MENU

by • abril 23, 2014 • ResenhasComments (18)1804

[Resenha] A Noite dos Mortos-Vivos, de John Russo

Considerado um dos maiores clássicos do terror, A Noite dos Mortos-Vivos é um marco importantíssimo na história dos zumbis. Foi apenas ao desenvolver o roteiro para o filme homônimo lançado em 1968 que tais criaturas abomináveis ganharam força como os grandes vilões que conhecemos hoje. Apesar da presença de mortos-vivos ao longo das décadas anteriores, o horror só tornou-se mais pungente quando a dupla John Russo e George Romero trabalhou em conjunto no roteiro do longa metragem criando o conceito moderno que conhecemos hoje: criaturas mortas devoradoras de carne.

Isso, por si só, já torna o livro um must read para todos os amantes do gênero. Por ter nascido na década de 80, não consigo conceber uma ideia de zumbis sem associá-la aos bizarros devoradores de carne humana, afinal de contas é justamente por isso que eles são tão terríveis. Dito isso, foi incrível acompanhar onde essa característica foi desenvolvida. Quando o assunto é zumbi, seja em séries de tv, livros ou filmes, é conhecimento geral que eles irão atacar e a contaminação será através da mordida, não é? Mas e quando isso nunca havia acontecido?

A abordagem inicial do ataque zumbi naturalmente é diferente. Logo de início percebemos que quando os ataques começam a acontecer, as pessoas não fazem ideia do que são aquelas criaturas. A ideia levantada nas transmissões de emergência são de que humanoides extraterrestres invadiram a Terra, já que não existia uma concepção zumbi, muito menos de contaminação através da mordida. A população não sabe disso, o que torna tudo ainda mais perigoso.

Ambas as histórias presentes no livro se passam em localidades afastadas da grande metrópole e trazem fazendas isoladas como cenário central. São nesses lugares, distantes da civilização, onde os ataques acontecem com mais força, já que a guarda nacional, ao que tudo indica, consegue conter os avanços zumbis nas áreas mais populosas.

É importante atentar para a originalidade do enredo. Se escrito hoje em dia, seria apenas mais um em meio a vários do gênero. Contanto, devemos lembrar que este é o primeiro, o precursor de todas as histórias do tipo que conhecemos atualmente e, além de possuir um enredo com um alto grau de imprevisibilidade em relação ao destino dos personagens, consegue manter o interesse aceso por mesclar o toque de suspense que tanto falta nas histórias de terror atuais.

carnificina e muito sangue, mas também há bastante silêncioexpectativa. Os personagens possuem personalidades diversas e o autor conseguiu fazer aflorar o desespero que seria comum em tal situação limite. São nessas ocasiões que o pior da natureza humana começa a transparecer e isso é visto tanto no primeiro volume, como, principalmente, em A volta dos mortos-vivos, ambientando 10 anos após o início dos ataques (também presente neste exemplar). Este segundo, por sua vez, consegue ser ainda mais cruel. A ameaça vem por todos os lados, humano ou não, além do autor ter se permitido uma maior liberdade em relação a origem e forma de proliferação do vírus zumbi.

Para quem gosta de um bom livro de terror, A noite dos mortos-vivos abarca o que há de mais legal no gênero ao trazer situações desesperadoras, propriedades rurais isoladas, imprevisibilidade, um grande número de mortes e vilões tanto vivos quanto mortos. O livro foi lançado em 1973, seis anos após o lançamento do filme nos cinemas. Publicado no Brasil em 2014 pelas mãos da Darkside Books, pode ser encontrado nas livrarias tanto na edição brochura, quanto nesta coisa linda que é a edição limitada.

Título original: Night of the Living Dead/Return of the Living Dead
Editora: Darkside Books
Número de páginas: 322
Gênero: Terror
Cedido em parceria com a Darkside Books

Related Posts

18 Responses to [Resenha] A Noite dos Mortos-Vivos, de John Russo

  1. Muito bom Duda, já comprei o livro só aguardando na fila para ler, mas agora me deu mais vontade 🙂

  2. Comprei este livro no início do mês porque não consegui deixar essa edição maravilhosa fora da minha estante. Sem contar que a Darkside tá arrebentando em todos os livros. Espero que elas tragam cada vez mais, essas belezuras para as nossas estantes e as deixem lindas!!! hahaha

    Beeeijos!

  3. Nossa, MUITO linda essa edição. E o livro parece muito bom, principalmente se a trama é imprevisível – adoro reviravoltas!
    Histórias de zumbis são sempre incríveis, gosto muito do medo e das situações limite possibilitadas por esses cenários. Você já leu Guerra Mundial Z? Recomendo! 🙂

  4. Nilsen disse:

    Ok, provavelmente não é o melhor jeito de começar um comentário, mas… EU AMO ZUMBIS! HAHAH

    Tenho uma dúvida eterna sobre ter visto esse filme ou não, porque lembro de ter visto algumas cenas quando era pequena, mas não sei se foi desse filme mesmo. Esses dias entrei de novo na vibe de livros de suspense/terror (comecei a ler O Iluminado ontem), e acho que vou aproveitar pra assistir o filme 🙂

    Adoro suas resenhas <3
    Beijo!

  5. Nilsen disse:

    PS: Darkside é só amor com essas edições!

  6. Marco A. disse:

    Muito bacana a sua resenha, viu? Bastante lúcida.
    Essas ediçõezinhas da Dark Side são de dar água na boca de todo leitor compulsivo, não acha?
    Mas o que você achou da qualidade de revisão do livrinho? Está bacana, podia dar uma melhorada? Sabe, atualmente, grande parte dos livros não está sendo tão bem traduzida quanto merecia – segundo dizem os especialistas nesse assunto – e nem tão bem revisada.
    Abraços!

    • Eduarda Menezes disse:

      Fico feliz que tenha gostado, Marco.
      Quanto a revisão, não notei nada que tenha me desagradado. Claro, posso ter deixado passar alguma coisa, mas nada gritante ou então teria chamado minha atenção. Até onde percebi, a editora fez um bom trabalho nesse quesito também.

  7. Acho que apenas a edição da versão brasileira seria suficiente para o desejo de ter esse livro na estante, mas se tratando de uma história como essa fica impossível não desejar. Confesso apenas que já esperava que você diria tantas coisas positivas em relação a esse livro, ainda que particularmente conheça tão pouco da história – sim, me julgue.
    Como amante de terror e de histórias de zumbis, sei que preciso encarar esse livro como prioridade e, apesar da demora, também entrará para minha lista de desejados, o que você costuma causar constantemente, Duda. rsrs

    Beijos!

  8. Nadja Moreno disse:

    Olá Eduarda!! Tudo bem?

    Adorei sua resenha, fantástica! E eu amo desesperadamente o gênero, então este é um livro obrigatório em minha estante!

    Beijos!!!

    escrev-arte.blogspot.com.br

  9. Olá, duda, dos videos no you tube o seu é muito dinâmico e gosto muito disso. Já vi muitos vídes sobre os livros da Darkside são de excelente qualidade, eles têm um capricho especisl por suas edições. Quando vi este livro, eu gostei, li Sangue Quente e gostei. Quando li a sinopse, eu me interessei. E quando li sua resenha, decide que preciso ler. Vou gostar muito. Estou participando do sorteio também. Um abraço e parabéns por sua inteligência e disposição em postar no blog e gravar vídeos. 🙂

  10. Nadia Viana disse:

    Oi, Duda.
    Adorei a resenha e as fotos. O livro parece incrível! Essa edição limitada da Darkside Books é maravilhosa! Quero na minha estante também. 🙂
    Beijos.

  11. Igor Brasil disse:

    O livro só começou a ser publicado no Brasil este ano, é inacreditável!!!

  12. Elis disse:

    Oi Eduarda,
    Bem eu amo histórias com zumbis, apesar de não ter lido nenhuma ainda…kkkk…que estranho dizer isso, logo eu que leio tanto, mas é a pura verdade, mas minha paixão venha da série The Walking Dead…e estou para descobrir um livro de zumbis que me prenda, então estou atrás do bendito. Quando vi o sorteio, vim conferir a resenha e por ser o primeiro, creio que eu tenha de lê-la já que aprecio o tema. Tentado a sorte, mas se não der, vou atrás dele porque agora quero lê-lo…ou melhor devorá-lo. Bjus Elis!!
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

  13. Estou com muita vontade de ler!!! Ficou linda essa edição.

  14. Clívia Lira disse:

    Nossa Duda, deu mais vontade ainda de ler esse livro, principalmente porque curto muito o gênero e um clássico desses nunca é demais não é mesmo? Adorei a resenha e os detalhes!
    Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *