MENU

by • março 10, 2016 • ConversasComments (7)4471

Breves considerações sobre parcerias com editoras

Desde que escrevi sobre passos inicias para se ter em mente na criação de um blog, fiquei devendo algumas continuações dessa postagem para vocês. Uma das perguntas que mais recebo de blogueiros iniciantes é ‘como funciona o sistema de parceria com as editoras?’. A curiosidade é natural, mas deve vir acompanhada da compreensão que a criação de um blog não pode ser motivada por isso (como, infelizmente, acontece). Se você escreve esperando um produto em troca, seu conteúdo estará permanentemente prejudicado.

Tenha em mente:

Um blog deve ser motivado por um assunto que você gosta e tem prazer em conversar (falei mais sobre esse tópico no post anterior). Uma vez que a sua página esteja consolidada (e a isso me refiro uma rotina de postagens, um público, ainda que pequeno, estabelecido), não há problema algum em receber de cortesia um produto do seu interesse (seja livros ou afins) e dar sua sincera opinião sobre ele. Desde que seja, de fato, sincera.

Muita gente distorce o sentido de uma parceria e acha que é apenas um meio para garantir livros de graça. Você não apenas está desvalorizando sua página (e desejando que outras pessoas a valorizem), como dificilmente conseguirá manter a farsa (ou ser levado a sério).

Alguns perigos:

Entrando em um tópico mais enraizado da coisa eu diria que igualmente preocupante é o blogueiro que se leva a sério, se importa com o público, mas inconscientemente (ou não) é levado a elogiar um livro do qual, no fundo, não gostou tanto assim.

É um assunto mais delicado pois se apoia muito na subjetividade da opinião e no velho “o que é ótimo para mim, pode não ser para você”, algo perfeitamente aceitável quando verdadeiro. A isso cabe apenas a consciência de cada um, e, mais uma vez, o conhecimento que é a sua opinião que está em jogo, sua percepção e entendimento sobre determinado assunto e conteúdo, algo extremamente valioso e inestimável. Com o tempo, claro, isso afetará na formação do seu público, ainda que os resultados não sejam imediatos.

O quadro afeta um pouco a forma como certos leitores enxergam blogs com parceria, quando acaba surgindo um preconceito pelo blogueiro receber livros “de graça” (e coloco entre aspas porque nada é de graça). Isso pra não dizer o olhar que alguns reservam para quem cobra para ler determinado livro, algo perfeitamente natural, já que esse é um espaço que você construiu (é o seu público) desde que devidamente sinalizado e, claro, da forma mais sincera possível.

Mantenha a integridade:

Sempre haverá os de credibilidade duvidosa, mas isso não significa que outros não estejam ali levando a sério seu trabalho e, nesses casos, as parcerias atendem a todos: tanto à editora, que terá seu livro divulgado; o blogueiro, que receberá o que já tinha interesse em troca da valorização de sua opinião e mais material de trabalho; e os leitores, que terão mais conteúdo diversificado ou mesmo os sorteios que essas parcerias possibilitam.

Opiniões negativas sobre livros:

Mas se a editora quer divulgação e o blogueiro não gostar do livro, isso é ruim? Uma opinião bem fundamentada e sincera é muito mais benéfico, até para a editora, do que subterfúgios e maquiagens na tentativa de esconder um conteúdo ruim. As pessoas percebem textos sinceros ou irão descobrir, uma vez que resolvam seguir suas dicas. O leitor sabe quando é levado a sério e assim que percebe passa a confiar na sua opinião.

Não estou dizendo que vocês vão concordar em tudo (seria impossível), mas argumentos sinceros são facilmente distinguíveis de qualquer outro e pontuam a visão de cada um proporcionando um debate saudável sobre diferentes pontos de vista. Essa confiança é o aspecto principal na consolidação de uma boa página ou canal no youtube. E isso é algo a ser valorizado. Pode ter certeza que a editora que você deseja tornar-se parceiro também irá valorizar, é isso que ela busca.

Avaliação mútua:

E aqui entramos em outra questão importante: você não está recebendo um favor de um grupo bondoso que te envia livros. É por acreditar em você e no seu trabalho que a empresa te envia esse material. Acima de tudo, você deve valorizar o seu espaço. Da mesma mesma forma que editoras avaliam sites e blogs, estes últimos também devem avaliar seriamente as empresas parceiras.

Você concorda com as regras da parceria? Se identifica com o catálogo da editora? Pedirá os livros que realmente compraria, caso não os recebesse? Aqueles que verdadeiramente despertam seu interesse? Só porque você recebeu aquilo sem custo, não significa que mereça sua atenção. O que mais percebo são pessoas que veem algo sem custo e só por esse motivo desejam para si. A expressão “de graça até injeção na testa” está aí para comprovar, e prefiro a variação: “injeção na testa? nem que me paguem”.

Administrando sua lista de leituras:

Seu tempo é precioso demais para perdê-lo com leituras medianas, por mais sincero que você seja em deixar claro para o leitor que não gostou. Considere que na vida dificilmente você conseguirá ler mais de 2 mil livros (isso calculando pela média de um leitor com ritmo considerável) e irá perceber que seus anos são preciosos demais para perder tempo com o que não vale e não desperta sua atenção (e isso se aplica em vários aspectos).

É primordial avaliar se o catálogo de determinada editora tem a ver com você. Já aconteceu uma vez de eu adorar determinada editora, mas no meio da parceria receber um e-mail avisando sobre a mudança de política que a partir daquele momento só enviariam livros jovens adultos; por não ter muito interesse pelo gênero, enviei um e-mail descontinuando a parceria, pois sabia que receberia aqueles livros e dificilmente os leria.

Esse é apenas um dos exemplos de parcerias que preferi interromper por um motivo ou outro. Cheguei a receber vários livros por mês de determinada editora e, por ter perdido o interesse no catálogo, preferi cancelar a parceria. Eu poderia ter continuado recebendo os livros indefinidamente? Sim. Mas qual o sentido de acumular livros em casa quando você não possui interesse por eles ou sequer pretende lê-los? Não serve nem aos seus propósitos nem aos da editora.

Ainda mais importante é saber conciliar o que você recebe com os livros que você compra e suas vontades do momento. Todos os livros de parceria solicitados por mim (e aqui vale lembrar que muitos de nós, blogueiros, recebemos livros surpresas enviados pelas editoras que não necessariamente temos vontade ou iremos ler) são livros que quero ler. Mas só porque você quer ler algo não significa que você queira naquele momento, e aí vem o perigo de se afundar nos livros pedidos, e simplesmente não estar no clima da leitura numa hora específica.

A pior sensação do mundo é se sentir obrigado a fazer tal leitura (ainda que o livro lhe interesse) apenas pra cumprir um prazo específico de entrega (e eu já passei por isso, algo que aboli totalmente da minha vida). Avalie se quer se unir a uma editora que ficará te cobrando resenhas e, se for de sua vontade, saiba administrar sua lista de leituras de modo que seja prazerosa, de acordo com o seu momento e respeitando suas vontades.

Como se inscrever:

Por fim, respondendo ao que mais me perguntam: como se inscrever? Cada editora possui seu próprio processo de seleção e o melhor modo de se informar sobre datas de inscrição é segui-las nas redes sociais e ficar ligado quando surgir a oportunidade. Entre outras coisas, elas irão avaliar o conteúdo da sua página, seu perfil, layout, entre outras coisas…. e sim, o número de seguidores também fará diferença, e isso não é algo pelo qual se revoltar. Afinal, é uma troca, e você deve possuir um público que leia/assista o que está sendo publicado. E se você me diz que precisa ter essa chance para crescer, que precisa receber algo em troca para conversar sobre um assunto que já deveria fazer parte do seu cotidiano, o problema está justamente na sua afirmação.

Resumindo:

Firmar uma parceria é algo benéfico, desde que encarado com ponderação. Avalie se você terá liberdade de escolher o que é adequado ao seu perfil. Tenha em mente que as coisas não acontecem da noite para o dia, que você deve valorizar o seu trabalho para que outros também valorizem e os ganhos e conquistas serão apenas consequência do que você construiu por mérito próprio. Não comece a choramingar porque cicrano conseguiu parceria e seu blog, que é muito melhor, foi deixado de lado. Pense se pode melhorar em algum aspecto e tenha em mente que um blog não precisa de parcerias para sobreviver porque se este for o caso ele não tem razão de existir.

Related Posts

7 Responses to Breves considerações sobre parcerias com editoras

  1. Mariana Fieri disse:

    Excelente texto Duda! Concordo com tudo o que disse. Acho que o mais importante é ser autêntico e profissional, sem deixar a transparência de lado e nem as responsabilidades, no caso de desejar parcerias. Saudade do blog! Bjos

  2. Nessa disse:

    Oi Duda!
    Fiquei feliz quando vi um post seu no blog, sinto tanta saudades 🙁
    Gostei muito das dicas e da forma que abordou o assunto.
    Quando eu comecei o blog eu não sabia que existia parcerias com editoras e isso acabou sendo uma consequência do meu trabalho. Hj em dia eu recebo livros de uma editora só e já sou muito feliz por isso. Gosto de ler por prazer e isso é algo que conta muito nas minhas escolhas.

    Volte logo Duda!!
    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

  3. Oi, Duda! Muito bom o seu post! Esclareceu algumas coisas e foi de grande auxílio para mim.
    Beijos

    http://tudoqueeuli.blogspot.com

  4. Eu pensei bastante sobre parcerias quando comecei o blog, obviamente o fato de existir centenas de blogs com resenhas, promoções e outras coisas pesaram para eu abandonar a ideia, mas um dos pontos é que eu vi alguns blogs que so resenhavam livros de certa editora, muitas vezes as resenhas eram fracas pois ficava claro que o autor do blog não tinha gostado do livro e apenas tinha feito a resenha por “obrigação”, mas é claro isso depende do autor e sua ética para com o publico.

  5. Olha, é a primeira vez que visito este blog e este texto é sensacional, tudo que eu penso você escreveu aqui. Tenho várias parcerias agora, no entanto, quando criei o blog há dois anos, não esperava esta repercussão e infelizmente o que eu vejo é que a escolha de parceiros pela editora está mais na sorte do que no seu conteúdo, dão valor a quantidade e não a qualidade. Algumas eu trabalhei durante um ano e nem quis renovar devido a desorganização delas, ou então, elas não eram flexíveis quanto aos pedidos, nos restando solicitar apenas lançamentos ou dando prazos absurdos para postar uma resenha, ou seja, não é porque é de graça que vou querer ser parceira de todas. Como você disse, às vezes é o seu gênero e você até quer ler, mas não naquele momento. Tem blogueiro que se inscreve em todas sendo que o catalogo nem é do público ou do gênero que ele lê e eu olho sim se o título eu compraria na hora de escolher o livro para resenha, vou manter as parcerias apenas com as editoras que me dão esta liberdade. Infelizmente, o que mais vemos é blog com parceiros apenas para receber brindes, as resenhas baseadas em sinopse ou cópia de outras resenhas, todos os blogs resenhando o mesmo livro porque é o lançamento do mês ou modinha, fica até cansativo para o leitor que segue vários. Muito livro bom fica de fora das indicações. E tem aquela pessoa que cria um blog literário e nem escrever sabe, além de não gostar tanto assim de ler. Sem sentido em minha opinião. Uma pena que por causa de alguns, muitos blogueiros tenham uma fama ruim, lê o livro, odeia, mas elogia com medo de perder o parceiro. Conseguir credibilidade é difícil, manter o blog atualizado mais ainda e no meu caso que não quis ter um colaborador é ainda mais corrido, mas eu amo muito e enquanto for gratificante ele estará no ar.
    Bjs e parabéns pelo post incrível. O blog também é maravilhoso, adorei!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *