MENU

by • julho 18, 2014 • ResenhasComments (16)2887

[Resenha] A Menina Submersa, de Caitlín R. Kiernan

Uma leitura inesperada. Não que eu tivesse uma ideia concreta, mas certamente o que obtive não era o que eu esperava de A Menina Submersa, uma surpresa totalmente positiva. O livro não é juvenil, não sei porque eu tinha essa ideia. É uma leitura extremamente psicológica e intricada que passeia pela mente tortuosa de uma mulher esquizofrênica e obsessivo compulsiva.

esquizofrenia é uma doença mental grave capaz de alterar completamente a percepção de realidade do indivíduo que sofre desse mal. Daí você já tem uma ideia muito clara do tipo de narrativa que irá encontrar. A Menina Submersa é contado em primeira pessoa pela India Morgan Phelps (Imp). Ela é filha e neta de mulheres esquizofrênicas que se suicidaram, e sabe que herdou a doença da família. Então ela começa a escrever um livro. Uma forma de tentar entender a realidade, de colocar ordem em seus pensamentos desconexos. Tendo em vista a doença da personagem, sabemos que não podemos acreditar em nada que ela fala como certo, real.

“É um mito que pessoas loucas não saibam que são loucas. Sem dúvidas, muitos de nós são capazes de epifanias e introspecção como qualquer outra pessoa, talvez até mais. Suspeito que passamos muito mais tempo pensando sobre nossos pensamentos do que as pessoas sãs.”

A narrativa é diferente e corajosa. Pense em escrever um livro. Agora pense em escrevê-lo sob o ponto de vista de uma esquizofrênica e você verá o peso da dificuldade colocado em suas mãos. Ainda assim, Caitlín R. Kiernan tem lampejos de brilhantismo. Além de conseguir convencer na voz da Imp, ela criou uma mulher (sim, a protagonista é adulta) inteligente e multifacetada. Ademais, a autora ainda toca no ponto da transexualidade de forma louvável e livre de julgamentos ao trazer uma protagonista lésbica, com uma parceira transexual, também lésbica. Só após o término da leitura fiquei sabendo ser ela própria transexual e lésbica.

O tempo não segue uma ordem linear. A personagem não tem noção exata do que aconteceu em certo período de sua vida e escreve numa tentativa de se encontrar, separar o real do ilusório e exorcizar os fantasmas que a acometem e assombram. Fantasmas, estes, no sentido mais perigoso da palavra: nada daquela bobagem ilusória que assusta crianças, e sim os que nos assustam no sentindo amplo, que personificam nossos medos e receios, que adquirem formas diversas ao longo da vida, que representam coisas/pessoas diferentes dependendo do assombrado.

“Fantasmas são essas lembranças fortes demais para serem esquecidas, ecoando ao longo dos anos e se recusando a serem apagados pelo tempo”.

Apesar dos pensamentos desconexos e emaranhados, da confusão que acomete a cabeça de Imp e da frequente dúvida se o que aconteceu realmente ocorreu ou não, a escrita da autora me envolveu e intrigou. É um livro para quem está disposto a se deixar levar por diversas vertentes e enganar-se junto à protagonista. Uma escrita sombria, que exalta os medos existentes nos seres humanos, sejam eles atiçados por um quadro assustador (A Menina Submersa do título), um livro, um filme, uma pessoa que nos relacionamos ou qualquer outra personificação que possa nos marcar intensamente ao longo da vida. Medos acentuados pela mente esquizofrênica que nos conta a história, mas nem por isso inofensivos para os mentalmente sãos.

“(…) assombrações são memes, em particular, transmissões de ideias perniciosas, doenças contagiosas sociais que não precisam de hospedeiro viral nem bacteriano e são transmitidas de milhares de modos diferentes.”

Em um fluxo de pensamentos com características reflexivas e filosóficas sobre os temores humanos, A Menina Submersa é uma Ode ao medo. A sensação pura e aterrorizante que podemos encontrar em um momento inesperado, capaz de nos corroer ao longo da vida. O livro é repleto de referências literárias e musicais que inspiraram a Kiernan na construção da trama, além de trazer seus próprios artistas e lendas ficcionais, reunidos devidamente para contar uma história sobre fantasmas, sereias, lobos e pinturas. Onde o real encontra-se com o fantástico.

Título original: The Drowning Girl, a memoir
Editora: Darkside Books
Número de páginas: 320
Gênero: Romance psicológico/Realismo mágico
Cedido em parceria com a Darkside Books

Book Trailer:

 

Related Posts

16 Responses to [Resenha] A Menina Submersa, de Caitlín R. Kiernan

  1. Raquel Moritz disse:

    Carambolas, Duda, que maneira sua resenha! Fala aí, é difícil organizar os pensamentos depois da leitura, né? O livro me surpreendeu muito também, foram 320 páginas que pareceram muito mais por conta da densidade da história. Cada página era uma aventura.

    Suas fotos ficaram lindas <3 Lindas, lindas.

    Beijão 🙂

  2. Quequel disse:

    Olá Duda !
    Nossa só a resenha me tirou o folego, eu me interessei muito pela sinopse e pelas poucas coisas q andei vendo nas caixinhas de correios e afins aqui na internet e comprei o meu numa promoção … Ele já está aqui, mas ainda não li!
    A sua resenha é a primeira que leio e me deixou ainda mais curiosa.
    Com certeza será uma das minhas próximas leituras!
    Parabéns mais uma vez, vc escreve de um jeitomuito diferente as suas resenhas!
    Bjinsss 😉

  3. Camila K. disse:

    Já tinha me interessado pela sinopse e agora com sua resenha o livro me encantou ainda mais. Além da história interessante e com certeza diferente de tudo que já li, o livro é lindo né? Acho que ler um livro esteticamente bem feito e diagramado dá um prazer ainda maior!

  4. Oi Duda! Como sempre, sua resenha foi de tirar o fôlego 😀 adoro o jeito como você discorre sobre os enredos, com uma capacidade de persuasão enorme! Adorei a sua resenha e agora estou mais louca ainda para fazer essa leitura. Parabéns mais uma vez pelo sucesso do blog.

    Beijos,

    Bia

  5. Renata disse:

    Comprei por esses dias, estou apenas esperando chegar. Como estava muito a fim de ler nem fiquei lendo muitas resenhas e críticas para não me influenciar na leitura.
    bjs

  6. Karla Cunha disse:

    Que legal! Adorei a resenha, e quero muito comprar esse livro. Ele parece incrível.

  7. Giovana Kalar disse:

    Nossa, a Dark side é só amor <3 Que livro lindo.. confesso que não gostei muito da capa (porque não gosto de capa com pessoas, mesmo que o rosto não apareça completamente), mas no geral esse livro é lindo *.*
    É a história bemm diferente de qualquer coisa que eu já tenha visto. Com tantos livros q tenho pra ler, não sei quando conseguirei comprar este haha

  8. Já vi algumas resenhas desse livro em alguns outros lugares e percebi que praticamente todas essas resenhas colocam de maneira muito semelhante as opiniões de quem escreve. Enfim, se eu já estava com vontade de ler este livro a partir do momento que vi a capa quando a editora divulgou, agora estou ainda mais. Parabéns pela resenha Duda.

  9. Bárbara disse:

    Uau, parece incrível! Eu não fazia ideia do tema desse livro, mas vi que ele estava sendo muito elogiado e por isso já estava interessada. O medo é um tema que me intriga, mas que dificilmente é bem trabalhado. Fiquei bem curiosa com esse livro, tomara que possa ler em breve. 🙂

  10. Nathália disse:

    Oi Duda! Tudo bem?
    Que saudades do seu cantinho 😉
    A princípio, quando vi a capa e o título, sem ler nada da sinopse, acreditava que era um livro de suspense ou terror. Nunca imaginei que relatasse sobre a esquizofrenia.
    Achei bem interessante a história, já que é raro vermos obras que tratam de assuntos como esse, parece ser uma leitura bem peculiar!
    Como sempre, sua resenha ficou ótima! Parabéns!
    Tem post novo no blog: resenha e promoção de Me Liga. Passa lá!
    Beijos, Nathi
    @bookswonderland
    Books in Wonderland

  11. Eu amei esse livro e a capa dele.Gostaria de saber onde posso encontra-lo porque na minha cidade mesmo não tem.Essa história ao mesmo tempo sombria demonstra superação por parte da personagem e gostei de saber que o livro é narrado em primeira pessoa.

    http://www.vicioemlivros.com/

    • Eduarda Menezes disse:

      Pâmela, você tentou o link de compra que tem no post? Ele direciona para venda nas livrarias Saraiva ou Cultura. O livro pode ser encontrado em várias livrarias virtuais 🙂

  12. Oi Duda, tudo bem?
    Li, recentemente, uma resenha não muito satisfatória sobre esse livro, mas a sua foi totalmente diferente e conseguiu me convencer a ler.
    Achei muito interessante um livro ser narrado por uma esquizofrênica. Acredito que ninguém escreveu nada parecido. Vou ficar atenta e adquirir esse livro o quanto antes.
    Beijos

  13. Uauuuuuuuuuuuuuuuu…parece que o Neil arrasou na trama desse livro. Abordou um tema complexo e de uma forma aprofundada que nos irá prender do início ao fim da leitura.
    A diagramação e a capa estão primorosa. parabén a DarkSide pelo trabalho incrível. E parabéns a vocêEduarda por esa maravilhosa resenha.

    bjs

  14. Marina disse:

    Oii! Acabei de ler esse livro *-*
    Confesso que os motivos que me atraíram foram a lindeza da capa e a loucura da personagem! Mas acabei me encantando profundamente pela narrativa da Caitlín 🙂
    O livro tem um desenvolvimento bem lento, ele realmente me tirou da minha zona de conforto e eu adorei a experiência.
    O engraçado é que em alguns momentos eu queria dar quatro estrelas para ele e em outros eu queria favoritar, hahah. Até agora não decidi ainda!

    Beijos,
    http://www.naestradadafantasia.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *