MENU

by • outubro 22, 2014 • ResenhasComments (6)2922

[Resenha] Androides Sonham Com Ovelhas Elétricas?, de Philip K. Dick

Lançado originalmente em 1968, Androides Sonham Com Ovelhas Elétricas? traz um futuro pós-apocalíptico ambientado nos anos 90. A Terra foi praticamente dizimada após uma grande guerra e a maioria dos seres humanos, incentivados pelo governo com o prêmio de um robô pessoal, acabou partindo para outros planetas e iniciando uma recolonização. Os remanescentes convivem diariamente com uma poeira radioativa, que quase exterminou todos os animais, e vivem próximos a grandes metrópoles, como é o caso de Rick Deckard, o protagonista.

Especializado em caçar androides, Deckard não tem muito dinheiro e depende da recompensa pela morte de cada um que encontrar. O problema é que o robô não é aquele negócio de metal, facilmente reconhecível, e sim idêntico a um ser humano, o que o permite passar despercebido como tal, às vezes até como alguém reconhecidamente popular, livre de dúvidas ou questionamentos pelos demais que o rodeiam.

Mas quem é humano e quem é robô? Essa indefinição concede agilidade e certo suspense ao enredo. Não saber ao certo a identidade de quem o rodeia é perigoso e fatal. Mas esse é o ganha pão de Rick e, para identificá-los, o personagem submete os suspeitos a um teste cerebral para verificar como a mente reage a certos estímulos sociais. Afora tal procedimento, não há realmente como dizer, e nessa linha tênue reside o grande questionamento: o que nos torna humanos?

Ao longo do enredo o personagem irá passar por uma crise interna. Na nova caçada, haverá situações atípicas que o farão refletir sobre sua vida e ações. O que exatamente difere alguém que aparenta e age exatamente como um ser humano, mas não o é de fato? Philip K. Dick levanta diversas reflexões sobre a natureza humana e sua sensibilidade intrínseca ao meio em que vive. O autor também aborda a frieza dos avanços tecnológicos e sua busca implacável por aprimoramento e perfeição, além da presença, influência e necessidade da religião na vida das pessoas.

 Nesta edição, publicada no Brasil pela editora Aleph, é possível conferir a última entrevista que o autor concedeu antes de morrer (de cortar o coração, gente! 😥 ), além de um paralelo entre livro e filme escrito pelo tradutor da obra no Brasil. Elementos futuristas, combinados com o alto teor reflexivo de seu texto, contribuíram para tornar o livro um grande clássico atemporal, imortalizado tanto na literatura quanto nos cinemas.

“Minha vida e meu trabalho criativo estão justificados e foram completados com Blade Runner. Obrigado… e vai ser um sucesso comercial estrondoso. Será invencível.” – Philip K. Dick

Título original: Do Androids Dream of Electric Sheep
Editora: Aleph
Número de páginas: 272
Gênero: Ficção científica
Cedido em parceria com a Aleph

Related Posts

6 Responses to [Resenha] Androides Sonham Com Ovelhas Elétricas?, de Philip K. Dick

  1. Juliana disse:

    Eu já tinha visto algumas resenhas desse livro e agora tô mais curiosa ainda pra ler! Parece muito bom mesmo.
    Mas me sinto meio ET porque nunca ouvi falar desse filme 🙁

  2. Bárbara disse:

    Tenho um pouco de receio com esse autor, porque não gostei muito de Ubik. Mas esse livro parece muito bom, eu gosto de livros com robôs e dessa linha tênue entre o humano e o computador, é um tema fascinante! Com certeza vou colocar essa obra na minha lista – que já está cheia de títulos da Aleph, vários dos quais estou esperando pra comprar na feira da USP. :3
    E, em um comentário à parte: o título desse livro é muito bom, né?

    http://www.blogsemserifa.com

    • Eduarda Menezes disse:

      A Aleph arrasa na escolha dos livros, né? haha Também tem vários que quero ler.
      Ubik não é das minhas prioridades, tem outros do Dick que me parecem bem mais interessantes. Vale a pena tentar os demais 😉
      O título é maravilhoso mesmo haha

  3. Laís disse:

    Adorei a resenha Duda e fiquei super curiosa para ler o livro já que adoro ficção cientifica, mais um pra minha lista interminável de compras rsrsrsrsrs.

    Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *