MENU

by • abril 16, 2015 • ResenhasComments (41)9452

[Resenha] Restos Mortais, de Patricia Cornwell

Restos Mortais é o terceiro volume de uma série policial com 22 livros já publicados no exterior, protagonizada pela médica legista Kay Scarpetta. Essa é também a minha terceira experiência com a autora, mas cada uma das histórias traz um caso específico que se encerra ao final, ou seja, são independentes, apesar da cronologia na vida pessoal da personagem. Neste livro, Kay se envolve na caça a um serial killer de casais. Logo no início, o criminoso faz sua quinta investida desafiando o raciocínio da médica que não consegue atestar exatamente como os adolescentes morreram, por conta do avançado estado de decomposição dos corpos.

Restos mortaisQuem já leu a resenha dos livros anteriores, sabe o quanto acho interessante acompanhar o caso pelo ponto de vista de uma médica legista, algo diferente do usual, que traria o inspetor/detetive. Não é que eles estejam ausentes, pelo contrário. O detetive Marino está constantemente em cena, além de alguns agentes do FBI, mas é uma visão interessante entender como outros profissionais contribuem para a resolução de um crime, ainda que a autora foque bastante na participação ativa da profissional legista, mesmo além de suas contribuições tradicionais.

Sempre me agrada perceber o trabalho de pesquisa na construção de um livro. Patricia Cornwell sabe do que está falando, não apenas no lado técnico (com o uso de técnicas forenses atuais à época em que o livro foi escrito), mas também programas e procedimentos policiais diversos. Há pouco tempo terminei a leitura de Whoever Fights Monsters (Robert Ressler), um livro não ficcional sobre o trabalho do FBI na caça a assassinos seriais e, tendo sido lançado em 1992, os programas lá implantados estão também presentes no livro da autora, lançado no mesmo ano.

Cornwell, inclusive, cita casos verídicos e menciona até a presença de uma médium utilizada secretamente pelo FBI na época; a autora troca o nome da profissional, mas cita os mesmos feitos realizados por ela na vida real – e que haviam sido citados no livro de Ressler – mostrando o quanto estava familiarizada com os procedimentos e assuntos internos do bureau, algo que, imagino, deve continuar ao longo da série, tornando ainda mais interessante acompanhar esse aprimoramento da força policial (tático e tecnológico) que certamente deve ocorrer com o passar dos anos.

Ademais, a autora traz um caso interessante, que pode não oferecer muitas surpresas, mas me manteve suficientemente interessada no que estava sendo contado. Gosto de me sentir inserida na investigação e isso acontece nos livros da autora, que costuma trazer pistas, incongruências e mistérios curiosos, nem tanto quanto a identidade de quem os cometeu, e sim mais pro lado de como tudo foi realizado e a expectativa da captura iminente. Houve certo aspecto fortuito na resolução do crime, algo que, de início, considerei muito conveniente, mas devo admitir a sagacidade da autora ao apontar a mesma coisa no final do livro e citar exemplos reais onde a sorte foi fundamental para o fechamento do caso.

Restos Mortais (1)

Apesar de não haver uma forte necessidade cronológica, me dei conta que pela quantidade de livros lançados há sim certos spoilers que o leitor pode encontrar caso leia sinopses de volumes mais recentes (por exemplo, sobre a identidade do par romântico da autora, algo que não fazemos ideia de como irá se desenrolar – e sim, eu peguei esse spoiler). No entanto, a proposta é mais uma leitura rápida que mergulha o leitor dentro dos procedimentos de uma investigação criminal, algo satisfatório e interessante para os que gostam de um romance policial breve e bem contado.

Título original: All that remains
Editora: Paralela
Número de páginas: 312
Ano: 1992 (esta edição: 2013)
Gênero: Thriller/Romance policial
[rating: 3.5/5]
Cedido em parceria com a Paralela

Related Posts

41 Responses to [Resenha] Restos Mortais, de Patricia Cornwell

  1. Nessa disse:

    Oi Duda
    Eu ainda não li livros de Serial Killers, mas vejo tanto seus comentários sobre, que já estou bem curiosa para ler algo.
    Que livro vc me indicaria para começar??

    Beijos

    • Eduarda Menezes disse:

      Oi, Nessa!
      Sempre sofro pra escolher apenas um livro pra indicar haha São tantos livros bons!
      Você já leu o Viva para contar, de Lisa Gardner? Traz uma trama de Serial Killer bem interessante. Acho que você também pode gostar de Eu sei o que você está pensando, de John Verdon. Tem vários outros também! Qualquer coisa, dá uma olhada na aba thriller aqui do blog (http://www.book-addict.com/tag/thriller).
      beijão

      • Nessa disse:

        Oi Duda
        Nossa, muito obrigada pelas dicas! Vou agora mesmo dar uma olhada nestes títulos e escolher um. Depois eu te conto o que achei da leitura.

        Beijinhos

  2. Camila K. disse:

    Adoro os livros dela principalmente por abordar a história sob a ótica da legista. Acho que muitas vezes nos romances policiais que focam no detetive, não temos dimensão da importância do trabalho do médico e nos livros de Cornwell isso fica bem claro.
    Vou adicionar esse terceiro volume à minha lista.

    Beijos, Duda!

    Camila | http://www.lendoporai.com

    • Eduarda Menezes disse:

      Simmm, fora que essa mudança de perspectiva é boa de vez em quando, né? Pra mudar um pouco a forma como vemos a investigação!
      Espero que goste, Camis!
      beijos

  3. Caauzinhaa disse:

    Pena que só são três, né?! =/
    Tudo que é bom, acaba..hahaha
    Sempre fico sabendo desses títulos e de livros bons desse gênero assim… por você! Igual foi com “Whoever Fights Monsters”! Obrigada!

    • Eduarda Menezes disse:

      São 22 livros já publicados na série. Dá uma olhada que foi a primeira coisa que comentei na resenha! 😉
      Fico feliz que goste das dicas!

  4. Estou loca pra ler todos os 3 da serie.. Espero ganha-los no sorteio!!!
    Parabéns pelo aniversário do blog 🙂 Bj

  5. Roan disse:

    Parece ser muito bom, como os outros livros da série.

  6. Bruno Luis disse:

    Não vejo a hora de ler essa série, parece ser muito interessante.

  7. Casos assim me chamam atenção, esses livros ficam me chamando.

  8. Thaísa Góes disse:

    Acho que agora essa série me deixou bem curiosa, mas são 22 livros né? Vou ter que achar tempo pra ler todos esses livros. Vou tentar, pelo menos, ate o segundo que foi o que eu mais gostei. Parabéns pela resenha.

    • Eduarda Menezes disse:

      São vários, mas é algo pra a gente ir lendo aos poucos, sem pressa. Coisa pra anos mesmo! Pelo menos é como eu encaro haha

  9. Como havia dito no outro comentário do livro Corpo de Delito, a autora faz todo um trabalho de pesquisa para escrever aos seus leitores algo que é verdadeiro!
    Agora , mais que tudo, quero muito ler estes livros, gosto demais de tentar desvendar os mistérios, e acompanhar a saga da , agora, nova “detetive”, a médica-legista Kay Scarpetta!!

  10. Parece ser um livro bom, não me lembro porque não o li.

  11. Continuo amando o fato de ser narrado pela médica legista e por novamente contar com a “participação” de um serial killer e de casais, achei a ideia muito bacana. Continuo interessada nos livros dessa autora, e como sempre, lá vai mais um pra minha lista de desejados rs
    Bianca

  12. Uauuu, 22 livros é uma vida pra ler! Posso estar errada, mas é uma daquelas leituras boas para “descansar”?

  13. Ollie Sousa disse:

    Quero muito ler os livros desta serie… 😀

  14. Thaís Dória disse:

    Parabéns pela resenha. Vi que são 22 livros, me deu uma leve preguiça.

  15. Boa resenha. Eu sempre leio livros que o protagonista é um policial ou um detetive nunca li sendo uma medica legista.

  16. Shadai Vieira disse:

    Terceiro livro e terceira resenha favorável. A autora satisfaz o leitor então. Mas, eu costumo enjoar de ler mesmo gênero e do mesmo autor seguidas vezes, pois, geralmente, a escrita é a mesma, então há uma fórmula que já está acostumado e assim perco um pouco fator surpresa/novidade.

    • Eduarda Menezes disse:

      Talvez a pessoa enjoe mesmo, Shadai, mas no meu caso sempre coloco uma distância entre a leitura de um e outro e vou lendo ao longo dos meses/anos. Assim a gente não cansa =)

  17. Thiago Roza disse:

    O ruim de tantos livros, é que você acaba realmente encontrando pequenos spoilers por mais que cada livros seja um caso diferente. Ótima resenha!

  18. Aru disse:

    Li as resenhas que vc escreveu de todos os livros da autora e achei interessante essa mudança de foco para a médica legista. As obras policiais normalmente não valorizam muito este tipo de personagem.

  19. Estou muito animada em ler essa série. Vou terminar uma série que estou lendo e embarcar nessa que me parece ser ótima.

  20. Nunca li nada da autora, mas adoro thriller e romance policial, pensando seriamente em ver se gosto =)

  21. Marina disse:

    Até o momento li apenas um livro da Patricia Cornwell. Definitivamente, há muita riqueza investigativa e técnica (adorei isso), o que, nesse livro que li, superou o desfecho não tão “mirabolante”.

  22. Não dá pra parar de ler. Reviravoltas, e acontecimentos intrigantes.
    Além do fato de ser impossível não se apaixonar pela HUMANIDADE de seus personagens. Scapertta e Marino tão cheios de fraquezas, defeitos, virtudes. São absolutamente reais. E não só eles. Cada um de seus personagens… são muito bem elaborados… envolventes… irresistíveis.

  23. Luciane Souza disse:

    Adoro o mistério desses livros, fico imaginando tudo e confesso que não gosto tanto quando acerto, gosto quando algo surpreendente acontece, isso me faz classificar um livro em mediano ou bom. Obrigada por mais uma resenha. Bj

    • Eduarda Menezes disse:

      Também adoro me surpreender. É uma das coisas mais legais!
      Apesar disso, a parte mais forte nessa série da Cornwell, até o momento, não foi a surpresa, mas a forma como a investigação é conduzida.
      beijos

  24. Lucia Marina disse:

    Gostei do tema serial killer de casais, interessante. Como já comentei em uma resenha anterior, o fato de Scarpetta ser uma mulher me chamou a atenção (com esse nome achava que era homem), e ser ambientado no mundo médico, mesmo que post mortem, é irresistível. Parecem ser livros bem divertidos, bons para ler entre leituras mais densas.

  25. Giovanna disse:

    O jeito que você faz resenha sobre o livro da vontade de entra no livro e viver a estória.continue assim

  26. Sou apaixonada pelas histórias da autora. Ela tem uma mente muito criativa e cada livro que leio dela me surpreendo cada vez mais com sua capacidade de criar tramas tão bem elaboradas. Este tem tudo pra me conquistar. Com certeza está na minha lista de leitura desse ano.
    Beijos.

  27. Nome disse:

    Ótima resenha, adorei!

  28. Leila Maciel disse:

    Agora já sei que não devo ler as sinopses dos outros livros…

  29. Bia Felix disse:

    Cada vez me convenço mais de que essa série é puro suspense. Sendo assim, seria o tipo do livro pra ser lido nas férias, pois uma vez iniciada a leitura não conseguimos mais parar de ler, o que exige tempo.
    Mas, de qualquer forma, eu diria que a forma como você expõe o seu ponto de vista e experiência com a leitura cria em nós, leitores, a vontade de comprar logo e começar a ler o quanto antes.
    Ah, e foi bom saber que o ideal é ler na ordem cronológica, porque eu já estava pensando em pular o primeiro…
    Parabéns pela resenha!
    Bjos.

    • Eduarda Menezes disse:

      Obrigada, Bia! =)
      Você até pode pular o primeiro hehe Nesses volumes iniciais não faz diferença, só mais pra frente na série. Mas eu gostei do 1º e te recomendaria seguir na ordem. Até pra ter uma introdução mesmo.
      beijos e boas leituras!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *