MENU

by • dezembro 9, 2014 • ResenhasComments (6)2172

[Resenha] A Noite da Encruzilhada, de Georges Simenon

Conhecido como um dos principais nomes da literatura policial, o escritor belga Georges Simenon lançou, ao longo de sua carreira, aproximadamente 200 romances e mais de 150 short stories. Seu principal personagem, o comissário francês Jules Maigret, figura como protagonista em 75 novelas e 28 contos, sendo um destes A Noite da Encruzilhada, sétima aventura do detetive, lançado em 1931.

A noite da encruzilhadaO enigma da morte de um negociador de diamantes desconserta a polícia. O homem foi encontrado morto com um tiro dentro da garagem de uma mansão na Encruzilhada das Três Viúvas, com o detalhe que o carro em que ele se encontra pertence ao vizinho, que, por sua vez, encontrou o carro do proprietário da mansão ao lado em sua própria garagem. O morador alega não fazer ideia de como o veículo foi parar ali e é levado para um interrogatório inconclusivo que termina em soltura por falta de provas.

A história se desenrola num curto período de tempo, suficiente para acontecer mais de uma morte e alguns comportamentos suspeitos que complicam o caso. Ambientado na tal encruzilhada, Maigret começa a rondar os poucos habitantes locais para tentar descobrir segredos ocultos. Seu método é simples, mas eficaz. O detetive não possui habilidades especiais fora do normal, mas faz as perguntas certas e possui um olhar apurado.

Por conta da brevidade do enredo, ainda preciso ler muitas outras histórias para conseguir criar uma imagem mais delineada de sua personalidade, mas um dos pontos que o diferenciam de outros personagens do gênero é o fato de ser casado, ainda que a esposa apareça muito brevemente no livro. Ainda que rápida, a história é interessante e atiçou a minha vontade de conhecer outros casos do Maigret.

A noite da encruzilhada (3)

O clima predominantemente noturno, num local afastado, com direto a uma mulher enigmática, sensual e de poucas palavras, remete aos clássicos policiais. Esta ambientação, combinada à narrativa rápida e gostosa do Simenon, me fez lê-lo rapidamente, como um conto interessante um pouco maior que o tradicional (o termo correto é novela), bom o suficiente para despertar a curiosidade pelos demais, porém inconclusivo para a formação de uma imagem mais concreta sobre a obra do autor (obviamente).

Com um glamour de suspense francês, A Noite da Encruzilhada é uma entrada adequada no universo de Maigret. O desfecho é satisfatório, ainda que não de todo surpreendente, e possui a clássica cena em que o detetive reúne os envolvidos e expõe como desvendou as incongruências necessárias para a resolução do caso. Um romance policial anos 30, com o charme dos clássicos mistérios em que a perícia forense de nada servia, sobrando ao intelecto o desfecho apropriado.

Título original: La Nuit du Carrefour
Editora: Companhia das Letras
Número de páginas: 144
Ano: 1931 (esta edição: 2014)
Gênero: Romance policial/Thriller
[rating: 3/5]
Cedido em parceria com a Companhia das Letras

Related Posts

6 Responses to [Resenha] A Noite da Encruzilhada, de Georges Simenon

  1. bruno disse:

    esse livro parece ser bem interessante Eduarda!

  2. bruno disse:

    ia me esquecendo, Feliz 2015!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *