MENU

by • março 21, 2014 • ResenhasComments (6)1083

[Resenha] 2001: Uma odisseia no espaço, de Arthur C. Clarke

Print

Marco da ficção científica, 2001: Uma odisseia no espaço foi escrito pelo Arthur C. Clarke ao mesmo tempo em que o próprio trabalhava no roteiro para o filme homônimo em conjunto com Stanley Kubrick. Com um início completamente diferente do que eu esperava, a história já me pegou nas primeiras páginas. Começamos na Terra, há milhões de anos, observando um grupo de homens-macacos primitivos e irracionais.

Com abundância de potenciais alimentos ao redor, esses seres não possuem raciocínio para entender que todos aqueles animais podem virar comida e, diariamente, integrantes do grupo morrem de fome. Isso até surgir um objeto não identificado e incutir em suas mentes coisas que eles próprios ainda não possuem capacidade para entender, mas que seria o pontapé inicial para toda a civilização avançada que temos hoje. Mas quem fez isso? Qual a explicação e finalidade?

“A lança, a flecha, a arma de fogo e, finalmente, o míssil teleguiado lhe deram armas de alcance infinito e poder quase infinito. Sem essas armas, muito embora as tivesse usado várias vezes contra si mesmo, o Homem jamais teria conquistado seu mundo. Nelas pôs o coração e alma, e por muitas eras elas lhe serviram bem. Mas agora, enquanto elas existissem, os dias do Homem estavam contados.”

No maior pulo da história da literatura, avançamos milhões de anos à frente diretamente para 2001, quando os homens já ganharam o espaço. Há algo de estranho acontecendo na base lunar e as comunicações foram cortadas. Um astronauta experiente é convocado para dar o seu parecer confidencial ao que quer que esteja ocorrendo e a grande descoberta dará início a odisseia propriamente dita.

Uma das coisas que fazem o livro dar tão certo (e o tornaram tão incrível) é o fato do Clarke ter uma ideia muito clara do que está falando. É claro que a realidade é bem diferente já que ainda não estamos nem perto do avanço espacial apresentado no livro, mas o fato do autor ser formado em física, matemática e ter mantido contato ao longo de sua vida com especialistas da própria NASA contribuiu muito para termos uma experiência mais vívida do que está sendo passado.

Algumas partes da escrita apresentam um tom mais técnico, visto que Clarke preocupava-se em passar veracidade ao que estava contando, mas não achei a narrativa difícil ou truncada, pelo contrário, o livro inteiro se desenrola muito bem, mantendo a atenção do leitor ao longo de alguns mistérios apresentados a medida que o enredo se desenrola mais e mais. Já em relação ao final, tive que elastificar um pouco a imaginação para entender a complexidade (e viagem) do que ele estava tentando contar. E isso é só o que eu vou dizer, claro.

Depois que terminei de ler, descobri que muita gente aponta referências que o autor teria feito à IBM, única gigante tecnológica presente no mercado na época da publicação. Eu não percebi durante a leitura, nem conseguiria, mas tomar conhecimento disso deixou bem claro a crítica que ele quis passar ao personificar a empresa na imagem do robô HAL, inteligência artificial da nave Discovery, que possui um papel chave no desdobramento dos acontecimentos. O nome da máquina, inclusive, faria alusão indireta à corporação, formando-se com as letras que precedem I-B-M no alfabeto.

Parece-me que no filme as indiretas visuais são mais fortes, e eis o típico título que tanto vale pela leitura quanto, igualmente, a experiência de assisti-lo, as duas se complementam (já que foram criadas em conjunto). A história foi inspirada em dois contos antigos do Clarke que encontram-se ao final deste exemplar magnífico publicado pela Aleph. Recomendo fortemente que não espiem tais contos, pois ambos oferecem uma visão/explicação muito clara do que o autor quis passar com o livro e servem perfeitamente como complemento.

É incrível acompanhar o relato de um dos maiores nomes da ficção científica que tanto foi um ótimo escritor como, acima de tudo, um visionário. Seus escritos acompanharam e inspiraram verdadeiros profissionais do espaço, rendendo-lhe homenagens e previsões bizarras, algumas mencionadas na introdução do livro, e outras como até uma versão do iPad e a crise do fluxo interminável de informações instantâneas propiciada pela internet. Afora a diversão que o livro proporciona, fica a cargo de cada leitor decidir o que pensa sobre o maior questionamento incitado pelo Clarke.

“As barreiras da distância estão desmoronando; um dia encontraremos nossos iguais, ou nossos senhores, entre as estrelas. Os homens têm levado muito tempo para encarar essa perspectiva; alguns ainda esperam que ela jamais venha a se tornar realidade. Cada vez mais pessoas, entretanto, estão se perguntando: “Por que esses encontros ainda não aconteceram, já que nós mesmos estamos prestes a nos aventurar no espaço?” (…) Eis aqui uma possível resposta a essa pergunta muito sensata. Mas, por favor, lembrem-se: esta é apenas uma obra de ficção. A verdade, como sempre, será muito mais estranha.” – Prefácio de Arthur C. Clarke.

Título original: 2001, a space odyssey
Editora: Aleph
Número de páginas: 336
Gênero: Ficção científica
[rating: 5/5]
Exemplar cedido em parceria com a Cia dos Livros

Related Posts

6 Responses to [Resenha] 2001: Uma odisseia no espaço, de Arthur C. Clarke

  1. Marília disse:

    Oi Duda,

    Estou com essa mesma edição de 2001 e estou ansiosa para começar logo. Sua resenha me fez ficar ainda mais curiosa, apesar de que agora já tenho uma vaga noção do que acontecerá no livro (acredite se quiser: nunca fi o tal famoso filme).

    Beijinhos,

    Marília
    http://www.paginaseletras.com.br/

  2. João Pedroso disse:

    Oi Duda, tudo bem?
    Confesso que apesar de adorar Ficção científica, nunca tive muito interesse em ler 2001. Até agora.
    Na verdade eu nem sabia do que se tratava, e sua resenha acabou me empolgando muito.
    Espero poder ler o mais breve possível!

    Beijos,
    João

  3. Oi, td bom?

    Cada vez que vc comenta de um livro de ficção científica, me dá mais vontade de adentrar nesse gênero. Esse livro nunca me chamou atenção até que eu vi essa edição lindíssima (é, piriguetagem literária msm haha). Aí comecei a ler resenhas e perguntar para quem eu sabia que já tinha lido se era bom. Claro, me disseram que vale a leitura e vc confirmou isso com a resenha!
    Um dia eu ainda chego nele!

    Beijos
    http://arrastandoasalpargatas.blogspot.com.br

  4. Laura Kienen disse:

    Oi Duda, tudo bem?? Eu sou louca pra ler esse livro, todo mundo fala tão bem, adoro ficção científica e sei que esse livro tem questões para pensar. Adorei a resenha, vou ver se leio logo haha beijos

  5. Oi Duda,
    Acabei de ler este livro e já está entre meus prediletos.
    Acompanho seu canal no youtube e tenho muita afinidade com suas escolhas literárias, pois também adoro Ficção científica e Thrillers psicológicos e de investigação criminal.
    Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *