MENU

by • agosto 30, 2014 • PasseiosComments (21)5271

Passeio cultural com a Kiera Cass no Recife

Eu ia deixar para falar sobre isso apenas no vídeo de novidades, mas algumas pessoas vêm me perguntando sobre as fotos com a Kiera, então vim contar como foi passar a manhã na companhia da autora. Começando pelo básico: ‘Mas, Duda, você é best da Kiera?’ ‘Como assim saiu com ela?’. Não, gente, não sou hehe A primeira vez que falei com ela foi na quarta-feira (27).

Há alguns meses conheci pessoalmente a fofa da Diana, responsável pela parceria da Companhia das Letras, durante um evento que ela veio fazer em Recife. Naquela época, nós e algumas blogueiras recifenses saímos juntas. A Di acompanhou a Kiera durante a turnê da autora no Brasil, quando a turnê passou por Recife, marcamos de sair juntas novamente para dar uma volta turística pela cidade, desta vez acompanhadas pela autora e seu marido.

Kiera no Recife (1)

Eu e a Kiera no final do passeio, na praça do Marco Zero

Por volta das 9h30 chamei minha tia que está de férias e adora passeios culturais, e fomos juntas ao hotel buscar o pessoal em direção ao Recife Antigo. Chegando lá, estacionamos o carro próximo ao Marco Zero, local de fundação da cidade e principal ponto turístico de Recife. Pouco depois, nos encontramos com a Brenda, do blog Catavento de Ideias, e entramos numa loja de artesanato local para a Kiera comprar algumas lembrancinhas para seus filhos.

Preciso dizer o quão divertido é fazer turismo em sua própria cidade! Acho que todos devem experimentar algum dia. Do artesanato seguimos para a Rua do Bom Jesus (antigamente conhecida como Rua dos Judeus). Além de linda, é lá que fica a Kahal Zur Israel (Rocha de Israel), primeira sinagoga das Américas. Conhecemos o local, muito interessante por dentro, além de historicamente relevante – os judeus que fundaram o lugar foram expulsos da cidade após a Batalha dos Guararapes, rumando daqui para Nova Amsterdã (atual Nova York).

“Os primeiros judeus chegados à cidade norte-americana de Nova Iorque, fundadores da primeira sinagoga local, eram refugiados do Recife e membros da sinagoga Kahal Zur Israel.”

Wikipedia

Kiera em Recife (3)

Diana, eu, Kiera, Brenda e Callaway na Sinagoga Kahal Zur Israel

Tanto a Kiera quanto o marido comentaram sobre a visita à sinagoga como um momento especial da viagem. Religiosos, a própria autora diz ter se inspirado em Ester, personagem bíblica, como inspiração para sua trilogia. “Na história de Ester, existe um rei e uma rainha, porém a rainha se recusa a aparecer em uma festa dada pelo rei. Ele fica furioso e seus conselheiros dão a ideia de que ele traga ao castelo belas moças e escolha uma nova rainha. E o rei faz isso. E traz centenas de garotas ao palácio, que são obrigadas a viver ali para sempre. E Ester é a vencedora. Então imaginei: e se Ester, ou outra garota, fosse apaixonada por alguém de fora do castelo e não quisesse estar ali? Isso não está na Bíblia, então não sabemos”, disse a escritora em entrevista à revista Veja.

Da sinagoga nos dirigimos para o Paço do Frevo, espaço dedicado a esta dança tão típica de Pernambuco. Eu havia visitado o local pela primeira vez no começo do mês de agosto e achei que seria uma boa forma de conhecer algo próprio da região. Paramos para tomar um cafézinho no térreo e depois subimos para conhecer. A Kiera deixou sua marca numa das salas do lugar e fez questão de registrar o momento ao lado do marido. No 3º andar há duas salas de vídeo sobre a história do frevo com legendas em inglês, ficamos um tempinho lá, até onde o horário permitia, e depois seguimos até o Boteco, restaurante às margens do Rio Capibaribe, para almoçar antes de voltarmos.

Kiera em Recife (1)

Kiera registra sua presença no Paço do Frevo ao lado do marido

Neste ponto, já sabíamos a loucura que estava acontecendo no Shopping Recife. A tarde de autógrafos começaria às 17h, mas havia gente esperando desde às 7h da manhã. O problema chegou ao ponto de o Shopping não permitir a entrada de pessoas na livraria. Ficou claro que nem todos conseguiriam as 500 senhas anunciadas. Foram autorizadas 150 senhas adicionais apenas para fotos, e, por mais que a autora desejasse atender a todos, e tenha dito isso diversas vezes, algumas pessoas não conseguiram vê-la, tanto por conta da multidão presente, quanto fechamento do local às 22h.

Por volta das 16h30, passei no hotel novamente – que é bem perto da minha casa – para buscá-los e levá-los ao Shopping Recife. Desta vez, levei comigo no carro a minha prima Sarah, super fã da autora, que tinha ficado horas na fila da livraria pela manhã e não havia conseguido senha. Eu mostrei para Kiera algumas fotos que a minha prima havia tirado pela manhã da fila de espera e, quando paramos no estacionamento, Sarah aproveitou para tirar fotos e garantir o seu autógrafo.

Kiera Cass

DSC01551

Ficamos um pouco por lá, encontramos novamente com a Brenda, e acreditem quando digo que a Saraiva estava claustrofóbica e extremamente quente. Era quase impossível passar muito tempo lá dentro. Não conseguimos ver a autora mais uma vez, era humanamente impossível passar pela quantidade de pessoas amontoadas, e fomos dar uma volta e tomar um café com a minha mãe e e minha tia, cansadas, mas felizes, após os passeios do dia. Agradeço à Diana por novamente nos fazer companhia em sua visita à cidade e espero que nos vejamos mais vezes futuramente. o/

Café São Bráz

Eu, Sarah e Brenda

Related Posts

21 Responses to Passeio cultural com a Kiera Cass no Recife

  1. Érica disse:

    Duda, que oportunidade maravilhosa menina! Sem dúvida foi um dia inesquecível. A Kiera parece ser um amor de pessoa. Fico muito feliz por você, por ter vivido algo tão especial e significativo. Você representou todos os fãs que não puderam vê-la nem pegar autógrafo.

    http://tudoqueeuli.blogspot.com

  2. Camila K. disse:

    Duda, que delícia de passeio! Tenho ‘A Seleção’ aqui, mas ainda não li, acredita? Sempre ouço falar bem dessa trilogia e qualquer dia desses vou acabar lendo.
    E turistar na cidade que a gente mora é sempre bom né? Acabamos descobrindo lugares diferentes que muitas vezes nem sabíamos que existia.

    Bjs!

    • Eduarda Menezes disse:

      Eu ainda não li também, Camis! Estão na fila rs
      É bem divertido fazer passeios turísticos em nossas cidades. Às vezes quem mora em determinado local é quem menos conhece os pontos mais turísticos, justamente por isso. haha
      Beijos!

  3. Beatriz Lima disse:

    Nossa Duda, que oportunidade maravilhosa, acho que você pirou em ter um dia com uma escritora tão especial. Parabéns!
    http://leit0res.blogspot.com.br/

  4. Duda, quero registrar meu agradecimento por ter me proporcionado uma manhã tão especial na companhia de pessoas tão especiais e ainda mais turistar na nossa linda Recife! Seu texto sobre o “dia com Kiara” conta exatamente como ele foi! Essa manhã tão especial que vivemos me fez ver o quanto valeu a pena ter te levado desde de pequeninha às livrarias!! Hoje, você é quem me leva! Bjos de Tia!

  5. Acho que nem preciso dizer que achei muito bacana você ter a oportunidade de “apresentar” sua cidade para a Kiera, não é? Aliás, a foto de vocês duas ficou incrível. *-*
    Antes mesmo de ler a sua postagem, já imaginava que ela seria muito bem recebida pelos leitores e aproveitaria esse passeio ao passeio ao máximo. Digo isso porque tenho muita vontade de conhecer Recife e seria muito injusto não aproveitar. Haha A minha curiosidade por Recife especificamente é devido a cultura e história da cidade, mas confesso que jamais imaginei essa questão dos judeus.
    De qualquer forma, mais do que apresentar essa oportunidade única (que torço para se repetir com outros autores também), sua postagem serviu também para ter ideia do que conhecer no futuro. 😀

    Beijos, Duda!

    • Eduarda Menezes disse:

      Obrigada, Ric!
      A cidade está de portas abertas, viu? Quando você vier podemos marcar um passeio turístico também! 😀
      Fico feliz que tenha gostado.
      Beijão

  6. Drielly S. disse:

    Que legal Duda! Parece que os dois são uns amores de pessoa. Deve ser sido bem legal ter passado um tempinho com eles.

  7. Tiago Vieira disse:

    Oi Duda, tudo bem ?!

    Achei super legal essa postagem contando seu dia com a autora Kiera Cass em sua cidade!

    Não conhecia ela, mas conhecia seus livros de ler resenhas por aí. Achei – pelas fotos e relatos – ela super humilde e simples como qualquer um de nós! E isso é raro para uma autora com livros tão famosos.

    Fiquei feliz em saber que ela se inspirou na História de Ester, que já tive a oportunidade de ler na Bíblia Sagrada.

    Parabéns por esse super POST!

    Uma ótima semana pra você, Duda!

    Bjs.

    • Eduarda Menezes disse:

      Ela é bem simpática mesmo, Tiago!
      Fico feliz que tenha gostado do post 🙂 Sempre bom vê-lo aqui.
      Beijos e ótima semana para você também!

  8. Lais disse:

    Não acredito , Duda vc não tem ideia de como eu me programei toda pra ir ao shopping Recife pegar o autografo da Kiera. Só que eu muito relax, achando que não ia ter muita gente, afinal eram 500 senhas, pedi dispensa do trabalho de 12:00 imaginando que se chegasse de 13:00 horas lá, ia dar tempo suficiente, ai minha irmã que trabalha no shopping me liga contando sobre o caos que estava a saraiva, inclusive com ônibus fretado de Caruaru e falou que nem adiantava ir, porque as senhas estavam esgotas. Resultado fiquei super triste e acabei continuando no trabalho, agora adivinha onde eu trabalho : Recife Antigo kkkkkkkk se eu soubesse ……..
    Beijos adorei as fotos .

    • Eduarda Menezes disse:

      Poxaaa, que penaa! Eu imaginei que seria uma loucura, mas excedeu até as minhas estimativas. Tinha muita gente!
      Fico feliz que tenha gostado do post. Beijos, Lais!

  9. neyara disse:

    Geeeente, como assim! Haha, adoooorei seu passeio com a Kiara, oportunidade única, um dia muito especial!
    Quando fazemos turismo na nossa cidade, descobrimos coisas que nunca tínhamos parado para observar, haha
    Beijo

  10. Kamilla Evely disse:

    Deve ter sido bem bacana o passeio, moro aqui em Recife e nunca visitei alguns lugares citados. Poser né?! hahahaha A saraiva realmente estava um horror, cheguei às 22h, não consegui senha. Peguei uma das 150 fichas que eles deram. E só fui conseguir conhecer a Kiera de 21h. Mas adorei conhecê-la, ela é muito fofa. Mas estava claustrofóbica mesmo. Passei mal, até. Um dos pontos negativos do evento, foi a desorganização da saraiva. Creio que eles não esperavam tanta gente, porque colocaram até caixas como segurança. haha Mas foi bacana ela ter vindo pra cá, lembrarem de Recife né? o eixo São Paulo e Rio são geralmente são sempre lembrados. Recife é sempre esquecido. kkkk
    Adorei as fotos!! 🙂

    • Eduarda Menezes disse:

      Feliz que gostou Kamilla!
      Simm, tô adorando que Recife está entrando mais na rota dos autores. Só esse mês tem Pedro Bandeira, Paula Pimenta, Bruna Vieira, Raphael Draccon e Carolina Munhoz. Muita gente, né? kkkkk E vamos torcer para virem cada vez mais.
      Não sabia dessa dos caixas como seguranças, deve ter sido punk mesmo o negócio hehe Eu passei por lá rapidamente, mas estava tão cheio que acabei saindo logo. A espera foi grande, mas que bom que você conseguiu vê-la e tirar foto. 😀

  11. Tahis disse:

    Hey Duda!
    Muito legal o passei e a companhia da Kiera e das meninas! Que invejinha de você e das meninas, a Kiera parece uma fofa, e ser super simpática! Não consegui pegar senha para conhece-la na Bienal, estava muuuito cheio e muita confusão! Quem sabe numa próxima!!

    Beijos!

  12. Millena disse:

    Uma tia que está de férias e adora passeios culturais… acho que é obrigação do recifense não desperdiçar a cidade maravilhosa turística e culturalmente falando! Peeeena que nem todo mundo pensa assim, hein!?
    Suas escolhas foram sensacionais, claro que para mostrar o Recife todo… seriam necessários muitos dias, né.
    Fui na Sinagoga ainda estava na escola… hehe.
    Já o fresquinho Paço do Frevo é tema de trocentos trabalhos apresentados em sala de aula porque uma das minhas amigas estagia lá, museologicamente falando o lugar é cheio de polêmicas… mas é consenso que é um ótimo ponto a ser conhecido.
    Aliás, nessa foto no Paço dá para ver o quão recifense ela está vestida, a roupa típica para essa terra dos altos coqueiros rsrs, bem leve, eu não acharia ela incomum na rua…
    Por fim, eu já acho o Shopping Recife meio claustrofóbico por natureza…

    Beijos!!!

    • Eduarda Menezes disse:

      Simmm. Fiquei super empolgada para fazer mais passeios assim. Soube que abriu o museu Cais do Sertão. Tô doida pra conhecer!
      O engraçado é que a Saraiva é sempre tão livre haha A gente passeia super bem lá dentro. Nesse dia estava insuportavelmente quente.
      Beijos, Mi!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *