando li a resenha – apesar de desanimar um pouco por ter personagens adolescentes e eu já pensar que teria aquela temática batida de bullying na escola e crise de existência – eu me interessei ainda mais, pelo fato de ser uma leitura mais profunda, já que eu não gosto tanto desses romances populares que tem por aí, enfim, esse parece ser muito bom e diferente, quero muito ler. =D

  49. Nossa, esse autor parece ser maravilhoso! Me inspiro em autores assim, bons, que criam coisas que encantam à todos. Esse livro me instigou, a capa, a resenha, porque é dificil fazer uma coisa legal com uma pré-adolescente, e pelo visto ele conseguiu. Esse realmente parece ser diferente dos que eu lia quando era pré-adolescente, já quero!

  50. Adriano disse:

    Este comentário foi removido pelo autor.

  51. Duda, eu nunca havia ouvido falar desse autor, mas sua resenha me fez ficar SUPER curiosa, pois adoro este tipo de escrita, mais poética. Sua resenha ficou maravilhosa e, graças a ela, este livro entrou nos meus desejados, rs. Assim eu vou falir =D
    Beijocas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *