MENU

by • maio 20, 2013 • ResenhasComments (65)4591

[Resenha] Branca como o leite, vermelha como o sangue, de Alessandro D’Avenia

A sensação de contentamento após uma leitura enriquecedora é revitalizante. Em seu livro de estreia, D’Avenia já mostrava o talento com as palavras, veia filosófica e capacidade para emocionar. Características que, quando misturadas, fazem a alegria de qualquer leitor.

Branca como o leite, vermelha como o sangue é contado em primeira pessoa sob o ponto de vista de um garoto. Em comparação a Coisas que ninguém sabe, seu romance posterior contado inteiramente em terceira pessoa, este foi uma dos primeiros pontos que notei. E posso dizer que adorei enxergá-lo através dessas duas óticas, pois todo autor que se preze sabe levar em consideração as possíveis limitações presentes em ambas as opções.

Leo é um garoto apaixonado. Além disso, Leo é um garoto fascinado por cores e essa característica do personagem acabou tornado-se um dos pontos mais fortes do livro. A história tem cor. Ela contagia os arredores e faz o leitor enxergar toda a inspiração poética por trás dos sentimentos coloridos.

“Mas o amor é outra coisa. O amor não dá paz. O amor é insone. O amor é elevar a uma potência. O amor é veloz. O amor é amanhã. O amor é tsunami.
O amor é vermelho-sangue.”

O terror para Leo é o branco. O branco é a falta, o branco é ausente, e durante o ano letivo esta sensação será intensificada após descobrir que a sua paixão vermelha carrega uma doença ligada ao branco que contamina o sangue de sua amada. Beatriz tem leucemia, a doença do sangue branco, fazendo-o sentir-se vazio como uma folha em branco. Nada de bom pode advir do branco.

A beleza poética característica do D’Avenia está presente em cada breve capítulo do livro, levemente atenuada pela voz (irritada/esperançosa/carismática/irônica) de um garoto em formação. Leo está em conflito consigo e com o mundo, ele se questiona, grita internamente por ajuda e expressa o seu diálogo de forma enternecedora e reflexiva. Por mais que a história carregue sua carga de drama, não a definiria como triste. Revitalizante se aplicaria mais eficazmente.

“(…) Esse é o seu sonho. Eu ainda não tenho o meu, mas sinto que está chegando. Como faço pra saber? Minhas olheiras. Sim, tenho umas bolsas abaixo dos olhos que servem para carregar meus sonhos. Quando encontrar o meu, vou esvaziá-las e meus olhos brilharão leves…”

A figura do professor, novamente (ou desde a primeira vez), se mostra extremamente importante, e eu só consigo imaginar o quão maravilhoso o Alessando D’Avenia deve ser com os seus alunos. Ele exalta e personifica todos os princípios que deveriam estar presentes em cada um desses profissionais que ocupam cargo de tamanha importância na construção da sociedade. É verdadeiramente inspirador toda a paixão que ele consegue passar através do personagem, secretamente apelidado pelos alunos de Sonhador. Se os professores do mundo possuíssem tal disposição e comprometimento certamente viveríamos em um lugar melhor.

É definitivo. D’Avenia entrou para o seleto grupo de autores preferidos  Já havia sido completamente arrebatada pela filosofia poética presente em Coisas que ninguém sabe, agora, mais uma vez, fui cativada por toda ternura, delicadeza e explosão de cores de Branca como o leite, vermelha como o sangue, ambos especiais, únicos e inesquecíveis.

“O Sonhador diz que nossos sonhos estão escondidos nas coisas que encontramos realmente, aquelas que amamos: um lugar, uma página, um filme, um quadro… os sonhos nos são emprestados pelos grandes criadores da beleza.”

Título original: Bianca come il latte, rossa come il sangue
Editora: Bertrand Brasil
Número de páginas: 368
Gênero: Romance de formação
Cedido em parceria com a Bertrand Brasil

Related Posts

65 Responses to [Resenha] Branca como o leite, vermelha como o sangue, de Alessandro D’Avenia

  1. Gerson Alan disse:

    Seu trabalho é muito bom!Parabéns!
    Vá Além! Abraços!!!

    gersonalan.blogspot.com

  2. WilLDuarte disse:

    Oi Duda!
    Graças a você já estou meio que apaixonado pela escrita do Alessando D’Avenia, antes mesmo de ler algum dos livros do autor. Definitivamente preciso fazer isso para ONTEM!
    A última vez que isso aconteceu comigo foi com o Patrick Rothfuss e seu O Nome do Vento, e o resultado não poderei ter sido melhor. E depois de ler não só essa, como também a resenha de Coisas que ninguém sabe, acredito que o mesmo irá acontecer aqui.
    Beijão.

  3. Oi Duda,

    Acho que depois de tanto ouvir/ler você falando sobre o autor Alessando D’Avenia é impossível não ficar com vontade de conhecer seus livros. Adorei a resenha!

    Beijo:*
    Naty.

  4. Sofia disse:

    Nossa, Duds, que bom que o autor te cativou primeiramente em um obra e definitivamente em outra. Adoro livros em primeira pessoa, por conseguir passar mais a fundo aquilo que o (a) protagonista pensa e sente, mas os em terceira são excelentes por não só mostrar a visão do protagonista mas os secundários.

    Beijão

  5. Lorrine Leite disse:

    Há tempos eu quero ler esse livro! Sempre vejo comentários positivos e essa escrita poética deve ser maravilhosa!
    Só estou com mais e mais vontade de ler depois da resenha! Preciso conhecer os livros desse autor, principalmente esse!
    Bjo

  6. Aione Simões disse:

    Oi querida!
    Eu não sabia do porquê do título e eu adorei a explicação, sou fascinada por esse jogo de palavras, de figuras, imagens e sensações.
    Eu já queria fazer essa leitura e agora tenho certeza de que preciso ler algo do autor, tenho certeza de que serei conquistada também por essa veia poética e inspiradora que ele coloca em sua escrita!
    Sua resenha está incrível!!
    Beijão!

  7. Ana Alves disse:

    Eu amei a ideia do livro e lerei assim que possível…
    Ana.

  8. Vanessa Llona disse:

    Oi Duda, eu estou louca por esse livro, o enredo é muito interessante, e tem tanta gente falando sobre a escrita de Alessando D’Avenia que não tem como eu não ficar super curiosa.

  9. Dani Gomes disse:

    Oi Duda, de tanto só ouvir amores de Alessandro D’Avenia, eu já estou apaixonada, e como eu sou impulsiva, já comprei esse livro e ele já está na fila. Também fiquei fascinada pelo o enredo e esse a explicação do nome do livro é maneríssimo.
    Ótima resenha,
    Bjs

  10. Rayane disse:

    É sempre bom ler suas resenhas…mas quando é sobre um livro que realmente te conquistou é ainda melhor…me deixa com muita vontade de lê-lo tb…

    Adorei as quotes que vc selecionou, especialmente a última…

  11. Lygia Netto disse:

    <3 <3 <3 <3

    Eu tive a oportunidade de ter esse livro quando fui doar sangue aqui no RJ. Achei bacana a ação do Grupo Editorial Record, mas confesso que até ganhá-lo, nada sabia sobre o livro ou sobre o autor. Acho poucas pessoas que leram essa obra magnífica. Não sei pq, apesar de distintas as escritas de Zafón e D´Avenia, pelo menos no estilo de escrita poética eles se assemelham e por isso, curto tanto! <3

    Esse livro tem uma história tão simples e tão linda…minha comprovação de que talento para escrever, muito em parte, vem da alma mesmo! <3

    Beijocas e uma linda semana!

  12. Isla Carvalho disse:

    Acho que vou me emocionar bastante quando ler “Branca como o leite, vermelha como o sangue”. Adorei sua resenha, o livro parece ser mais incrível do que eu pensava. Fiquei muito curiosa!

    Com certeza quero conhecer o trabalho desse autor italiano que te conquistou, Duda 😀

  13. Que sacanagem duda. Me diga como vou me manter firme no propósito de não comprar mais livros por um bom tempo depois de uma resenha dessas??
    Dizer que fiquei curioso para conhecer a filosofia poética do autor é eufemismo, ainda mais depois de saber que ele entrou para o seu seleto grupo de autores favoritos…
    Abraço,
    Alê.

  14. Thales disse:

    Muito boa resenha, Parabéns!
    Quero muito ler esse livro, parece ser uma história maravilhosa ^^

  15. emillyn disse:

    to loouca pra ganhar. to louuucca pra ler!!

  16. Cris Aragão disse:

    Eu sempre leio resenhas elogiando o Alessandro D’Avennia, preciso começar a ler os livros dele. Acho que esse livro seria um ótimo começo, parece ser uma linda e triste história e esse é o melhor tipo, pelo menos para mim.

  17. Amanda Teixeira disse:

    Esse livro já está na minha listinha de próximas leituras a tanto tempo e até hoje não consegui pegar para ler. Claro que depois dessa resenha a curiosidade só aumentou.
    Adoro escritas poéticas. =)

  18. Mariana disse:

    Oii, Duda.
    Eu ainda não havia ouvido falar do autor, até que vc fez a resenha de “coisas que ninguém sabe” e fiquei muito curiosa em conhecê-lo.
    Este livro parece ser tão encantador quanto o outro. A sua resenha ficou ótima, como sempre, a capa é linda e o nome é bem diferente.
    Resumindo: Quero ler esse livro já 😀

  19. Tailany Costa disse:

    Nunca tinha ouvido falar desse livro antes, mas fiquei bastante interessada para lê-lo. Porei na minha lista de leitura.
    Achei legal que você é de Recife também. Pretendo fazer um encontro de blogueiras em breve, se quiser participar tá mais que convidada!
    Beijos!

  20. O que comentar sobre essa resenha? Deixa qualquer um afim de ler o blog. Já queria ler porque vi no seu vídeo, aí essa resenha… Lista de ‘quero ler’ now. rs

  21. Acredito que suas resenhas de livros do D’Avenia farão muitos dos seus leitores abrirem a carteira e adquirirem os livros do autor o quanto antes. E certamente, quando tiver a oportunidade, eu serei um desses futuros leitores (não, eu não vou voltar a dizer os motivos kkkk).
    É simplesmente incrível ler sua opinião. A história aparenta ser muito interessante, mas dessa vez faltam palavras. Desculpa, Duda 😡

    Beijos.

  22. Carol disse:

    Comprei os dois livros dele por conta de suas indicações. Ainda não consegui ler, mas esta na lista de leituras já.
    ADoro suas resenhas!!!

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

  23. A história desse livro parece ser muito interessante, quero muito lê-lo….
    abçs

  24. Carine F. disse:

    Esse livro está na minha wishlist há um tempão, mas é meio difícil de achar nas livrarias!
    Adorei os seus comentários sobre os dois livros do autor. As suas resenhas são muito bem escritas e sucintas. Fiquei com ainda mais vontade de ter os dois livros.
    Parabéns pelo blog, é um amor <3

  25. Essa é a primeira resenha que leio sobre esse livro, pois me era totalmente desconhecido. Sua resenha me fez desejar sair correndo e comprar o livro. Mas pode ter certeza que vou ler.

  26. Anne Viana disse:

    Não conhecia esse livro achei bastante interessante a sinopse e a resenha..ou procurar saber mais dele =)

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/

    Bjs

  27. Valsa de Maio disse:

    Estou conhecendo esse livro agora, por sua resenha e de cara fiquei apaixonada! Cores!!! Também amo as cores e geralmente atribuo um significado a cada uma delas. Estou louca para ler…
    Acessem/sigam: maywaltz.blogspot.com.br

  28. Amanda disse:

    Fiquei simplesmente fascinada com este livro, o pequeno trecho narrado por Leo me encantou, amei sua resenha, muito linda.
    Uma forte abraço.
    Amanda Ramos

  29. Adryanne Leal disse:

    Oi duda ! impossível não ficar com vontade de ler depois dessa resenha maravilhosa . Antes eu não sabia o porque do nome , e adorei a sua explicação , estou doida para ler este livro.
    Beijos linda !

  30. Niii disse:

    Parece muito bom o livro. As frases são tão lindas… Adorei.
    Muita vontade de ler.

    Bjs

  31. beth disse:

    Oi,adorei esse novo ponto de vista apresentado pela autora.É bem diferente e original.Gostei do que li,e com certeza assim que pintar uma oportunidade ou se eu ganhar,vou ler.Beijos.

  32. Esse livro está na minha lista desde 2011! Sério! Quero muito ler, aprecio muito leituras poéticas, que nos leva a sonhar, refletir, nos emociona! 😀

  33. Suzi disse:

    Duda que demais!!
    Sou doida pra ler algo desse autor mais ainda não tive a oportunidade!! =/
    Leituras poéticas inspiram né ♥
    Achei muito interessante o protagonista ser vidrado em cores, e ainda haver uma historia dramática no meio que é o seu grande amor doente..
    E que linda essa capa hein!!Amei!!
    Beijos

  34. Milena disse:

    Duda, você não faz ideia de como eu quero ser esse livro a muuuuuuito tempo!!!!! Desde sempre eu tento entrar no submarino para ver se abaixou o preço dele……TODO MUNDO DIZ MARAVILHAS e eu adoraria conhecer essa história. Espero ganhar a promo!!!

  35. Juh disse:

    Duda,
    desde que você leu ”Coisas que ninguém sabe” você fala sobre o ”Branca Como leite, Vermelho como sangue… e desde então criei muita curiosidade em ler este livro!!! Vou ver se ganha a promo!! Em caso negativo terei que compra-lo com urgência..
    Beijos e adoro você!

  36. Laura Kienen disse:

    Oi Duda, ainda não li nenhum livro do autor mas vou procurar algum livro dele, quando alguém elogia um escritor ou diz que é um dos seus favoritos, eu meio que sempre tento procurar saber mais dele ou ler algum livro, foi assim que aumentei minha lista de escritores favoritos. O que dizer de Branca Como leite, Vermelho como sangue, acho que é daqueles livros que você lê e aprende algo com ele, se emociona, e, indica para todos os seus amigos, até os que não leem. Vou tentar a sorte na promoção, mas se eu não ganhar vou comprá-lo, beijos.

  37. Oi Duda!
    Adorei a resenha!
    Assim como Carlos Luis Zafon que depois de milhares de elogios acabei ficando obcecado em ler ele, que só estou esperando para comprar um ou vários dele esse mesmo sentimento tu fez brotar por Alessando D’Avenia. Gostei muito da história e só pela frase gostei bastante da história e dá para perceber um pouco da escrita dele!

  38. Nana ~* disse:

    Oi Duda
    Que linda sua resenha.
    Quando te perguntei sobre o livro naquele dia, não imaginava que ele fosse tão poético assim.

    Super chamou minha atenção e adorei a criatividade do autor… apesar da história parecer triste =/

    Acaba de entrar para a wishlist!

    bjs
    Nana – Obsession Valley

  39. Lucas Filho disse:

    Nossa! julguei o livro pela capa, sinceramnete pensei que seria um romance qualquer,, mas como sempre vocè, Duda, com suas resenhas maravilhosas, cativam qualquer um. Adoro o blog. Abraço

  40. Meu Deus, amei. A capa (sou apaixonada pelo cabelo ruivo), o nome, a resenha, estou completamente louca pra ler. Parece ser maravilhoso, e valorizo livros que tem a ponta de vista dos meninos, é tão difícil! Eu sonho em escrever um livro um dia, e uma das minhas narrativas com certeza será a do ponto de vista masculino, com a ajuda dos meus homens, claro (irmãos, namorado). Obrigada por me tiçar, com certeza vai pra minha wish list.

  41. Anonymous disse:

    Fiquei curiosa para ler o livro! Ainda não tive a oportunidade de conhecer o trabalho do autor, mas a sua resenha despertou interesse; e a capa é lindaa *–*
    Beijos!

  42. Amei a resenha!
    Ainda não li nenhuma obra do autor, mas os seus elogios me deixou curiosa! A capa também é muito bonita!
    Beijos!

  43. Tainara H. disse:

    Faz muito tempo que este livro está nos meus “desejados” do Skoob e eu tinha até esquecido, mas com a resenha relembrei porque me interessei tanto por ele. Também me interessei por Coisas que Ninguém Sabe e só agora reparei que é do mesmo autor, então se eu me interessei pelos dois, é porque o estilo das histórias do autor descritas nas resenhas que li, me agradam muito. Adorei a resenha e já quero muito conhecer essas duas obras do autor, que parecem ser ótimas. =D

  44. Julia disse:

    Oi Duda! Faz um tempinho que não apareço, mas já estou de volta. :).
    Acho que quis ler esse livro desde sempre. Assim que fiz a minha conta no Skoob e estava procurando por algumas possíveis leituras achei esse livro. O título me intrigou desde o primeiro momento e logo depois a história também me chamou a atenção. O problema é ele não ser tão barato.
    Beijinhos!
    http://thebooksthief.blogspot.com/

  45. Lili disse:

    Quando eu vi no skoob que estavas lendo já fiquei curiosa. Imaginei que seria muito difícil não entrar para teus favoritos e me tornar um daqueles must read desesperados.

    Quero ler também e conhecer essas imagens de professor que ele traz na linguagem tão bonita que tu retratas nos quotes.

    liliescreve.blogspot.com

  46. Oh meu deus! Beatriz tem leucemia, realmente é admirável esse fascínio por cores, incrível! o título original está em Italiano? acho que sim ^^

  47. Você disse….. CORES? Não acredito rs!!! Sou fascinado por isso e nunca vi um livro que focasse nisso, que incrivel! Preciso desse livro, desejo, i need! <3 MUITO interessante, a capa me lembrou Garota Exemplar .-.

  48. Tainara Alves disse:

    Que legal,amei,parece ser tão simples e ao mesmo tempo tao diverso..com certeza quero lê-lo.

  49. Só a capa do livro já me chama a atenção, sua resenha desperta a curiosidade total… to indo ali comprar…rs

  50. cristiane disse:

    Chamou atenção por ser contado por um garoto. Adoro livros assim, são meio difíceis de se ver…E parece ser super fofo, bem feito e trabalhado. Uma história pra virar favorita pelo visto.

  51. Hávila Lins disse:

    Oie Duda, adorei a sua resenha, e fiquei muito contente em saber que é “contado” por um garoto, ainda não li um livro assim e depois da sua resenha fiquei com muita vontade de le-lo.
    Um abraço!

  52. Unknown disse:

    Já ouvi falar muito sobre a escrita de Alessandro D’Avenia e, depois de ter lido essa linda resenha, mal posso esperar para começar com ESTE livro fenomenal: Branca como leite, vermelha como sangue.
    Gosto muito,também, desses romances em ambiente escolar; é muito legal saber o que passa na cabeça dessas “crianças” e imaginar o quão diferente ou semelhante é com os dias atuais. Enfim,estou super ansioso para ler!

  53. Adriana disse:

    Eu não li nada desse autor ainda, mas vejo belas resenhas dos livros dele, gostei do enredo da historia. Essa ligação das cores que o Leo faz entre o que acontece em sua vida e a leucemia de Beatriz, com certeza é um livro lindo e sua resenha me deixou completamente afim de ler! Parabéns! Bjão!

  54. Fiquei com uma vontade tremenda de ler só por causa da resenha em video que vc fez. Gostei da historia e tanto esse quanto “Coisas que ninguem sabe” estão na lista de desejado do skoob. Amei a resenha

  55. Manu Hitz disse:

    Este comentário foi removido pelo autor.

  56. Manu Hitz disse:

    Estou muito interessada em conhecer a escrita tão elogiada de D’Avenia. Quero todos os seus livros…
    Sua resenha apaixonada me fez imaginar como o livro deve ser escrito com o que mais admiro num autor: poesia que envolve o leitor, frases musicais que aquecem a alma. Certos livros têm frases que são melódicas, cantam ao meu ouvido.
    Mesmo com um tema que dói podemos encontrar alento e luz, paz e lirismo. É assim que ‘percebo’ o autor através das resenhas que admiram sua obra, especialmente a sua.
    Lembrei de Valter Hugo Mãe, que me fala de dor com poesia, de esperança com melancolia. Será D’Avenia assim, também?

  57. Eu simplesmente amei a resenha, e estou super louco para ler o livro!!

    Conheci o D’Avenia pelo blog e estou muito curioso para ler alguma coisa do autor e sim, gostaria de começar pelo Branca como o leite, vermelha como o sangue. E nada melhor do que participar e ganhar (sorte pra mim) um exemplar pelo blog.

  58. Gleyce Almeida disse:

    Estou looooouca pra ler esse livro, se eu não ganhar (:/) comprarei com certeza! Só aquele lance do menininho com as cores já me cativou muito, awn. Quero muito ler (:

  59. Nossa, que história comovente! Depois de ler sua resenha me senti um pouco diferente, não sei como. Mas enfim, me cativou essa trágica história de amor do Leo e fiquei curiosa para conhecer o trabalho do D’avenia (já gostei dele logo de cara por ser italiano *-*). A escrita parece ser leve, poética e apaixonante, com certeza será uma das minhas próximas leituras.

  60. Adorei a resenha. Estou super curiosa para ler esse livro desde que vi que ele entrou no rol de livros citados como “sick-lits”. Adoro esse tipo de leitura mais densa e reflexiva que mexe com a gente. Espero gostar do livro. Beijão, Mi

    http://www.recantodami.com

  61. Marie Beward disse:

    Boa tarde 🙂
    Esses trechinhos do livro enriquecem a resenha e deixam aquele gostinho de quero ler urgentemente.
    Parabéns adorei!

    Beijocas :*

  62. Ana Paula Abs disse:

    Eu estou totalmente addicted pelo livro, faz um tempo, e pelo blog também. <3 Tomara que eu ganhe! =)

  63. Adorei a resenha. O jogo que tu, assim como o autor, fez com o branco (cores) ficou muito enriquecedor na resenha! Estou enfeitiçada pela resenha, pela premissa, pelo autor. Creio que este mundo que o autor D’Avenia criou, onde tudo cria cor, deveria ser conhecido por todos. E espero que eu seja a próxima sortuda. <3

  64. Sabrina disse:

    Todas as resenhas que eu vejo dizem que esse autor tem uma escrita muito poética. Adorei a sua resenha fiquei muito interessada, adoro quando você se empolga com os livros, comprei Marina do Zafón por tua causa =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *