MENU

by • julho 5, 2015 • ResenhasComments (10)4025

[Resenha] A Caça, de Jussi Adler Olsen

Segundo volume de uma série policial independente protagonizada pelo detetive dinamarquês Carl Morck (o primeiro é A mulher enjaulada,  A Caça aborda as mentiras por trás do brutal assassinato de dois irmãos ocorrido há 20 anos. Um homem foi preso pelo crime, mas tudo leva a crer que um grupo de amigos estava diretamente envolvido. Como líder do Departamento Q (unidade criada para solucionar casos antigos), Morck e Assad, seu parceiro muçulmano, resolvem investigar um pouco mais e descobrem que essa pode ser apenas uma de várias atrocidades cometidas pelo grupo ao longo dos anos.

A caçaDiferente do livro do anterior, o leitor, assim como o detetive, já sabe a identidade de todos os que cometeram os crimes. Não há nenhum tipo de mistério acerca da responsabilidade das mortes, inclusive enxergamos diferentes pontos de vista ao longo da história que deixam isso bem claro. A problemática fica justamente em como provar que um trio de homens extremamente influentes e ricos são, na verdade, assassinos sádicos e desenfreados.

Essa ausência de mistério me refreou de início, mas logo que peguei o gosto pela leitura foi quase impossível parar. Jussi Adler-Olsen consegue desenvolver os rumos de uma investigação policial maravilhosamente bem, e o faz sem torná-la monótona ou desinteressante. Acompanhamos o passo a passo da obtenção de pistas e entrevistas, a frustração e empolgação dos envolvidos no caso, alguns caminhos sem saída que tornam o livro um pouco mais grosso do que o necessário, mas que, ao menos, fornecessem um panorama geral interessante e muito amplo do quadro em questão.

Não há questionamentos ou incríveis plot twists na trama, apenas vilões que causam desconforto no leitor, e uma antagonista que atua como uma espécie de anti-heroína, nem um pouco mais bondosa que seus sádicos amigos, mas amargurada e calejada pela vida, em busca de vingança. Os personagens causam repulsa e várias cenas violentas descritivas servem para acentuar suas mentes doentias. Ainda que tenha achado certa parte do final um pouco mais corrida (e fácil) do que eu esperava, gostei da conclusão do caso.

A caça, Jussi Adler-Olsen (1)

É mencionado bem de passagem o caso do livro anterior (sem spoilers), e algumas questões pessoais da vida do detetive, quebradas pelo seu mal humor característico que serve apenas para torná-lo engraçado e consegue dar um tom agradável de humor à trama. Por mais que eu ainda prefira o primeiro (e aqui vale mencionar o talento do autor para cenas de violência e tortura em ambos os volumes), A Caça foi uma leitura interessante pelo elenco de personagens e mão habilidosa do autor em nos mergulhar inteiramente no cotidiano de um caso policial.

Informações adicionais:

– A mulher enjaulada e A caça ganharam adaptações cinematográficas dinamarquesas sob os títulos (em inglês) Keeper of Lost Causes (2013) e The Absent One (2014), respectivamente.
– A série de livros Departamento Q já possui 6 volumes publicados no exterior.

Título original: Fasandraeberne
Editora: Record
Número de páginas: 462
Ano: 2008 (esta edição: 2015)
Gênero: Romance policial/Thriller
[rating: 3.5/5]
Cedido em parceria com a Record

Related Posts

10 Responses to [Resenha] A Caça, de Jussi Adler Olsen

  1. Laís disse:

    Oi Duda

    Como o ano passado eu não li tantos livros de suspense esse ano eu estou com muita vontade de ler mais livros desse gênero .
    Eu também prefiro ler livros onde existe o mistério de quem são os envolvidos e qual a motivação para os crimes, mas acho que quando o autor é bom ele consegue manter o seu interesse vivo mesmo já sabendo quem são os culpados né.
    Fiquei interessada na história mas acho que vou começar pela A mulher enjaulada .

    Beijoss

    • Eduarda Menezes disse:

      Também recomendo começar pelo primeiro, já que é melhor hehe Mas esse é legal também. Espero que goste 🙂
      beijo

  2. oi duda! eu não costumo ler blogs, mas dei uma chance ao seu – porque nunca se sabe, né? gosto do se canal e da sua personalidade, do seu modo de se expressar… por que não gostaria daqui?

    eu não li nenhum dos volumes da série, mas fiquei interessada. me interesso muito mais por saber sobre os assassinos e sobre o caso, do que a dramatização e reviravoltas. (talvez isso seja culpa de tanto serial killer e canal investigação discovery – eles te fazem apreciar esse lado da investigação tanto quanto os outros, da ação e tudo mais).

    é claro que todo mundo gosta de um mistério, ação e surpresas. mas se eu tivesse oportunidade de entrar em uma delegacia e pegar os casos mais… fortes, o faria sem dúvida. a vítima, pra mim, é um infeliz. não querendo, de modo algum, ofender ninguém. modo de falar, mesmo. os assassinos são meus ratos de laboratório. do mesmo modo que cientistas pesquisam a mente dos chipanzés… não sei se você está me entendendo, mas digamos que eu tentei.

    adorei o seu blog (que bom que arrisquei!) e pretendo visitar mais vezes!

    dá pra acreditar que, durante a rápida leitura da sua resenha eu ouvia sua voz como locutora? é fantástico.

    beijo. e muita sorte com tudo isso.

    • Eduarda Menezes disse:

      Oi, Laís! Que feliz em te ver por aqui! Fico super contente que também tenha gostado do blog ♥
      Eu também adoro ler sobre serial killers, investigação criminal… acho assuntos muito interessantes, então te entendo!
      Obrigada por acompanhar o canal (e agora o blog). Será um prazer conversar contigo por aqui também =)
      beijão e boas leituras

  3. Eu também gosto de descobrir aos poucos a identidade do assassino, isso ajuda a interagir de uma forma diferente com o livro.
    Nos casos onde se sabe quem são os culpados, nem sempre o autor consegue deixar a história interessante, o que parece não ser o caso desse autor. Ponto positivo também pra arte de capa que ficou sensacional, e pelo autor ser escandinavo kkk esperamos coisas bizarras dos escandinavos.

    • Eduarda Menezes disse:

      Eu também prefiro quando há certo mistério, mas curti esse livro. Venho adorando ler mais thrillers nórdicos. Os autores são bem talentosos!

  4. Ysamin disse:

    Oi Duda
    Existe um filme chamado “A caça” aqui no Brasil, acabei me confundindo achando que era o mesmo. De qualquer forma, vou colocar esse livro na minha lista. E fica a indicação do filme que é muito bom!

    • Eduarda Menezes disse:

      Já ouvi falar do filme, mas ainda não assisti! Pelo nome dá pra confundir mesmo rs
      Espero que goste do livro e obrigada pela dica =)

  5. Tamara Costa disse:

    Eu sou fã de literatura policial, não tenho como resistir. Maaaas não conhecia esse escritor. A história parece ótima, achei estranho o lance do leitor e do próprio detetive saber quem sãos os assassinos logo de início e a trama se desenrolar mais em volta de provar isso mas se você disse que mesmo assim o livro é muito bom vou acreditar e torcer pra ter chance de ler ^^

    • Eduarda Menezes disse:

      Eu prefiro quando tem mais suspense, mas é bom sim. O autor desenvolve a investigação muito bem e isso faz toda a diferença! beijão =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *